Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Reportagens

Ronaldo chega aos cem jogos

03 de Outubro, 2013

Cristiano Ronaldo, começou a carreira no Sporting

Fotografia: AFP

Da estreia oficial no futebol federado pelo Sporting de Portugal ao estrelato no Real Madrid Cristiano Ronaldo sofreu várias metamorfoses e atingiu o auge da carreira. Entre vários recordes CR7 como também é conhecido aquele que é  dos melhores jogadores do mundo, cumpriu ontem o seu 100.º encontro nas competições europeias, na recepção do Real Madrid ao FC Copenhaga.

Aos 28 anos mais de 11 anos após à estreia com a camisola do Sporting o madeirense totalizou, ao jogar ontem, 100 partidas, ao serviço dos três emblemas: leões, red devils e merengues. Apesar disso colecciona apenas um título europeu, a Liga dos Campeões de 2007/2008, arrebatada ao serviço do Manchester United.

Quarta-feira no Estádio Santiago Bernabéu o “7 dos merengues” tornou-se o sexto internacional luso com o registo centésimo, sucede a Figo (142 jogos), Rui Costa (110), Simão (109), Vítor Baía (108) e Deco (102), todos jogadores com passagens por clubes estrangeiros.

Se em matéria de jogos Cristiano Ronaldo é apenas o sétimo da lista, no que respeita a golos é já o segundo, atrás do “rei” e bicampeão europeu Eusébio que apontou 57 nas taças europeias em apenas 75 encontros.

Como na selecção lusa o “7” do Real Madrid clube pelo qual renovou até 2018, deve bater os recordes portugueses de jogos e golos nas taças europeias, aventura que iniciou há mais de uma década no antigo Estádio José Alvalade.

A 14 de Agosto de 2002 o avançado português então com 17 anos foi lançado pelo romeno Laszlo Bölöni aos 58 minutos para substituir o espanhol Toñito, frente ao poderoso Inter de Milão, num embate que acabou empatado a zero.O Sporting acabou eliminado da Champions pelos italianos, depois de um desaire de 2-0 em San Siro, onde Ronaldo não jogou, mas o jogador luso ainda disputou mais dois jogos pelos leões na primeira ronda da Taça UEFA.

Cristiano Ronaldo entrou ao intervalo na recepção ao Partizan (1-3) e, depois, foi titular em Belgrado, onde a equipa lisboeta caiu no prolongamento (3-3), já sem o jovem extremo substituído aos 74 minutos.

Até antes do jogo de ontem o avançado português venceu 56 dos seus 99 jogos, com 24 empates e 19 derrotas no currículo. Na Champions a prova rainha tem 53 vitórias em 93 jogos, aos quais se juntam quatro jogos em pré-eliminatórias e dois na Taça UEFA pelo Sporting.

Cristiano Ronaldo já superou o total de vitórias de nomes históricos como Rui Costa e Vítor Baía, mas está ainda um pouco longe do recorde português, na posse de Luís Figo, com 79 triunfos.

Figo foi o primeiro português a conseguir a proesa, em Maio de 2003, com 31 anos. Jogava então no Real Madrid e o 100º jogo coincidiu com a vitória sobre a Juventus (2-1) na primeira mão da meia-final da Champions. A derrota por 3-1, em Turim, no jogo 101 impediu-o de revalidar o título de campeão europeu conquistado em 2002.

Figo prosseguiu a carreira internacional até 2009, somou 142 presenças, ainda hoje recorde absoluto entre portugueses e 11ª marca de todos os tempos, em igualdade com Oliver Kahn.

ARSÈNE WENGER
Cristiano esteve próximo do Arsenal


O francês Arsène Wenger está há 17 anos no comando técnico do Arsenal e a propósito do marco histórico lembrou um dos momentos mais frustrantes da sua carreira no clube londrino.

“[Cristiano Ronaldo] Esteve muito perto de assinar e até já tinha a camisola 9. Só que o Carlos Queiroz foi para o Manchester United e eles conseguiram contratá-lo porque o Queiroz conhecia-o. É assim a vida”, disse em entrevista à ITV. Segundo o técnico, dona Dolores, mãe de Ronaldo, já tinha dado a aprovação.
Ronaldo, que esta quarta-feira disputou a centésima partida europeia da sua carreira, chegou a Manchester com 17 anos.

 A TRÊS DO RECORDE DO “REI” EUSÉBIO
Chuva de golos na Champions


Cristiano Ronaldo estava até ontem, antes do jogo do Real Madrid com o FC Copenhaga, a três golos de igualar o recorde do “rei” Eusébio, como melhor marcador português nas taças europeias de futebol, com 57 golos.

Depois de se ter estreado em 2013/2014 a “triplicar”, no reduto do Galatasaray (6-1), o nº 7 do Real Madrid passou a somar 54 tentos europeus, todos na Liga dos Campeões, em 99 jogos, 97 dos quais na prova rainha.

No Estádio Santiago Bernabéu, onde festejou ontem o seu centésimo embate nas provas do “velho continente”, Cristiano Ronaldo chegou com uma marca (54) muito próxima da de Eusébio, que apontou 57 golos, em apenas 75 encontros, entre Taça dos Campeões, Taça das Taças e Taça das Cidades com Feira.
Os dois jogadores lusos ocupam os últimos lugares do “top 10” da história das competições europeias, que é liderado pelo espanhol Raul Gonzalez, autor de 76 golos, 67 pelo Real Madrid e nove ao serviço do Schalke 04.

