Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Reportagens

"O ASA vai ficar na mesma divisão"

Augusto Fernandes - 07 de Agosto, 2013

No Atlético Sport Aviação (ASA) esta tarefa está atribuída ao Ti Domingos,

Fotografia: Jornal dos Desportos

Para se fazer um grande clube precisa-se não só de bons artistas da bola, boa direcção bom orçamento, como também de homens que saibam cuidar bem das infra-estruturas ou do património do clube. Um clube precisa da contribuição e da dedicação de homens para cuidar dos recintos desportivos, do equipamento, das bolas, dos serviços em geral. No Atlético Sport Aviação (ASA) esta tarefa está atribuída ao Ti Domingos, considerado por muitos jogadores do clube do Aeroporto e por ele próprio como “o ASA” por ser uma das figuras mais antigas do clube e por ser a ele a quem se confia a guarda e segurança das divisões funcionais desde os balneários aos gabinetes da chefia.

Ti Domingos, está no clube do aeroporto desde 1980 ao tempo da CTA, hoje aviação ligeira, a convite do senhor Mário Rogério Von Haff, que foi presidente da Assembleia do Grupo Desportivo da TAAG (antiga denominação do ASA depois da independência). “De início comecei a trabalhar como tarefeiro. Procedia ao carregamento e descarga de bagagens de e para os aviões” diz Ti Domingos.

“O senhor Mário era amigo de um compadre do meu pai e por isso arranjaram-me um furo aqui”,disse.Em 1981, foi colocado no clube para ajudar o Ti Lino, nas suas tarefas. Aliás, Ti Domingos herdou a actividade que era desempenhada pelo Ti Lino, com quem aprendeu muito em mais de duas décadas de convívio. “De de inicio eu ajudava o Ti Lino a entregar os equipamentos e as bolas às equipas do futebol, andebol, basquetebol e hóquei. Fiquei todo maravilhado quando entreguei pela primeira vez as camisolas a jogadores famosos, como o Chinguito, Lutandila, Eduardo Machado e outros.”

O kota já viveu mais de meio século e foi testemunha de históricos momentos do ASA, desde o tempo do “velho” Chico Ventura, que foi um dos primeiros treinadores da TAAG e da Selecção Nacional de futebol. Segundo Ti Domingos “o velho Chico Ventura (já falecido) não ganhou nenhum campeonato pelo ASA, mas foi dos treinadores que mais deu de si mesmo para o nosso clube”. Hoje, sente muitas saudades daquele ASA dos tempos de jogadores como Lutandila, Rola, Zola, Juju, Nando Russo, Nando, Matias, Geovete, Bondozo, Chico Dinis, Rui Gomes, Gonçalves, Sabino, Zau, Rosinha, Maló, Eduardo Machado, Cuba, Juca, Chinguito, Afonso e muitos outros.

“Dava gosto ver o clássico 1º de Agosto – TAAG, ou TAAG – Progresso. Havia muitas equipas boas como o 1º de Maio de Benguela, Académica do Lobito e outras” ,recorda-se Ti Domingos. Segundo ele o ASA só não ganhou um campeonato naquela época porque o 1º de Agosto tinha um grande dirigente que fazia tudo para que a sua equipa ganhasse. “Era o comandante Orlog. Quando achava necessário ele ia ver os jogadores mais valiosos das outras equipas e se estivessem em idade militar, já era. Ele fazia tudo para que esse jogador fosse para o 1º de Agosto. Eu ficava altamente admirado pela paixão que ele tinha pela sua equipa.”

SAUDADES DO VELHO
DÉRBI NACIONAL

No tempo dos dérbis entre o 1º de Agosto e o ASA, segundo o Ti Domingos, os jogadores que mais se destacavam eram: “Chinguito, Rola, Zola, Matias, Juju, Geovete, Eduardo Machado, Catarino e o Rui Gomes pelo ASA e pelo 1º de Agosto eram o Ângelo ou o Napoleão, Garcia. Lourenço, Alves, Ndunguidi, Zeca, Amândio, Chimanlanga e o Mateus César. Naqueles jogos a relva deitava fumo. O público só se levantava para ir embora depois do apito final.Disputavam-se grandes jogos e os jogadores que mencionei eram dos melhores que o país teve”. Ainda sobre o interesse do 1º de Agosto sobre jogadores mais credenciados de outros clubes, o falecido Chinguito, depois do célebre jogo em que “marcou os dois golos que ficaram tão famosos que até o “Jornal de Angola” deu o título `Duas Chinguitadas´ também não teve hipótese foi parar ao 1º de Agosto”.

