Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Reportagens

Real lidera tabela de receitas

08 de Março, 2012

Neste ranking não houve grandes alterações face ao ano anterior, com os primeiros sete lugares da tabela a não sofrerem alterações

Fotografia: AFP

ENTRE EQUIPAS DE FUTEBO
Com receitas a rondar os 480 mil euros, o Real Madrid lidera a lista da “Deloitte Money League 2012”, lançada ontem.
A lista resulta de uma análise da consultora Deloitte às receitas dos clubes de futebol. O clube “merengue” é seguido pelo rival Barcelona, com 450 euros. O último lugar do pódio pertence ao Manchester United com 367 mil.

Neste ranking não houve grandes alterações face ao ano anterior, com os primeiros sete lugares da tabela a não sofrerem alterações. O estudo salienta ainda que vantagem que o Real Madrid e o Barcelona detêm sobre os seus parceiros europeus e indica que, mesmo que houvesse uma distribuição mais igualitária das receitas de transmissão televisivas, não afectaria o domínio destes dois clubes no topo dos clubes com mais receitas.

É também salientada a importância da participação dos clubes nas competições europeias, que ganha importância crucial para conquistar um lugar no top 20, e mesmo influencia a sua posição nesse top. Nota de destaque para o Nápoles que aparece na 20ª posição da tabela, beneficiando do novo acordo de direitos televisivos da Seria A Italiana, duplicando este tipo de receita em relação ao ano anterior para os 58 milhões de euros. De salientar também que apenas Benfica e Ajax não fazem parte das cinco maiores ligas europeias, tendo o clube italiano (Nápoles) impedido o Benfica de ser o único nos 20 primeiros do ranking.

Maiores transferências
Foi no final da década passada e no início da actual que os valores pagos na transferência de jogadores aumentaram de forma significa. O estabelecimento do actual modelo Champions League, a liberalização do número de jogadores estrangeiros nas equipas e a instituição das cláusulas de rescisão nos contratos dos jogadores, foram factores que potenciaram as enormes quantias pagas na aquisição das melhores estrelas mundiais. As maiores transferências verificaram-se entre os anos 1999 a 2002, voltando a crescer nos anos de 2006 a 2008.

De 1999 a 2002, as maiores transferências foram impulsionadas pelas épocas galácticas do Real Madrid, enquanto as temporadas de 2006 a 2008 foram marcadas pelos factores Abramovich e novos proprietários milionários. Como sempre os maiores valores pagos nas transferências foram de clubes das ligas Inglesa, Espanhola e Italiana. No entanto, com as contratações de Cristiano Ronaldo e Kaká por parte do Real Madrid, tendo em vista a criação da segunda equipa galáctica, o mercado de transferências voltou a ter um impulso significativo em termos dos valores máximos pagos na aquisição de jogadores.

PORTUGAL
Reforços custaram fortuna ao Benfica


A SAD do Benfica gastou perto de 50 milhões de euros com aquisições de jogadores, durante o exercício 2010/11, revela o Relatório e Contas enviado à CMVM, no capítulo dos aumentos com o plantel de futebol, no que aos activos inatingíveis diz respeito.

Sem parcelar a verba, a sociedade explica que a mesma inclui “aquisições de direitos desportivos e económicos de atletas, importâncias despendidas a favor da entidade cedente, encargos com prémios de assinaturas pagos a atletas, eventuais taxas federativas e demais encargos com serviços de intermediários, assim como efeitos de actualização financeira”.

As contratações englobadas neste montante são as seguintes: Jara, Oblak, Gaitán, Roberto, Jardel, Élvis, Carole, Fernández, Matic, André Almeida, Leo Kanu, Derlis González, Enzo Pérez, Bruno César, Wass, Rodrigo Mora, Artur Moraes, Nolito, Melgarejo e Nuno Coelho. As aquisições de Witsel, Garay, Emerson, Capdevila e Mika foram realizadas para além de Junho, pelo que só entram no exercício 2011/12, tal como as saídas de Fábio Coentrão e Roberto.

No que diz respeito a receitas de transferências, a SAD do Benfica recebeu 37,7 milhões de euros na última época, sendo que 10 milhões dizem respeito à venda de percentagens de passe ao Benfica Stars Fund. As transferências de David Luiz e Ramires, já contabilizadas, contribuíram para uma melhoria de 11,3 milhões de euros em relação ao período homólogo. Ainda assim a SAD do Benfica terminou o exercício 2010/11 com um prejuízo de 7,7 milhões de euros.

Salários dos administradores
O Relatório e Contas apresentado revela ainda os vencimentos de Domingos Soares Oliveira e Rui Costa, administradores da SAD do Benfica. O primeiro recebeu cerca de 370 mil euros em 2010/11, sendo que 255 mil euros correspondem à renumeração fixa, 17 mil referentes a encargos e 100 mil de valores variáveis. O antigo jogador, por seu lado, recebeu cerca de 244 mil euros, sem valores variáveis (231 mil euros de renumeração fixa e 13 mil de encargos).

ESPANHA
FC Barcelona bate recorde de patrocínio

Os catalães terminaram com a tradição de 111 anos de não vender publicidade das suas camisolas e estabeleceu um novo recorde neste género de patrocínio ao assinar um contrato milionário com a Qatar Foundation, tendo em vista a organização do Mundial da FIFA de 2022. O acordo poderá alcançar o valor total de 170 milhões de euros com a duração de 5 anos (até 2016). O clube catalão vai receber 30 milhões de euros anuais, além de uma verba de 15 milhões de euros já em 2010/11 por direitos comerciais, mais cinco milhões de euros em prémios de performance desportiva.

A Qatar Foundation é uma instituição sem fins lucrativos, fundada em 1995 pelo emir do Qatar Sheikh Hamad Bin Khalifa Al Thani, que tem como áreas de trabalho o ensino, a pesquisa científica e tecnológica. Este facto ajudou o clube a aceitar o patrocínio uma vez que não se tratar de uma marca comercial. Este patrocínio é, sem dúvida, uma ajuda importante para as finanças do FC Barcelona que acumula dívidas superiores a 400 milhões de euros. O novo patrocinador deve partilhar a camisola do clube com o actual logótipo da UNICEF, o fundo das Nações Unidas para a infância pelo qual a instituição recebe dois milhões de euros todos os anos.

LIGA SAGRES
SAD=Porto e Benfica com grandes lucros


As contas do quarto trimestre de 2011, das sociedades anónimas desportivas (SAD) dos três grandes do futebol português – FC Porto, Benfica e Sporting - revelaram dois “resultados” distintos. Enquanto as SAD do Benfica e do FC Porto fecharam as contas com lucros, a primeira de 15,1 milhões e a segunda de 6,1 milhões de euros, a Sporting SAD registou prejuízos de 7,8 milhões de euros, como consequência do aumento homólogo de 27 por cento dos custos operacionais e de uma quebra significativa dos proveitos resultados da venda de passes de jogadores.

Os resultados da SAD sportinguista não podem ser directamente comparáveis com as contas de FC Porto SAD e Benfica SAD, dado que a contabilização das receitas da primeira difere das outras duas em resultado da sua estrutura organizativa. De acordo com as contas, o passivo acumulado de três instituições cifrou-se em 825 milhões de euros, o equivalente à capitalização bolsista da Zon Multimédia, a 13ª maior empresa do principal índice da Euronext Lisboa (PSI 20).