Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Reportagens

Receitas televisivas dividem clubes

21 de Outubro, 2010

Real e o FC Barcelona propuseram ficar com 34 por cento da verba total

Fotografia: AFP

O domínio do Real Madrid e Barcelona sobre os rendimentos das transmissões televisivas na Liga espanhola não agrada aos outros clubes, que reclamam uma fatia maior do dinheiro. O Real Madrid e o FC Barcelona propuseram a outros clubes da Liga espanhola de futebol uma parcela maior das receitas dos direitos das transmissões televisivas, mas algumas equipas consideraram a proposta insuficiente. 

De acordo com Juan Carlos Santamaria, da Liga espanhola de futebol, representantes dos 20 clubes estiveram reunidos, mas não conseguiram chegar a acordo, tendo agendado novo encontro para 22 de Outubro. Os clubes negoceiam anualmente cerca de 600 milhões de euros provenientes de receitas de televisão, com o Real Madrid e o FC Barcelona a arrecadarem sensivelmente metade desta verba.

"Alguns clubes manifestaram ao Real Madrid e ao FC Barcelona o seu desagrado pelas verbas, considerando que a Liga é muito mais do que apenas aquelas duas equipas", afirmou Juan Carlos Santamaria. Numa reunião, o Real e o FC Barcelona propuseram ficar com 34 por cento da verba total, arrecadando o Atlético de Madrid e o Valência 11 por cento, e os restantes clubes 55 por cento. O Sevilha e o Villarreal manifestaram-se contra a proposta, exigindo mais dinheiro, sugerindo a divisão de 40 por cento da verba entre os clubes, sendo os restantes 60 por cento distribuídos tendo em conta o desempenho de cada equipa.

Ligas Europeias impulsionam
governo português


O mercado on-line de apostas desportivas, que em Portugal vale entre 500 e 600 milhões de euros anuais, está próximo de ser regulado legalmente, após um encontro entre o Governo e a Associação das Ligas Europeias de Futebol Profissional (EPFL). Emanuel Macedo de Medeiros, director-geral executivo (CEO) da EPFL, revelou à Agência Lusa os contornos de um encontro entre este organismo e o Governo português, realizado recentemente, e considerou de vital importância para o desporto luso a regulamentação deste mercado.

“Deixo esse aviso aos operadores públicos ou privados. O tempo da ausência de regulação deste mercado acabou", disse o dirigente português. Segundo Emanuel Macedo de Medeiros,"neste momento, em que a Europa enfrenta uma crise económica e financeira sem precedentes, nenhum governo se pode dar ao luxo de negligenciar as receitas fiscais inerentes a este mercado on-line de apostas”, porque “os contribuintes não iriam entender isso".

O Governo português, de acordo com uma nota de imprensa distribuída pela EPFL, criou uma comissão especial de avaliação e está a proceder a uma ampla consulta junto da Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP), da Associação Nacional de Casinos, da Inspecção-Geral de Jogos e ainda da Santa Casa da Misericórdia.

No encontro com o Governo, Emanuel Macedo de Medeiros defendeu a tese que tem guiado o seu discurso nos últimos anos e explicou que a expansão descontrolada das apostas desportivas on-line obriga a uma regulamentação, de forma a"salvaguardar a integridade das competições e a credibilidade do desporto em geral".

O dirigente sublinhou que"a EPFL e as ligas associadas, assim como todo o mundo desportivo, estão profundamente preocupadas com as ameaças à integridade das competições, através de alegadas viciações de resultados".O CEO da EPFL recordou ainda o envolvimento da UEFA e da FIFA nesta temática e salientou que, com a regulamentação das apostas desportivas, os clubes e ligas passarão a ter mais uma fonte de receita, já que, neste momento, os operadores não contribuem financeiramente e usufruem ilegalmente dos direitos de imagens de todos os agentes desportivos.

"Isto tem de acabar e a EPFL está pronta para essa batalha",garantiu. A EPFL tem insistentemente contactado os governos europeus no sentido de"prevenir e combater eficazmente o mercado de apostas desportivas, de forma a garantir uma maior transparência e supervisão financeira, evitando assim a evasão fiscal e a lavagem de dinheiro".

Lakers e Heat favoritos nas apostas

A época da NBA está prestes a arrancar e as casas de apostas já apontam para uma grande final entre os LA Lakers e os Miami Heat. Na conferência Oeste, os campeões em título são os grandes favoritos a chegar à grande final. Neste momento a melhor odd para arriscar que Kobe e companhia vençam a conferência está na BoyleSports (1,9). Os Oklahoma City Thunder (8 BlueSQ), Dallas Mavericks (15 Stanjames) e Portland Trail Blazers (15 BlueSQ) serão os grandes obstáculos para a equipa de Phil Jackson.

No lado do Atlântico a formação de Miami é a mais forte candidata a vencer a conferência (Este). A turma que junta LeBron James, Dwayne Wade e Chris Bosh tem a melhor odd na BoyleSports (1,8). Boston Celtics (7 BlueSQ), Orlando Magic (7 Ladbrokes) e Chicago Bulls (10 Boylesports) são fortes candidatos a marcar presença na grande final da NBA.