Entre os futebolistas que estão a participar na edição 2013/2014 das taças europeias, Cristiano Ronaldo é o segundo colocado, apenas atrás do argentino Lionel Messi, que já soma 63 tentos, em 83 jogos disputados. O “10” do Barcelona é o quinto da geral, a quatro golos do ucraniano Andrei Shevchenko (quarto, com 67), seis do alemão Gerd Müller (terceiro, com 69), sete do italiano Filippo Inzaghi (segundo, com 70) e 13 de Raul.

Entre Messi e Ronaldo, e além de Eusébio, seguem o holandês Ruud van Nistelrooy (sexto, com 62 golos), o francês Thierry Henry e o sueco Henrik Larsson, que seguem ex-aequo no sétimo posto, com 59.

Cristiano Ronaldo estreou-se nas taças europeias em 2002/2003, quando jogava ainda no Sporting, mas marcou o primeiro golo apenas ao 17.º jogo, em 2005/2006, a sua terceira temporada ao serviço do Manchester United.

A 9 de Agosto de 2005, perante 51.701 espectadores, em Old Trafford, o jogador luso apontou o 3-0 final face aos húngaros do Debreceni, aos 63 minutos, na primeira mão da terceira pré-eliminatória da Champions.

Apenas voltou a marcar na época seguinte, na segunda mão dos quartos de final, ao “bisar” (44 e 49 minutos) face à AS Roma, goleada por 7-1 em Inglaterra. Ainda voltaria a marcar nas “meias”, face ao AC Milan.

Em 2007/2008, marcou o seu primeiro golo na fase de grupos e logo face ao Sporting, em Alvalade, onde o Manchester United venceu por 1-0, a 19 de Setembro. Não festejou e pediu desculpas aos adeptos “leoninos”, mas, volvidos dois meses e oito dias, voltou a fazer uma “maldade” ao clube, ao marcar novamente o golo da vitória, agora por 2-1, de livre directo, ao minuto 90.

Ronaldo acabava a época como o melhor marcador da Champions, com oito golos, o último, de cabeça, em Moscovo, na final com o Chelsea, que só foi resolvida na “lotaria” - o português falhou, mas foi salvo por uma escorregadela de John Terry e conquistou o título europeu.

Em 2008/2009, ainda voltou à final da Champions, mas dessa vez perdeu com os espanhóis do Barcelona, por 2-0, depois de uma campanha em que o internacional luso apontou apenas quatro golos em 12 jogos.

Na primeira época pelo Real Madrid, conseguiu, pela única vez na Europa, uma média superior a um golo por jogo (sete, em seis), incluindo três “bis”, para se ficar pelos seis golos em 12 jogos na temporada 2010/2011. Em 2011/2012, bateu o seu recorde de golos numa época, com dez (em dez jogos), incluindo quatro “bis” e na época passada, o melhor registo, com 12 tentos em 12 jogos, somando o segundo ceptro de melhor marcador, depois de quatro consecutivos de Messi.

A 3 de Outubro de 2012, em Amesterdão, logrou o seu primeiro “hat-trick” europeu, face ao Ajax (4-1), feito que repetiu no seu primeiro jogo de 2013/2014, em Istambul, no 6-1 ao Galatasaray.

TRANSFERÊNCIA
Do Sporting para o United


Na época 2003/2004 ainda no Sporting, mas após um particular com o Manchester United na inauguração do novo Estádio José Alvalade foi contratado pelos red devils, pelos quais haveria de jogar seis temporadas. Foram 55 jogos e 16 golos, o primeiro no encontro inaugural da época 2005/2006: marcou aos húngaros do Debreceni, no triunfo caseiro por 3-0, em jogo da primeira mão da terceira pré-eliminatória da Champions.

Sem contar com as pré-eliminatórias o primeiro tento sucedeu a dez de Abril de 2007, quando conseguiu um “bis” face à AS Roma (7-1), na segunda mão dos quartos de final. O golo inaugural na fase de grupos da Liga dos Campeões teve lugar frente ao Sporting, no triunfo por 1-0 em 2007/2008. Foi o primeiro de oito marcados nessa época e que lhe valeu o título de melhor marcador - feito que repetiu na passada temporada.

Despedida de Manchester
Na época seguinte Cristiano Ronaldo voltava à final, frente ao Barcelona e a Lionel Messi no Estádio Olímpico de Roma. Foi o seu último encontro pelo Manchester United.

A troco de 94 milhões de euros o Real Madrid foi contratar ao Manchester United a “estrela” portuguesa que não tem dado por mal empregue o dinheiro: na Europa, soma 38 golos pelos “merengues”, em apenas 41 jogos.

Ainda assim, Cristiano Ronaldo ainda não conseguiu levar o Real Madrid ao tão ansiado décimo título europeu, ficou-se pelos “oitavos” (eliminado pelo Lyon) na primeira época e nas “meias” nas últimas três.


SOLIDARIEDADE
CRISTIANO RONALDO
Autografa camisola para associação chinesa


A Associação Chinesa de Futebol (CFA) acrescentou mais um troféu à sua colecção: a camisola número sete da selecção portuguesa, assinada pelo próprio Cristiano Ronaldo (“C Luo”, em chinês).

A camisola foi oferecida ao secretário-geral da CFA, Zhang Jian, pelo embaixador português em Pequim, Jorge Torres-Pereira, como um símbolo da “disponibilidade de Portugal para cooperar com a China na área do futebol”.

Uma fotografia do encontro do diplomata português com o responsável da CFA foi difundida no microblogue que a Embaixada de Portugal abriu a semana passada na rede social Sina Weibo, o Twitter chinês, com mais de 500 milhões de utilizadores inscritos.