Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Reportagens

Santos Zua prepara jogadores no Interclube

Sardinha Teixeira - 10 de Fevereiro, 2010

Zua ex-jogador do Interclube

Fotografia: Jornal dos Desportos

O treinador considera o projeto uma coisa muito séria. Falando especificamente da implantação de massificação do basquetebol adiantou: "Acredito ser o momento oportuno para entrarmos, todos os técnicos, de cabeça neste projeto. Pelo que vi, tenho a certeza de que agora vamos melhorar. Não podemos perder este momento. Acredito e gostaria de compartilhar com todos a minha confiança de ter um futuro altamente promissor para todos os profissionais que actuam no basquetebol".

O homem forte do Núcleo de basquetebol do Inbterclube no município, adiantou que, "é lógico que um projeto desses "tem que dar certo". Viana vem ganhando espaço para o basquetebol, e devemos ter treinadores sempre atualizados, para contrastar ainda mais com os países que estão a acompanhar esse desenvolvimento e crescimento do basquetebol no mundo.

Na minha opinião, temos excelentes treinadores nos clubes, e seria de grande importancia que todos participem, pois, há uma grande oportunidade para um tipo de "workshop informal" a troca de experiências e sempre favorável para qualquer profissional. Então, está registado o meu total apoio para a iniciativa. Parabéns a todos os envolvidos".

Debruçando-se sobre o espaço de trabalho, defendeu que, "é um espaço em que poderemos trocar ideias sobre basquetebol, e realmente sobre aquilo que nos interessa, coisas relativas aos estudos sobre basquetebol, sem fofoca ou politicagem.  Não falo por mim, que de alguma forma sempre estive empenhado nesta tarefa, mas por todos os que aqui militam, esta talentosa juventude que está a chegar agora e espera com certeza um futuro brilhante como atleta".

Disse também que não crê que exista alguém que queira que este projeto vá por água abaixo, ou que não acredite no seu sucesso, ou ainda que tente atrapalhar, "pois, no fundo, o que atrapalha e muito é a vaidade pessoal".O ex-jogador de basquetebol do Interclube, após uma grande carreira como atleta, abraçou a de treinador. Realiza um excelente trabalho nesta área, à frente do Núcleo.

Santos Zua foi, sem dúvida, enquanto jogador de alta competição, um atleta competente nas selecções nacionais e mesmo dentro do seu clube. Foi duas vezes vice-campeão nacional e uma vez vice-campeão africano de clubes. Esta é uma aposta da direcção do Interclube, que quer aproveitar a experiência do jogador que é referência na modalidade para ajudar os escalões de formação, porque Zua, pelo seu passado, insere-se nesse grupo.

"Dá-me mais prazer defender"

Quando começou a jogar basquetebol?
Comecei a jogar basquetebol aos 7 anos.

Há quanto tempo é treinador?
2 anos

Em quantos clubes já trabalhou?
 Apenas no Interclube.

Porque que escolheu basquetebol e não outro desporto?
Eu só pratiquei basquetebol. Optei pelo basquetebol por ser um jogo de equipa.

O que significa para si o basquetebol?
É um desporto imprevisível. De um momento para o outro, acontece uma reviravolta e tudo muda. É isso que faz com que seja um desporto mágico, além de ser o "meu" desporto e não admitir que ninguém o estrague. Talvez por isso, sou tão exigente com os meus atletas.

Quando jogava na sua equipa, o que sentia quando era substituído?
Podia sentir três coisas. Primeiro, estava a jogar mal e o treinador tirou-me por isso, segundo estava a jogar bem, mas também é preciso os outros jogarem e terceiro, estava cansado e preciso de descansar.

Quando joga basquetebol, gosta mais de defender ou de atacar?
Gosto essencialmente de jogar. Atacar ou defender, é praticamente igual. Gosto de atacar, mas dá-me mais prazer defender.

Já alguma vez teve o jogo nas suas mãos e ter de marcar o cesto para a sua equipa conseguir ganhar e falhar? Se sim, como se sentiu?
Já tive as duas situações, marcar e falhar o cesto decisivo. Quando falho, sinto uma enorme frustração, porque se era eu a decidir foi porque o treinador confiou em mim e falhei. Mas, sempre tive a sorte de ter colegas de equipa que me apoiaram e deram força. Quando se está numa verdadeira equipa, até as coisas difíceis são fáceis de ultrapassar.

Para si, qual foi o escalão que lhe deu mais prazer jogar?
 Foi o escalão de Juniores A. Cresci muito como jogador e principalmente como pessoa. Consegui cumprir o meu papel na equipa.

Porque decidiu ser treinador de basquetebol?
Porque gosto muito da modalidade. Gosto de saber o jogo, estudar o jogo, planear tudo ao pormenor.

Como é a experiência de ser treinador?
 É uma experiência completamente diferente de ser jogador, há mais responsabilidade. Temos de dedicar muito mais tempo à equipa, pensar em tudo o que pode acontecer, seja bom ou mau. Não pode haver imprevistos, tudo tem de estar planeado. Por vezes, demoro duas horas a preparar o treino.

Se pudesse dedicar a sua vida só ao basquetebol, dedicavas? Porquê?
- Claro, sem dúvida. Qualquer treinador sonha ser profissional e eu não fujo à regra. Sei que é difícil, mas ainda sou novo. Tenho que trabalhar muito.

Como é que é para ti treinar?
Para mim, o treino é um momento de alegria, mas também uma grande responsabilidade. Estou a fazer o que mais gosto, mas também tenho de ser rigoroso comigo, para poder ser convosco. Para mim, treinar é deixar a pele dentro do campo, dar tudo o que se tem.

Quem é quem ...
Nome:
Santos Zua
Estado civil: Casado
Natural: Malange
Filhos: 2
Ocupação: Treinador de basquetebol
Sonho: Ver Angola melhor e os seus filhos felizes
O que ganha dá para viver? Sim
Tem carro: Sim
... Casa? Sim
Acredita em forças ocultas? Sim Mas a fé vence tudo
Alguma vez foi aliciado? Não me lembro
Onde passa as férias: Em Angola
Virtude: Cumpridor da minha palavra
Defeito: Duvidoso
Altura: 1, 79 Cm
Peso: 104 Kg
Vício: Trabalhar
Uma boa companhia: a minha esposa
Sabe cozinhar: Sim
Hoobys: Leitura e ver televisão