Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Reportagens

Obras do estdio do Chiazi esto na fase de concluso

Joaquim Suam, em Cabinda Antnio Soares - 17 de Outubro, 2009

Obras do Estdio Internacional do Chiazi esto na fase final

Fotografia: Jornal dos Desportos

As obras de construção do estádio internacional do Chiazi que, em Cabinda, irá acolher os jogos preliminares do grupo B do Campeonato Africano das Nações de Futebol Sénior Masculino "Orange Angola 2010" que o país vai organizar de 10 a 31 de Janeiro do próximo ano, estão na sua fase de conclusão. A empresa chinesa “China Jiangsu” aumentou a sua produtividade de trabalho, com vista o cumprimento do cronograma estabelecido com o Governo angolano da entrega do empreendimento, no dia 30 de Outubro do ano corrente.
Neste momento, a empreiteira chinesa está a efectuar, no estádio internacional do Chiazi, trabalhos de acabamentos da rede eléctrica, colocação de mosaico plástico, pintura, sinalização nas portas de entrada e saída, montagem de auto falantes nas paredes, colocação de vidros nas portas, colocação de bancadas plásticas, construção de cabines para imprensa e retoques finais.
Na recente visita de trabalho que a o ministro da juventude e desportos, Gonçalves Muanduma, efectuou a esta província, na qualidade de coordenador adjunto da comissão de monitorização do COCAN, reconheceu que Cabinda recuperou o tempo que estava perdido e hoje é um exemplo a nível dos estádios que vão cobrir os jogos da taça africana, tendo referido que o cepticismo que existia por parte da CAF quanto a realização do CAN, em Cabinda, esta ultrapassado, porque os membros do órgão que rege a modalidade de futebol em Africa ficaram satisfeito com a evolução das obras de construção do estádio internacional do Chiazi, na ultima visita de inspecção que efectuaram a nesta região do país.

Campos de apoio
em prontidão

A rapidez de construção que se assiste no estádio internacional do Chiazi, também é notória nos dois principais campos de apoios. No municipal do Tafe, a empresa portuguesa “Mondo”, especializada em construção de infra-estruturas desportivas, está a efectuar, neste momento, trabalhos de reparação da pista de atletismo, manutenção do campo de jogos, sanitários públicos, montagem de bancadas, pintura e acabamentos em alguns compartimentos. Enquanto que campo do Chibodo, a Mondo está a trabalhar na armação para montagem de bancadas metálicas, marcação do campo de jogos e fundações completas do empreendimento.

Ministério do Interior garante
controlo nas fronteiras

No quadro da realização do Campeonato Africano das Nações de Futebol Sénior Masculino "Orange Angola 2010", o ministério do interior elaborou um plano estratégico, que visa a garantir o asseguramento ao longo das fronteiras do Massabi, República do Congo Brazzaville, e do Yema, República Democrático do Congo (RDC), durante o período da competição. O referido programa consiste em manter o controlo de todos os cidadãos estrangeiros que usarem as duas fronteiras para entrarem em Angola, a fim de assistirem os jogos do Campeonato Africano das Nações “Orange Angola 2010”.
De acordo com o vice-ministro do interior, general Eduardo Martins, o “laissé passe” (passe de travessia), é um título de passagem de fronteira permitida para aqueles cidadãos que são chamados de residentes fronteiriços. No caso da fronteira do Yema, a faixa de segurança e circulação permite quase atingir a cidade de Cabinda, ao passo que na fronteira do Massabi já não é permitido a circulação e penetração de cidadãos estrangeiros até ao interior do país, referindo que é a faixa considerada dentro dos Acordos e Protocolo, o que quer dizer que toda a pessoa que quiser passar na faixa permitida, deverá usar o passaporte que permite a entrada de um cidadão para um país estrangeiro.
Para o general Eduardo Martins, o país tem as condições criadas a nível dos postos de fronteira, quer terrestres, aéreos e marítimos, tendo realçado, que as orientações e disposições estão contidas nos regulamentos do Estado e universal em termos de cumprimento de qualquer cidadão estrangeiro que queira entrar num outro país. Eduardo Martins referiu que o cidadão estrangeiro que entrar em Angola para assistir os jogos do CAN 2010, deve ter o titulo de viagem, ou seja, passaporte ou salvo conduta e apresentar-se ao posto de fronteira, devidamente habilitado com o visto de entrada e permanência no território nacional. Acrescentou que os postos fronteiriços têm os mecanismos instalados e compete o controlo de entrada de todos os cidadãos estrangeiros. “Se o cidadão estrangeiro não estiver em condições, não é permitida a entrada, e se estiver em condições é registado e faz a sua entrada em função do tipo do visto que possui", precisou.