Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Reportagens

Oakley abandona Armstrong

25 de Outubro, 2012

Lance Armstrong vive dias difíceis após divulgação do escandalo de doping

Fotografia: AFP

A marca norte-americana de óculos Oakley, um dos últimos patrocinadores que ainda apoiavam Lance Armstrong, rompeu na segunda-feira o contrato com o antigo ciclista devido à anulação das suas sete vitórias na Volta a França por doping. “Baseando-se na decisão de hoje da União Ciclista Internacional e nas provas esmagadoras apresentadas pela Agência Antidopagem dos Estados Unidos, a Oakley pôs fim, de forma imediata, à sua longa ligação com Lance Armstrong”, declarou a companhia em comunicado. A empresa ressalvou que, contudo, continua a apoiar a Fundação Livestrong, fundada pelo texano de 41 anos para apoiar doentes de cancro, doença a que sobreviveu em 1996. Na quarta-feira da semana passada, a Nike, patrocinadora de Armstrong desde 1996, foi o primeiro “sponsor” a romper o contrato com o antigo ciclista.

O fabricante de bicicletas Trek, a cervejeira Anheuser-Busch, a sociedade de bebidas energéticas FRS, a companhia de nutrição desportiva Honey Stinger e a empresa de capacetes Giro também deixaram de patrocinar Armstrong. A União Ciclista Internacional (UCI) retirou na segunda-feira a Armstrong as suas sete vitórias na Volta a França em bicicleta, na sequência do relatório da Agência Antidoping dos Estados Unidos (USADA), que acusa o corredor norte-americano de dopagem sistemática. Já retirado, Armstrong, que sobreviveu a um cancro, venceu o Tour todas as corridas entre 1999 e 2005 e, após anos de suspeições, foi acusado e punido pela USADA, que, entre outras coisas, apoiou a sua decisão em testemunhos de 11 dos antigos companheiros de equipa.

“Armstrong não tem lugar no ciclismo”, declarou o presidente da UCI, o irlandês Pat McQuaid, durante uma conferência de imprensa, em Genebra, depois de ter qualificado este dia como “muito importante para o ciclismo”. A UCI confirmou as sanções aplicadas em agosto pela USADA, que irradiou. Armstrong e anulou os resultados da maior parte da sua carreira. Armstrong, de 41 anos, abandonou o ciclismo profissional em definitivo no início de 2011, depois de uma primeira retirada entre 2006 e 2008.

No seu relatório de 164 páginas, acompanhado de cerca de mil outras páginas detestemunhos e estudos, publicado a 10 de outubro, a USADA acusa Armstrong de ter montado “o programa de doping mais sofisticado da história do desporto”. Os testemunhos de 11 dos seus antigos companheiros apontam para o recurso sistemático a eritropoietina (EPO), transfusões sanguíneas, hormona de crescimento, testosterona e cortisona. A UCI decide amanhã se os seus triunfos na Volta a França são atribuídos a qualquer outro corredor, mas o director da prova, Christian Prudhomme, manifestou já o desejo de deixar os títulos sem dono.

LONDRES 2012
Jogos custaram menos que o orçamento previsto


A organização dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Londres 2012 custou menos 377 milhões de libras (463 milhões de euros) do que o orçamentado, confirmou o governo britânico. As autoridades britânicas tinham previsto gastar 9,3 mil milhões de libras (11,4 mil milhões de euros), mas a factura final ficou-se pelos 8,92 mil milhões de libras (11 mil milhões de euros). De acordo com o ministério da Cultura, Comunicação Social e Desporto, as maiores poupanças foram feitas na segurança, construção e transportes. Porém, o executivo vincou ainda estarem de parte cerca de 480 milhões de libras (590 milhões de euros) para contingências que decorram do final de contratos, riscos ou obras a realizar nos espaços olímpicos. “Londres 2012 foi um sucesso tremendo, e é um resultado significativo ter concretizado este programa grande e complexo a tempo e abaixo do orçamento”, congratulou-se o secretário de Estado do Desporto, Hugh Roberston.

CONTROLO
Comissão Europeia regula apostas


A Comissão Europeia (CE) adoptou na terça-feira um plano de ação para regular, a nível europeu, os sites de jogos de apostas online, propondo uma série de medidas, mas nenhuma legislação. Em comunicado, a CE explica que pretende “um elevado grau de cooperação” para lutar contra a combinação de resultados, bem como “promover trocas de informação mais rápidas, dispositivos de sinalização de disfunções e uma cooperação nacional e internacional entre as partes envolvidas”. O plano de Bruxelas, apresentado pelos serviços do comissário para o Mercado Interno, Michel Barnier, tem como matéria os problemas das apostas ilegais e o branqueamento de dinheiro com recurso aos jogos de fortuna ou azar, a dependência dos jogos em linha e a protecção de menores. “Os jogos de fortuna ou azar caraterizam-se na União Europeia pela diversidade das regras nacionais que os regem”, sublinha a Comissão.

Os Estados membros “não têm capacidade, cada um por si, de resolver de forma satisfatória os problemas regulamentares, societários ou técnicos que se apresentam à EU”, acrescenta. A Comissão vai constituir, até ao final do ano, um grupo de especialistas para fomentar a troca de experiências entre os Estados, em matéria de regulamentação. Compromete-se ainda a adoptar, em 2013, recomendações para a protecção dos consumidores e para a publicidade dos jogos de fortuna ou azar online. Encoraja ainda o desenvolvimento de melhores ferramentas de verificação de idades e filtragem de conteúdos em linha e deseja encontrar métodos de tratamento e prevenção eficazes para as pessoas viciadas no jogo, que se calcula ser 0,5 a 3 por cento da população da UE.

COM O LIBERTAD
Caballero duvida
de cláusula de contrato

Mauro Caballero, pai de Maurito Caballero, jovem avançado paraguaio que está perto de se mudar para o FC Porto, revelou ontem o pormenor contratual que, por agora, impede a conclusão da transferência. “No contrato de aprendizagem que o Maurito tinha com o Libertad até ter completado 18 anos, há uma cláusula que o obriga a assinar um contrato profissional. Caso não o faça, terá de pagar 1,5 milhões de euros. A questão é se essa cláusula é válida. Nós entendemos que não e que ele é um jogador livre”, disse, à rádio Cardinal, mostrando-se esperançado de que o FC Porto “chegue a uma conclusão com o Libertad”.