“Fiquei muito triste porque o rapaz era dos melhores jogadores do ASA. Além do 1º de Agosto e o ASA, ainda tínhamos o 1º de Maio de Benguela, com Maluka, Sarmento, Fidel, Fusso, Daniel, Zandú, KIala, Barros, Zé Aguas, Nelson e outros.No Académica do Lobito, havia jogadores como o Chibi, Gindungo, Batata e Sayombo. No Progresso do Sambizanga, com Luís Cão, Praia, Salviano, Santo António, Santinho e Eduardo André. No Futebol Clube do Uige havia o Arménio e no Construtor também do Uíge o Vicy. Portanto tínhamos jogadores para todos os gostos” frisou.

MOMENTOS BONS E
MAUS DO ASA


Em sua opinião a primeira crise no ASA aconteceu por volta de 1985 e só terminou em 1990. Ti Domingos recorda que em 1987 o ASA quase desceu de divisão. Tivemos de golear o Ferroviário da Huila por mais de oito golos para permanecer na primeira divisão. Algumas pessoas que não gostam do ASA não acreditaram no resultado e disseram que houve combinação de resultado quando na verdade foi uma demonstração da nossa força e este ano tudo vamos fazer para que o ASA não desça de divisão, pode escrever meu amigo” garantiu Ti Domingos. Depois no Mandato de Tomás Ferreira, as coisas começaram a melhorar e com o João Andrade, na presidência em 2000 e 2001 o ASA sagrou-se vice-campeão.

“De 2002 a 2004 mandámos no futebol nacional, ganhamos três Girabolas consecutivos e várias super- taças. Em 2005 fomos vice-campeões. Portanto o actual momento não nos assusta, estamos habituados a sacrifícios. É verdade que ninguém gosta de estar mal, mas às vezes o mal vem por bem. Acredito que com a nova gestão e outras forças vivas do nosso clube vamos sair da crise” disse visivelmente confiado. “Quando cheguei ao ASA”, diz Ti Domingos, “o Património era todo bonito e bem tratado. Os jogadores dormiam aqui e comiam sem problemas. Hoje fico muito triste por ver o estado em que se encontram as nossas infra-estruturas.

Mas como já disse, vamos ultrapassar esta situação o mais breve possível pois temos homens competentes para o efeito. Não nos interessa saber quem é o culpado da situação porque águas passadas não movem moinhos, como diz o velho ditado popular.” Em sua opinião, pelo ASA já passaram grandes treinadores e todos eles de uma ou de outra forma deram muito de si no clube. Mas treinadores que fizeram história são Chico Ventura, Vesco, Bernardino Pedroto e o Carlos Alinho. Em termos de jogadores já passaram várias dezenas desde que Ti Domingos está no ASA e muitos deles ficaram marcados na memória: “Chinguito, Coreano, Rola, Lutandila, Rosinha, Matias, Maló, Kansas, Corola, Love, Yamba Asha, Sérgio, Saúca, Mizé, Kanka, Ângelo, Jamba e o Minhonha, marcaram-me muito. Naturalmente estes não são os únicos, mas de momento estes é que vieram a mente.”Confessou o kota que vive nas instalações do clube e acredita que o ASA lhe vai arranjar uma casa onde quer viver o resto da sua vida. do ASA.

PERGUNTAS E RERSPOSTAS

Em sua opinião porque razão a Selecção Nacional de futebol está tão em baixo?
Acho que o Camarada Pedro Neto, deve imediatamente com um pouco de calma refazer a selecção de todos os angolanos. É preciso ter paciência.

Angola vai organizar o primeiro Campeonato Do Mundo de Hóquei em Patins em África. O que espera do “cinco nacional”?

Por aquilo que vi nos jogos de preparação na Suíça, creio que se não houver muita pressão sobre a equipa, se haver muita humildade por parte dos jogadores e bons prémios podemos esperar uma grande surpresa neste mundial da parte dos nossos rapazes.

POR DENTRO

Nome completo: Domingos Sabalo Caetano
Filiação: Sabalo Domingos Caetano e de Madalena João Viariato
Naturalidade e data de nascimento: Malange, a 10 de Março de 1952
Estado civil: Solteiro Filhos: 2 Altura: 1,69m
Peso: 70 kgs

Calçado: 40
Prato:
Funji com feijão e peixe frito
Bebida preferida:
Vinho de forma moderada O que mais teme na vida:
A morte Religião: Protestante Cidade Angolana: Luanda Pais: Brasil Clube do Coração: ASA Sonho: Acredito que o ASA vai dar-me uma casa