Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Reportagens

Ryan Lochte brilha na natao

23 de Dezembro, 2010

Ryan o melhor nadador da actualidade

Michael Phelps ainda não decidiu se vai manter a vontade de entrar para novos desafios depois de conquistar oito medalhas de ouro nas Olimpíadas de Pequim, mas sabe que se optar por voltar às provas que fizeram dele famoso, o lugar no pódio não será cedido de mão beijada. Amigo fora das piscinas e rival dentro delas, Ryan Lochte tem mostrado, no Campeonato Mundial de Piscina Curta do Dubai, que é capaz de se destacar, não somente pelo seu estilo particular, mas por desempenhos consistentes nas provas.

O americano chegou aos Emirados Árabes Unidos com a possibilidade de conquistar oito medalhas. No entanto, a iniciativa foi frustrada logo na primeira tentativa, porque na estafeta 4 x 100 metros livre dos Estados Unidos não conseguiu chegar ao pódio. Mas o tropeço não abalou o desempenho do nadador nas provas individuais. Há uma semana, o norte-americano tornou-se o primeiro atleta a bater um recorde mundial individual, depois de a Federação Internacional de Natação (FINA) restringir o uso dos fatos tecnológicos em competições.

E foi com estilo: 3min55s50 nos 400 metros medley, “esmagando” a marca do húngaro Laszlo Cseh, 3min57s40. O desempenho chamou a atenção do brasileiro Cesar Cielo. “Foi uma loucura. Não conseguiria fazer algo assim (bater um recorde mundial em quase dois segundos) no estilo livre”, disse. “Somos abençoados por nadar numa era com Michael Phelps, Lochte e tantos outros bons atletas.” Na mesma senda, o técnico de Michael Phelps, Bob Bowman, rendeu-se à boa fase do rival do seu pupilo: “Actualmente Lochte é o melhor do mundo.”

Mas o nadador não se destaca apenas pelo seu talento na piscina. Os cabelos compridos foram cortados, mas a discrição não faz parte do dicionário do americano. No Dubai, Lochte não se contentou em receber as suas medalhas no pódio com os apelativos ténis verde limão metalizado usados no torneio Pan-Pacífico: cobriu os quatro dentes da frente com brilhantes.

Dois recordes em dois dias

O norte-americano Ryan Lochte bateu mais um recorde no Mundial de Piscina Curta do Dubai, desta vez nos 200 m medley, fazendo 1min50s08 e batendo a marca anterior (1min51s55) pertencente ao sul-africano Darlan Townsend desde Novembro do ano passado.
Dias antes, já tinha quebrado o primeiro recorde mundial de 2010, nos 400 m medley, o primeiro desde que a Federação Internacional de Natação (Fina) decidiu proibir os “super fatos” de poliuretano. Lochte procura atingir ou superar os oito recordes de Michael Phelps.

Guardando todo o fólego para o final, Lochte nem sequer apareceu entre os três primeiros, até os 100m da prova. A partir de metade do percurso, o americano foi acelerando e assumiu a liderança. Mas foi nos últimos 100m que impôs o forte ritmo que lhe garantiu o recorde mundial (3m55s50). A marca anterior, 3m57s27, era do húngaro Laszlo Cseh, que terminou em sexto lugar (4m04s93) na final de há uma semana. 

O tunisiano Oussama Mellouli garantiu a medalha de prata, com o tempo de 3m57s40. Com a marca de 3m57s56, o americano Scott Clary completou o pódio. Na final dos 50m bruços feminino, mais uma medalha de ouro para os Estados Unidos, com Rebecca Soni, que venceu com o tempo de 29s83. Apenas um centésimo atrás (29s84), a australiana Leiston Pickett ficou com a prata, enquanto a chinesa Jin Zhao completou o pódio (29s90).

Em seguida, foi a vez de Natalie Coughlin garantir outro ouro para à equipa americana, vencendo os 100m costas, com o tempo de 56s08. As chinesas Jin Zhao (56s18) e Chang Gao (56s21) ficaram nos lugares seguintes. Nos 800m livres, uma eslovena subiu ao lugar mais alto do pódio, ao completar o percurso em 8m22s42. A australiana Katie Goldman e a venezuelana Andreina Pinto terminaram em segundo (8m23s47) e terceiro (8m26s31), respecitivamente.

