Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Reportagens

"Quero bater recordes ou então fazer melhor do que o meu pai"

Simão Kibondo - 20 de Junho, 2013

Bruno César Araújo com o pai Justiniano Araújo que ofereceu-lhe uma bicicleta nova para competir em 2013

Fotografia: Jornal dos Desportos

Aos 15 anos , o seu pai, Justiniano Araújo , que detem o recorde de Campeonatos Nacionais de Ciclismo de Estrada com treze (13) títulos -, conseguiu vencer a primeira prova de estrada e, nesta mesma faixa etária, Bruno César Araújo ou simplesmente “puxa lágrimas”, como é tratado em casa, que passou pela Escola David Ricardo e agora representa as cores do Benfica de Luanda, quer seguir as pegadas do progenitor.

O actual campeão nacional de Cadetes/Juvenis, Bruno César Araújo, vai defender o seu primeiro título no nacional deste ano aprazado entre os dias 27 e 30 deste mês, em quatro municípios da província do Kuanza- Norte ( Cazengo, Golungo Alto, Samba Cajú e Lucala).O ciclista, não tem como não idolatrar o seu pai, até porque ele é o principal “patrocinador” da sua carreira desportiva, se tivermos em conta que ao longo desta semana, requisitou na Gicate, uma das empresas que está a comercializar material de ciclismo em Luanda - uma das mais recentes novidades da bicicleta scot, completamente revestida de carbono por mais de duzentos mil Kwanzas.

“Sou ciclista e pratico a modalidade de ciclismo na categoria de cadetes desde 2012 por influência do meu pai Justiniano Araújo, que foi um grande campeão e quero ser como ele”, sublinhou o corredor. Segundo Bruno César Araújo, actualmente ainda não se pode considerar um atleta da “Alta competição”, porque está em fase de formação, mas pensa seriamente em ser uma mais-valia para o ciclismo angolano muito brevemente.“Tenho o pressentimento que vou atingir as metas que preconizo, já consegui vencer uma prova nacional, embora como cadete. Com a idade que tenho, isto vai ficar gravado na minha memória e de todo o coração para cumprir a promessa que fiz ao meu pai que também venceu a sua primeira prova quando tinha 15 anos”.

Para Bruno César Araújo acompanha o desenvolvimento do ciclismo, inclusive a nível mundial tem como ídolos José Azevedo, Eurritche Marcos Cavendish e Bradley Wiggins, no primeiro mundo (Europa) e em Angola idolatra ainda o seu tio Carlos Araújo, que o treina no Benfica de Luanda, Bruno Casimiro, Osvaldo Filipe( Chala) e como não havia deixar de ser o seu pai Justiniano Araújo.“Também sou adepto incontestável do Sport Luanda/Lisboa Benfica em todos desportos que pratico e, sofro muito quando perde. Este ano por exemplo, fiquei muito desiludido com a equipa principal de futebol, mas penso que para o ano vai ser melhor”, confessou.

INSPIRAÇÃO
“O meu tio Carlos Araújo 
quer que eu seja campeão


aDe acordo com Bruno César Araújo na sua jovem trajectória como praticante, depois de ter passado pela Escola David Ricardo, está agora a tentar cumprir ao máximo com as orientações do seu novo treinador, que por sinal também lhe dá grande apoio não só por ter laços familiares ( tio/sobrinho).Outras fontes de inspiração de Bruno César Araújo são: O seu avó, Leonel Araújo ( já falecido que segundo ele “ foi um grande jogador de futebol  que como segundo dizem, jogou nos Dinizes  de N´dalatando.

“O meu pai (Justiniano Araújo), que também me inspira, toda a gente o conhece, dispensa comentários, a minha mãe, Nadir Gourgel foi atleta deNatação, tenho também a minha irmã Katharyna Araújo que pratica Boxe e vai muito bem. Resumindo a história, somos uma família do Desporto”, acrescentou.De resto, Bruno Araújo considera que o apoio que recebe da sua família como praticante de ciclismo, motiva-o cada vez mais a esforçar-se na modalidade.

PONTOS FORTES
Apoio do Presidente da Republica ao desporto é decisivo no desporto 


Bruno Araújo reconhece que os pontos fortes do desporto angolano, passa necessariamente pelo apoio que tem sido dado pelo Presidente da República de Angola José Eduardo dos Santos.“Na modalidade de ciclismo, em particular, o ponto forte é a aposta que está a ser a ser feita na massificação. Mas, no desporto em geral, acho que mesmo assim, devia haver mais empenho da juventude para não se perderem nas drogas”, sustenta. 

PONTOS FRACOS
Dirigentes preocupados
com resultados imediato


Na óptica de Bruno Araújo, na generalidade estamos muito mal e, por uma razão muito simples, “é que 90% dos nossos dirigentes desportivos estão mais preocupados com resultados imediatos do que fazerem formação para colher resultados amanhã”.“Para melhorar este quadro devia-se obrigar todos os clubes a terem escalões de formação, participar regularmente nestes escalões, colocar algum atleta no Centro de Alto Rendimento no exterior do País, principalmente nas modalidades individuais como o Ciclismo, Boxe, Karaté, Natação e tantas outras, porque acho que nas modalidades individuais tem-se mais possibilidades de obtenção de medalhas ", concluiu.

POR DENTRO


Nome completo: Bruno César do Amaral Araújo
Filiação: Justiniano Araújo e Nadir Gourgel
Naturalidade e data de nascimento: Luanda, ao 07 de Janeiro de 1998
Estado civil: Solteiro
Irmãos: 10
Altura: 1,68 m
Peso: 57 Kgs
Prato: Bitoque
Bebida: Refrigerante
Tem namorada: Sim
O que faz nos tempos livres: Estudo, treino, jogo Video Game e convivo com a fámilia
Número do calçado: 41
Clube do coração: Benfica de Lisboa
Fonte de inspiração:Minha fámilia
Cidade: Luanda
Pais: Angola
Sonho: Bater recordes no Ciclismo angolano e não só.