Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Reportagens

Passivo milionário enferma Benfica

Gaud?ncio Hamelay, no Lubango - 27 de Fevereiro, 2017

A direcção de Jacks da Conceição trabalha a velocidade da luz para resgatar a imagem do Benfica Petróleos do Lubango

Fotografia: Arão Martins , no Lubango

Em meio às celebrações do 85º aniversário da constituição da 36ª filial do Sport Lisboa e Benfica, a equipa encarnada de Lubango clama a Deus por socorro imediato. Os musgos ocupam espaços nos cofres. Há muito tempo, o dinheiro deixou de fazer morada. A  direcção de Jacks da Conceição acumula um passivo na ordem de 100 milhões de kwanzas.

As lágrimas já secaram no rosto há muitos anos. O desafio é encontrar as fontes de financiamento. Sem patrocinadores e sem publicidade, o Benfica Petróleos do Lubango é uma múmia em busca do seu corpo e da sua identidade.

Em conferência de imprensa realizada no quadro das celebrações do 85º aniversário do clube encarnado de Lubango, Jacks da Conceição revelou que o fosso financeiro encontrado há dez meses lhe tira o sono todos os dias. Sem alternativas para colmatar o passivo, a \"ferida abre-se sempre que se fala\" das contas.

\"Falar desse passivo seria abrir uma ferida, mas não temos como negá-lo. É um passivo alto que ronda acima de 100 milhões de kwanzas. O Benfica Petróleos de Lubango não é uma instituição produtora. O clube funciona em dependência de patrocínios e de boa vontade de alguns sócios\", disse.

Com coração apertado, Jacks da Conceição não vê a hora de \"um amanhecer\". O horizonte desapareceu e vive dos destinos da sorte. A mágoa é tão grande quanto o Benfica: \"O clube está desde 2015 sem receber qualquer tostão referente ao seu patrocínio\". Uma realidade a cores. Transparente.

O passivo do Benfica Petróleos do Lubango pode atingir números astronómicos. No final de cada mês, os valores são alterados. O aumento é justificado com as despesas de treinadores, funcionários administrativos e outros servidores. \"Temos pessoas que precisam ser acudidas em função do que prestam ao clube. Isso faz com que o passivo tende a aumentar\", justificou.

Para impedir o crescimento do passivo, a direcção de Jacks da Conceição pondera tomar medidas drásticas. Se num curto espaço de tempo não consiga patrocínios, vai reunir o elenco para \"repensar a existência\" do clube encarnado. \"Sem medo de errar, pressupõe que o Benfica Petróleos do Lubango vai ter de repensar a sua existência, se não conseguirmos um patrocinador num curto espaço de tempo\", disse.

Jacks da Conceição assegurou que é inviável ao clube \"continuar aumentar o passivo, porque quer manter a imagem\". O momento exige que se deve tomar medidas reais ao contexto social, económico e financeiro. A agremiação deve viver apenas de recursos obtidos localmente.

O presidente de direcção destacou que o Benfica Petróleos do Lubango é detentora de alguns apartamentos e as receitas provenientes do arrendamento dos imóveis, mormente, residências e o pavilhão, permitiram sustentar a recuperação da relva do campo de futebol na ordem de 10 ou 15 por cento.

Para manter o clube funcional, a redução de modalidades desportivas é a solução encontrada. O dirigente aponta para dois desportos sem citá-los. \"Essa é a realidade e tem de ser aceite\", justifica.

LUZ NO FUNDO DO TÚNEL
No desencontro da alma, a esperança ainda alimenta o coração. É a fonte da persistência e da teimosia de uma direcção comprometida em fazer história. Jacks da Conceição e companhia não cruzam os braços desde a tomada de posse. Depois de tomarem contacto com todos os dossiers do clube encarnado, contactaram a entidade patrocinadora.

O sorriso no final do encontro fez-se acompanhar de duas exigências \"sérias\" que deviam ser cumpridas num curto espaço de tempo.
A primeira seria apresentar um projecto de como seriam geridas as contas do clube e, a segunda, consistia em apresentar um projecto orçamental e de actividades para o exercício económico de 2017.

