Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Reportagens

Norberto dos Santos reclama dívida do Santos

Avelino Umba - 30 de Abril, 2011

Norberto de Castro insatisfeito com o Santos

Fotografia: Domingos Cadência

As direcções do Grupo Desportivo e Recreativo Norberto de Castro e do Santos Futebol Clube estão de costas viradas devido a alguns incumprimentos por parte dos santistas. A informação foi prestada ao Jornal dos Desportos por Norberto de Castro, que acusa o Santos FC de não cumprir as suas obrigações constante do contrato assinado com o seu grupo desportivo.

“Não é segredo para ninguém e até é de conhecimento público que se o Santos chegou onde chegou foi graças ao Norberto de Castro, que lutou para que os apoios logísticos fossem um facto, enquanto esta equipa esteve no Complexo Norberto de Castro há quatro anos”, disse o homem forte da escola com o seu nome, localizada no município de Viana, em Luanda. Norberto de Castro conta que foi assinado um convénio entre as duas partes, em que o seu complexo tinha como missão assistir o Santos FC.

“A prova disso é que quando as coisas estavam a correr a cem por cento, o Santos FC atingiu o patamar que atingiu. Importa sublinhar que enquanto esteve no complexo, há dois anos, e a participar nas competições, a equipa fazia o seu estágio com direito a alimentação e alojamento e todas as condições exigidas”, explicou Norberto dos Santos. O empresário disse que aquele clube só encontraria na Europa as condições que ali lhe foram oferecidas, pois poucos clubes em Angola tiveram o privilégio que o Santos teve no seu complexo, sendo prova disso o reconhecimento hoje do professor Mário Calado que na altura, à frente daquela agremiação, e hoje ao serviço do Sagrada Esperança, ainda recorre aos préstimos do complexo.

“O Sagrada Esperança da Lunda-Norte tem estado no meu complexo, onde treina muitas vezes em sistema bi-diário, com as mesmas condições que antes o Santos FC tinha, incluindo as refeições e o devido alojamento, pois todos sabemos das dificuldades existentes e que muitas vezes passamos em nossas casas, porquanto se o atleta tiver as mínimas condições, o rendimento melhora substancialmente”, frisou Norberto.

Clube da Samba deve perto
de um milhão de dólares

Norberto de Castro deu a conhecer à reportagem do Jornal dos Desportos que o Santos FC tem uma dívida de cerca de um milhão de dólares com a sua instituição desportiva. Além desse valor, aquele clube contraiu ainda uma outra dívida avaliada em 80 mil dólares. Segundo o proprietário do complexo desportivo, existe um acordo entre os dois clubes, nos termos do qual, o Santos FC se comprometia a pagar uma dívida que o complexo tinha com um banco no mercado, e em contrapartida o clube beneficiaria dos serviços prestados pelo Grupo Desportivo e Recreativo Norberto de Castro.

No contrato, havia ainda a menção de algumas cláusulas em que o clube do município da Samba tinha a obrigação de proceder a algumas empreitadas a favor do complexo, tais como a asfaltagem de uma estrada que vai dar às instalações, a ligação de energia eléctrica, construção de um campo com relva sintética, construção de duas casas, além da compra de cinco camiões e outros aportes. Do acordo, Norberto de Castro afirma ter recebido apenas dois camiões de fabrico chinês, uma casa no Zango e 10 mil dólares. O Santos honrou ainda com o início da construção do campo e a entrega do respectivo tapete sintético.

“Do que foi acordado, nada do que recebemos cobre ainda a dívida pela prestação de serviços no espaço, que incluía treinos, alojamento, alimentação, entre outros serviços básicos, durante três anos”, afirma. Norberto de Castro diz que não havia qualquer intenção de retirar o Santos FC do seu complexo desde que aquela agremiação honrasse os seus compromissos e diz-se triste com as mensagens do presidente daquela clube, Ismael Diogo, na comunicação social, segundo as quais a agremiação estaria a patrocinar o Complexo Norberto de Castro, numa altura em que o empresário anunciava novos investimentos para as instalações.

Comissão vai apurar os factos

Segundo Norberto de Castro, uma comissão para averiguar o mau clima de relacionamento entre a sua instituição e o Santos FC foi recentemente criada e vai trabalhar para repor a verdade dos factos. A comissão é composta por quatro elementos e é encabeçada pelo antigo técnico dos Palancas Negras, Oliveira Gonçalves, hoje ao serviço do Santos, onde ocupa o cargo de vice-presidente para futebol. Indagado sobre o possível regresso do Santos FC ao complexo, o responsável máximo daquela escola de futebol disse que não tem as portas fechadas aos santistas, mas pretende antes que se regularize o mais rápido possível todas as situações que estão na base do desentendimento entre as partes.

“Não tenho as portas fechadas ao Santos, apenas necessitamos de fazer um acerto de contas. Após a regularização da situação, tudo vai voltar à normalidade com o Santos, pois o clube tem uma dívida com a minha instituição. Temos blocos de facturas onde as provas são mais do que evidentes” disse Norberto, que aguarda pela comissão para o início das investigações. A dívida preocupa bastante aquele gestor, pois depende apenas de si para manter em funcionamento a instituição.

“Como é sabido, tudo o que faço depende de mim próprio, não tenho ajuda de ninguém. Se um dia vier uma instituição no sentido de prestar algum apoio à escola Norberto de Castro, também vou aparecer em público para agradecer. Tenho a instituição há muito tempo sem alguns serviços básicos, não temos energia. Tenho estado a ver uma luz no fundo do túnel quanto à energia. Logo que eu tenha este bem, vou convocar a imprensa para agradecer, pois é isso que me caracteriza como ser humano” frisou.

Oliveira promete falar
nos próximos dias

O Jornal dos Desportos, tentou ouvir os dirigentes do Santos FC sobre as acusações que pesam contra o clube quanto às dívidas a que se refere o proprietário da Escola Norberto de Castro. No contacto mantido com aquele clube, o vice-presidente para o futebol, Oliveira Gonçalves, disse que no devido momento a sua instituição vai reagir para contestar as declarações de Norberto de Castro quanto ao que for apurado nas investigações que vão ser realizadas.

Empresário contesta
Ismael Diogo

Ismael Diogo, presidente do Santos FC, em declarações à imprensa, há alguns meses, numa altura em que o complexo recebia obras, disse que os investimentos no local eram resultado de um projecto assinado entre o seu clube e o empresário Norberto de Castro, cujos termos foram já mencionados mais acima. Entre os benefícios para o complexo, Ismael Diogo referiu a construção de um campo novo com relva sintética e algum apoio em termos de transporte. Ainda dentro do pacote, dizia Ismael, a escola Norberto de Castro receberia da direcção do Santos algum apoio adicional para o bom funcionamento das instalações, nomeadamente o fornecimento de energia eléctrica e água.

Perante estas declarações, Norberto de Castro sentiu-se insatisfeito e disse que Ismael Diogo fez tais pronunciamentos como se algo de graça se tratasse, pois não reconhece que o clube deve à sua instituição. “O Santos deve muito dinheiro à minha instituição, pois a única coisa que soube honrar foi o campo que até ao momento não está concluído. Acredito que houve uma certa teimosia de algumas pessoas que estavam à frente a dirigir as obras do campo, o que culminou num mau trabalho”, disse.