Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Reportagens

Renascer das cinzas

05 de Maio, 2010

Juventude e o Ferrovia

Fotografia: Jornal dos Desportos

Desde 4 de Abril de 2002, data da instauração da paz definitiva no país, a comuna do Kunji está a recuperar as infra-estruturas destruídas durante a guerra. É o esforço do Governo de Angola na melhoria das condições de vida da população.

Os sinais de reconstrução são visíveis em todas as áreas sociais. Desde as estradas às escolas, passando pelas áreas de lazer e desportivas.

No âmbito do Programa de Reconstrução Nacional e Melhoramento das condições sociais da população, o governo do Bié reabilitou os campos de jogos na comuna de Kunji. O cenário da localidade muda paulatinamente para regozijo dos jovens.

Referência Nacional
A vila do Kunji já foi uma grande referência no desporto nacional durante as décadas de 70, 80 até princípios de 1990. Os principais clubes da localidade, o  Juventude e o Ferrovia, participavam regularmente nos distintos campeonatos provinciais e nacionais em diversas modalidades, como futebol, andebol, basquetebol, atletismo, karaté-dó, boxe,  judo, hóquei-em-patins, atletismo, xadrez e ginástica. Os clubes do Kunji já conquistaram várias provas de índole provincial.

A  região, que antes da independência nacional se chamou Gare, tem um grande historial no mosaico futebolístico do país, que remonta ao final da década de setenta, mais concretamente, a 1979, ano da estreia do Girabola, no qual teve o primeiro representante, o Juventude de Kunji. A história é enriquecida pelo facto de ter sido uma das primeiras equipas da província do Bié, a par do Vitória Atlético, a participar no primeiro Girabola.

O Juventude de Kunji teve uma passagem efémera na competição, pois desceu de divisão no mesmo ano e nunca mais voltou a competir na fina-flor do futebol nacional.Durante a década de 80, a equipa disputou por diversas vezes o torneio zonal de apuramento ao Girabola, mas sem sucesso. Estava inserida no grupo B juntamente com as formações do Palancas do Huambo, Académica do Lobito, Vitória Atlético Clube do Bié, Santa Rita de Moçâmedes e 14 de Abril do Moxico.  

Revitalização dos clubes


A Direcção Provincial dos Desportos do Bié está empenhada na revitalização dos clubes inactivos e nas infra-estruturas degradadas. O Ferrovia do Kunji, entre outros, está a merecer mais atenção daquela instituição, por constituir um "património" da localidade. No programa de revitalização, prevê-se a abertura de novos clubes, desde que haja interesse dos jovens e do empresariado local.
A Direcção Provincial dos Desportos escolheu quatro modalidades para o relançamento do desporto local.

O andebol, basquetebol, futebol e atletismo  englobam a lista do pólo de desenvolvimento da província, sem descurar outras. Todos os clubes existentes são obrigados a movimentá-las nos escalões de formação, iniciados, juvenis, em ambos os sexos.A reabilitação e a construção de campos polivalentes trouxeram grandes benefícios às populações no que concerne à ocupação dos tempos livres dos jovens. A prática do desporto está a contribuir para o bem-estar e eleva a cultura desportiva nos jovens, permitindo maior capacidade de absorção da matéria escolar e o seu afastamento de práticas menos recomendáveis, como o consumo de bebidas alcoólicas, drogas e outros males que enfermam a sociedade.
 

Actividades extra-desportivas
ocupam o único campo


Um dos aspectos que emperra a continuidade e o desenvolvimento do desporto é a falta de infra-estruturas. Apesar da reabilitação do campo de jogos polivalente na  sede comunal, o Kunji precisa de mais empreendimentos desportivos.

Embora se reconheça algum esforço na melhoria das condições necessárias à prática desportiva, alguns habitantes locais, contactados pela reportagem do "Jornal dos Desportos", são de opinião que os dirigentes desportivos da província devem fazer muito mais para elevar o nível da prática do desporto.