\"Felizmente, fomos bem sucedidos nesses aspectos. Conseguimos apresentar a nossa visão, os nossos projectos de gestão financeira e orçamental de 2017 à entidade patrocinadora em tempo oportuno\", disse. O responsável do Benfica do Lubango assegurou que o documento teve um \"respaldo positivo\" da entidade patrocinadora e os efeitos podem fazer-se sentir a partir do mês de Março.

“A Sonangol é uma empresa pública e funciona em função da aprovação do Orçamento Geral do Estado (OGE) que entra na sua execução em Março. Em função disso, acredito que venhamos a ter um respaldo do patrocinador. Se formos contemplados no orçamento de 2017, vamos criar novas expectativas dentro do projecto apresentado ao patrocinador\", perspectivou.

Jacks da Conceição revelou que o clube beneficiou de um patrocínio \"especial\" para o basquetebol, mas por causas de situações internas foi suspenso em 2016. A entidade patrocinadora, através da sua Fundação BAI, custeou despesas na ordem de 30 a 40 por cento da recuperação do salão de festas e da participação de três campeonatos nacionais. Com a conclusão do salão, espera-se o crescimento de fontes de receitas do clube. 

ATLETISMO 
Jovens correm na festa dos encarnados

Enquadrado nas celebrações do 85º aniversário da Constituição do Benfica Petróleos do Lubango, realizou-se no fim de semana a prova de atletismo na distância de quatro quilómetros nas categorias de iniciados, infantis e juvenis. O evento contou com as participações de atletas do Clube Desportivo da Huila, da Saúde, Interclube da Huíla e o anfitrião.

Na categoria juvenil masculina, Leonardo Vissondjo venceu a prova com o tempo 14min29s82. O atleta do Clube Desportivo da Huila deixou para trás o fundista do Desportivo da Saúde, Ivanilson Paulino (14min30s86), e o colega de equipa, Emiliano António (14min31s84).

No escalão de iniciados, José Francisco sagrou-se vencedor com a marca de 17min02s06. O pequeno do Interclube da Huíla foi secundado pelo atleta do Desportivo da Huíla, Agostinho Cassule (17min06s04) e Jorge Gourgel (17min11s05).

FEMININO
Em feminino juvenil, Ilizineid Albano conquistou o prémio com o tempo de 18min40s03. Na classe de iniciadas, o troféu sorriu para Inácia Kapoco, ao fixar o tempo em 16min45s08. A atleta do Benfica Petróleos do Lubango deixou para longe a corredora do Interclube da Huila, Maria António, com o tempo de 17min54s06.

OUTRAS
Para enfatizar as celebrações do clube encarnado, a organização realizou torneios de basquetebol feminino, futebol Sub-13 e de velhas guardas. Doação aos idosos da terceira idade do Lubango, homenagem aos antigos dirigentes, sócios e treinadores bem como uma romagem ao cemitério do Alto da Mitcha marcam igualmente as actividades do 85º aniversário da Fundação do Benfica Petróleos do Lubango, que se celebra hoje.                 

MÉTODOS DE TREINAMENTO
Intercâmbio técnico no basquetebol


Um intercâmbio entre os treinadores do Clube Benfica Petróleos do Lubango e da Vila Clotilde de Luanda decorre a uma semana na capital huilana no âmbito das celebrações do 85º aniversário da constituição da agremiação encarnada, a celebrar-se hoje.

Venâncio Quintas, treinador de nível II e responsável pela equipa de jovens do Vila Clotilde, potencia os quadros de basquetebol do clube encarnado do Lubango com novos métodos de treinamento. A acção de intercâmbio entre o Benfica e Vila Clotilde insere-se na estratégia de elevar o basquetebol do clube huilano com mais seriedade e responsabilidade, segundo o presidente da instituição, Jacks da Conceição.

A equipa da Huila movimenta as categorias de cadetes, juvenis e juniores. A direcção de Jacks da Conceição tem a intenção de ascender aos escalões superiores do basquetebol feminino. Os parcos recursos financeiros são repartidos para tantas inquietações, mas o sonho pode ser realizado brevemente.

