Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Reportagens

Os Búfalos da Calemba apostam em conquistas

Francisco Carvalho - 29 de Outubro, 2017

O boxe é uma das modalidades que goza prestígio no clube

Fotografia: M.Machangongo | Edições Novembro

Em dois anos de existência, a completar a 16 de Dezembro, os búfalos da Calemba II espreitam o futuro com optimismo. São crianças, adolescentes, jovens e adultos imbuídos do mesmo espírito: o de vencedor. Em cada olhar, o passado perde o rasto. Sem memória, o presente é a vida. Uma vida que se constrói com muito sacrifício e amor. Uma carreira timbrada com as cores preta e vermelha. A preta do sofrimento de uma geração perdida e a vermelha do sangue que jorra pelo trabalho \"forçado\".

Todos os dias, em três recintos diferentes, mais de 180 atletas inscritos em sete modalidades desportivas expelem suor de cansaço. Na alma, uma bandeira comum une-os com o mesmo propósito: elevar as cores do Clube Desportivo Bulls Big de Angola.

A mais nova agremiação desportiva de Luanda está registada no Gabinete Provincial de Acção Social, Cultura e Juventude e Desportos do Governo Provincial. O Clube Desportivo Bulls Big de Angola aposta nas modalidades de combates, mormente, boxe, judo, lutas (grego -romana e cacth) e jiu-jitsu. Para dar suporte ao desporto-rei, abriu a academia de futebol. Numa estratégia de marketing, as mães não foram esquecidas: integram a equipa de zero-zero, um “desporto” mais para o feminino.

O fundador e proprietário da agremiação, Celestino Búfalo Assemba Chicago, esclarece que "movido pelo espírito de solidariedade ao próximo" não suportou ver milhares de homens e mulheres perdidos no mundo da delinquência.

Como angolano e parte integrante da sociedade, decidiu partilhar o pouco rendimento de que dispõe com os demais cidadãos. A escolha recaiu na criação de uma instituição desportiva para absorver as pessoas mais necessitadas.

À semelhança de outras localidades como Viana, Benfica e Cacuaco, onde o crime impera a seu bel-prazer, Calemba II era um palco fértil de agentes do mal. O mercado de rua criado na via que liga Viana a Nova Vida era o mais fecundo para as acções nefastas dos bandidos.

Cansado de ouvir as lamentações, os choros de mulheres e de homens de todas as idades, diariamente, Celestino Búfalo Assemba Chicago entrou em acção para dar a paz aos cidadãos. A sua empresa de segurança, a SEGUR-VIP, tomou a iniciativa de controlar as acções dos delinquentes. Depois de muitos confrontos, os agentes do mal viram-se confrontados com respostas duras. Sem meios para fazerem valer as intenções, renderam-se à verdade e devolveram a tranquilidade ao povo.

O gesto de Celestino Búfalo Assemba Chicago mereceu o reconhecimento da população local. Hoje, o mercado de rua da Calemba II é um lugar seguro. Qualquer tentativa de roubo ou assalto tem a reacção imediata. Os "búfalos" espalhados no terreno bramam com violência à proporção do acto de vandalismo. São verdadeiros ninjas.

Por amor, Celestino Búfalo Assemba Chicago decidiu absorver parte da "força de trabalho desocupada" para lhes dar uma orientação. Com dedicação e nova mentalidade, estão transformados em cidadãos de bem e dignos representantes de uma colectividade. A mudança dessa geração é a felicidade nos lares de milhares de famílias.


MOVIMENTAÇÃO
Duas centenas de atletas estão em acção


O Clube Desportivo Bulls Big de Angola controla 180 atletas distribuídos em diferentes modalidades desportivas. O boxe comporta 30 atletas sob a supervisão de cinco treinadores. O judo controla 35 atletas às expensas de seis treinadores. As lutas (grego -romana e cacth) é praticado por 30 atletas e três treinadores. O jiu-jitsu controla 36 atletas com a supervisão de seis treinadores. As mamãs estão subdivididas em dois grupos de 11 cada, na classe de zero-zero e têm quatro treinadoras. O futebol absorve mais de 50 crianças e adolescentes com cinco treinadores.

Os custos de manutenção das equipas são elevadas. Celestino Búfalo Assemba Chicago está com os bolsos vazios. Assegurou que chegou ao limite para suportar as despesas sozinho. Procura apoios junto de entidades políticas e empresariais para que os jovens inseridos no programa de prática desportiva não descambem na delinquência.

"Desde a fundação do clube, sempre assumi sozinho os custos de todas as equipas. Infelizmente, com a situação económica e financeira vigente no país, já não consigo suportar as despesas. Peço às entidades competentes do Estado e aos empresários que se juntem a mim para salvaguardarmos uma geração com grande futuro no desporto", disse.

Chicago, nome pelo qual é conhecido, sustenta que "em pouco tempo de existência do Clube, as diferentes equipas já tem campeões nacionais, provinciais e de diferentes torneios". O trabalho de treinadores surte efeitos positivos em diferentes categoriais. 
                               


MARKETING
Maló Peterson
é a “mascote”


Maló Kiassonga Peterson. Assim se chama a mais nova revelação do Clube Desportivo Bulls Big de Angola. De 11 anos, a criança chama a atenção pela dedicação aos treinos. Irreverente, coloca-se entre os adultos no momento dos exercícios. Incorpora-se entre os mais velhos e recebe a mesma orientação por falta de crianças de sua idade.

Maló Kiassonga Peterson é filho de Celestino Búfalo Assemba Chicago. O mais novo "búfalo" herdou do pai a prática do desporto. O proprietário do clube assume incutir o desporto a todos os seus filhos. O primogénito, Pedro Kialunda, também é lutador e exerce as funções de vice-presidente da agremiação.

A condição de presidente não o inibe. Celestino Búfalo Assemba Chicago também é atleta da especialidade de luta grego -romana. O gosto pelo desporto nasceu na República do Congo Democrático, onde se refugiou durante o período negro da história de Angola. O jovem nascido no Moxico viu-se obrigado a deixar a terra natal para encontrar a paz espiritual.

De regresso à terra mãe, trouxe consigo a luta grego romana incorporada na alma. Depois de se estabilizar, passa a experiência aos mais novos. Tal como Maló Kiassonga Peterson e Pedro Kialunda, outras crianças e jovens da Calemba II encontraram a realização espiritual na prática do desporto. Os sonhos são mais visíveis. As esperanças são reais.