A título de exemplo, o campo de futebol do Benfica do Kunji não oferece condições adequadas para albergar uma partidam, está em avançado estado de degradação. O campo apresenta um piso irregular, sem vedação nem bancadas. Em tempos idos, já acolheu jogos do campeonato provincial de futebol.

A construção de  mais pavilhões afigura-se pertinente para desafogar as quadras de jogos da sede da vila, o único espaço condigno, que também alberga actividades extra-desportivas. As modalidades de salão são as mais atingidas, pois cada vez mais se vêem diminuídos os espaços para a sua prática.

A população da comuna apela às autoridades competentes, às federações desportivas, às associações e a todas forças vivas locais a empenharem-se ao máximo para que o desporto local seja desenvolvido de forma mais adequada.

Responsável da localidade
quer massificação nas escolas


O administrador adjunto da comuna do Kunji, Severino Sambowe, considera prioridade a colocação de crianças do primeiro e do segundo  ciclo de toda a província em escolas de formação desportiva para se perspectivar um melhor desporto local.
"A prioridade é apostar no  desporto escolar a nível da província, criar escolas de diversas modalidades e, depois desse processo, mandar as crianças para os clubes", destacou.

Para Severino Sambowe, é necessário criar instalações desportivas, principalmente, nas escolas, para se estender a prática do desporto a todas as crianças. O segundo aspecto é relacionado com a formação de treinadores. O responsável acrescentou que se todos os factores funcionarem (infra-estruturas, formação dos técnicos e a dinâmica administrativa), a província vai colher frutos nos próximos 10 anos.

CFB PODE REVIVER
CLUBE FERROVIA
 

A reabilitação dos Caminhos-de-Ferro de Benguela pode fazer "ressuscitar" a formação do Ferrovia, adstrita a essa grande empresa pública. A formação do Ferrovia do Kunji paralisou as actividades há mais de duas décadas. O conjunto dos Caminhos-de-Ferro, a  principal agremiação da vila, movimentava as modalidades de andebol, basquetebol e futebol.

Apenas três modalidades
movimenta a comuna Kunji
   

As modalidades de basquetebol, futebol e ginástica, movimentadas pelo Benfica do Kunji, são as únicas disciplinas praticadas pelos habitantes da comuna. Os jovens, ávidos em praticar desporto, acorrem todos os dias aos  campos de jogos. Centenas de crianças, adolescentes e jovens juntam-se aos poucos espaços reabilitados para satisfazer o desejo enraizado na alma: jogar à bola.
A equipa principal de futebol do Benfica do Kunji participa no Campeonato Provincial de Futebol do Bié. No presente ano, foram abertas as secções de basquetebol e ginástica.

Historial da Vila


Kunji é uma pequena vila separada do resto da cidade pelo rio Kuito. A sua fama data de há muito anos pelo facto de absorver a linha-férrea pertencente aos Caminhos-de-Ferro de Benguela. A comuna constituiu, num passado recente, a principal zona económica do Bié. A vila é um lugar estratégico, possui estrada directa para se chegar aos municípios do Kunhinga, Andulo, Katabola, Kamacupa e Kuemba.

Kunji  permanece no imaginário popular como a vila satélite, que concentrou o grande sonho de industrialização da região do Bié no período anterior à independência e nos anos imediatos a 1975, com várias fábricas e grandes armazéns.A Empresa Fabril de Angola (EFA), que se ocupava do descasque de arroz, ginguba e trigo, a  Fábrica de óleo vegetal (SIBELDA) e os armazéns do CFB eram o grande postal da bonita vila do Kunji.

O governo local pretende recuperar o parque industrial da região. Com esse projecto, os habitantes do Kunji percebem que estão bafejados pela sorte, porque podem ver surgir milhares de postos de trabalho.

Turismo
O Kunji oferece boas condições para o turismo. Várias zonas com belas paisagens estão disponíveis aos visitantes. O rio Kunji, a praia LeiBi, localizada no quilómetro 13, a estação dos Caminhos-de-Ferro de Benguela, o cemitério Monumento, onde repousam os heróis da batalha do Kuito (1993/1994), entre outros,  são os principais cartões de visita.