“É nossa intenção, a médio prazo, ter uma equipa feminina sénior de basquetebol. A nossa ideia tem de ser sustentada com a realidade financeira. Infelizmente e localmente não existem possibilidades de angariamento de recursos.

Os poucos recursos alcançados são distribuídos para tantas preocupações como a recuperação das infra-estruturas degradadas”, disse
As infra-estruturas da sede social atravessam degradação acentuada.

O tecto pode desabar a qualquer momento em função das infiltrações de água, principalmente, nas dependências que acolhem os escritórios. O do salão de festas está suprimido, após a intervenção da Fundação BAI.
          
           
PROGRAMA
Massificação lidera a grelha

O Benfica Petróleos do Lubango aposta na massificação de basquetebol, taekwon-dó, atletismo, ténis de mesa, xadrez, boxe, voleibol e futebol, num projecto que envolve mais de 1.500 crianças e adolescentes, em ambos os sexos. O clube encarnado do Lubango, que assinala hoje o 85º aniversário da sua existência, vive dificuldades financeiras e de meios de transportes.

Apesar dos constrangimentos, a criação de uma equipa sénior feminina é uma meta. Para o efeito, a direcção de Jacks da Conceição trabalha na criação de fontes de financiamento para a sustentação do projecto. A direcção de Jacks da Conceição conseguiu reactivar as modalidades de xadrez, ténis de mesa, boxe e voleibol em 10 meses desde de trabalho.

Encontrou no clube as modalidades de atletismo, basquetebol e futebol revestidos de grandes debilidades. Hoje, fruto dos imputes implementados gozam de \"boa saúde\" desportiva. Jacks da Conceição recordou que a gestão desportiva do clube é feita com o apoio e a compreensão dos treinadores. Até o momento, os funcionários trabalham a \"mendigar\", porque a direcção não consegue dar respostas aos salários.

\"Não tem sido fácil. Por isso, agradeço a todos pelo que fazem em prol do clube\", disse. Desde a tomada de posse, a direcção de Jacks da Conceição desconhece a cor do dinheiro proveniente da Sonangol Pesquisa e Produção. Para visitar um atleta incomodado, por exemplo, a movimentação é feita através de meios pessoais dos directores. Encontrou um clube sem campo praticável para futebol e não dispõe de autocarro ou outro meio colectivo para se movimentar.

A direcção de Jacks da Conceição traçou dez tarefas prementes a médio prazo e estabeleceu dois anos para tirar o clube do sufoco. O sucesso depende da relação com patrocinadores. \"Aos sócios e adeptos, gostaria de informar que o Benfica Petróleos do Lubango não tem um patrocinador definido e está desde 2015 sem receber um tostão do seu patrocinador, a Sonangol Pesquisa e Produção\", lamentou.

“Com as 10 tarefas delineadas, acredito que podíamos começar a pensar a voltar à primeira Divisão do futebol nacional; não queria lançar datas para não criar falsas expectativas”, salientou. Jacks da Conceição afirmou que em 10 meses não é tempo suficiente para reerguer um clube encontrado em péssimas condições financeiras.

A participação nos campeonatos nacionais de basquetebol nas categorias de Sub-14, Sub-16 e Sub-18 realizados em Luanda e no Lubango serviram de um processo de aprendizagem. Os dirigentes e os treinadores são \"bastantes jovens\" e os atletas dos escalões inferiores apresentam debilidades no seu processo de formação.

Dentro da preocupação, Jacks da Conceição afirmou que a direcção agendou a formação de treinadores fora da província da Huila ou trazer para Lubango profissionais com bastante experiência na área de treinamento de basquetebol. Foram aconselhados que a rentabilização dos escalões de formação consiste na gestão de uma equipa sénior.

“Vamos ver se o projecto de ter uma equipa sénior feminina de basquetebol não fique na intenção. Esperamos que o sonho passe para a acção desde que tenhamos sorte de sermos brindados com um patrocinador forte, sério e que honre com os compromissos para manter vivo esse Benfica, não só no basquetebol, mas noutras modalidades”, manifestou.
GH | NO LUBANGO