Do colégio ao profissionalismo

Ryan Lochte, nascido em Canandaigua (Nova Iorque) a 3 de Agosto de 1984, é um nadador norte-americano detentor de vários recordes mundiais e medalhista olímpico. Conquistou a medalha de ouro na prova de 4x200 m livres nos Jogos Olímpicos de 2004 (em Atenas) e de prata (nos 200 m estilos). Conquistou ouro nos 200 m costas e nos 4x200 m livres, nos Jogos Olímpicos de 2008 (em Pequim) e o bronze nos 400 m e 200 m estilos individuais.

É especialista em costas e individual e de estilo livre, com grande desempenho. Dá nas vistas pela velocidade e distância, quando submerso na água. Tem como rival os nadadores Michael Phelps e de Aaron Peirsol, mas fora da água são grandes amigos. Estudou no Colégio Primário Spruce Creek, em Port Orange (Florida), tendo-se graduado na Universidade da Florida, na qual participou nos campeonatos de natação, organizados pela NCAA. Actualmente, vive e treina em Gainesville (Florida).

No Campeonato Masculino de Natação e Mergulho da NCAA, realizado em 2006 na Georgia Tech Aquatic Center (em Atlanta), Lochte conquistou títulos em todas as provas individuais nas quais participou, sendo que nos 200 m costas fixou recordes no “U.S Open and American”. Bateu o recorde mais antigo da NCAA nos 400m que pertencia a Tom Dolan e fixou outro no “U.S. Open and American” ao conquistar o tempo mais rápido nos 100m costas individual e nos 4x100m estilos com a equipa Florida Gators.

Na última prova, foi o nadador mais rápido da história do campeonato, conquistando assim o recorde na prova dos 100 m bruços. O registo de recorde na competição dos 100 m costas não foi ultrapassado desde que Lochte bateu o seu. Lochte foi o melhor nadador da sua equipa e terminou o primeiro ciclo na mesma escola. Em 2006, aos 11 anos, bateu a marca no SEC em 100 m bruços, anteriormente pertencente a John Hargis. Depois de fazer o seu último ano na escola, o nadador da equipa Gators conseguiu patrocínio da Speedo, tal como outros praticantes como Katie Hoff e Kate Ziegler. Posteriormente, tornaram-se profissionais.

Carreira profissional recheada de títulos

Lochte estreou-se nos Jogos Olímpicos de Atenas-2004, terminando a prova de 200 m estilos em segundo, marca superada por Michael Phelps. A equipa norte-americana, integrada por Lochte, Michael Phelps, Klete Keller e Peter Vanderkaay, classificou-se para a final dos 4x200 m livres, batendo a equipa australiana e conquistando a medalha de ouro. Pouco tempo depois, no mesmo ano, conquistou a prata nos 200m medley, o bronze nos 200m e o ouro nos 4x200m livres com a selecção americana.

Duas semanas depois, no Campeonato da FINA de Piscinas Curtas, na cidade de Indianápolis, Lochte conquistou títulos mundiais nas mesmas provas que tinha conquistado no Campeonato da NCAA. Venceu duas provas individuais nos 200 m estilos e nos 200 m costas, estabelecendo novos recordes mundiais. Conquistou outro recorde mundial nos 100 m costas e nos 4x100m estilos, tornando-se o primeiro homem a completar a distância em menos de 50 segundos.

Venceu uma terceira medalha de ouro nos 400 m estilos, estabelecendo um novo recorde norte-americano, sendo apontado como o melhor nadador masculino. Em 2007, no Campeonato Mundial de Natação, em Melbourne (Austrália), obteve a sua primeira medalha de ouro individual no Campeonato Mundial de Piscinas Longas, nos 200 m costas, deixando para trás o norte-americano Aaron Peirsol. Arrebatou medalhas de prata nos 100 m costas, 200m, e nos 400m, tornando-se o segundo no ranking de medalhas, superado apenas por Michael Phelps.

Em Junho de 2008, nas eliminatórias para as Olimpíadas, tanto Michael Phelps como Lochte quebraram os recordes mundiais anteriores. Phelps, por ser o vencedor das provas, definiu o novo recorde mundial e Lochte classificou-se nos 200 m livres e costas, obtendo o passe para os Jogos Olímpicos de Pequim-2008. No certame, conquistou a medalha de bronze nos 400 m livres, sendo que Phelps obteve o ouro e o recorde mundial. Em Agosto do mesmo ano, obteve a medalha de ouro nos 200m costas, batendo o recorde mundial. Um ano depois foi eleito o nadador do ano nos Estados Unidos, superando Michael Phelps.