Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Reportagens

Sebastian Vettel parte na "pole position" do GP da China

18 de Abril, 2010

Sebastian Vettel, no meio de Webber, à esquerda, e Fernando Alonso

Fotografia: Reuters

Sebastian Vettel conquistou a terceira "pole position" em 2010. Ontem, o alemão da Red Bull - pela quarta vez a partir à frente de todos – conseguiu 1min34s558 e deixou para trás Lewis Hamilton, da McLaren, mais rápido durante as duas sessões do treino classificativo para o GP da China e que decepcionou com um sexto lugar. A Red Bull fez ainda o segundo classificado, Mark Webber, que no treino livre do dia já tinha deixado Hamilton e a sua McLaren para trás.

Fernando Alonso, que reparte o segundo lugar do Mundial com Vettel, conseguiu uma boa volta com a sua Ferrari e vai partir em terceiro, ao lado do sempre veloz Nico Rosberg, que superou Michael Schumacher no duelo da Mercedes em quatro posições. Já a McLaren, que era tida como favorita depois dos treinos livres, ficou na terceira fila, com Jenson Button de novo à frente de Lewis Hamilton.

Líder do Mundial, Felipe Massa cometeu um erro e vai largar apenas em sétimo. Rubens Barrichello levou o seu Williams ao limite e quase conseguiu avançar ao Q3, mas ficou em 11º, cinco posições à frente do companheiro de equipa Nico Hulkenberg. Lucas di Grassi, da Virgin, não atingiu a meta de superar os pilotos da Lotus e foi o 22º. Já Bruno Senna acabou em 23º e reclamou muito da Hispania, que mexeu no seu carro sem o consultar antes do treino classificativo.

Confira como ficou
o "grid" de largada


para o GP da China
1 - Sebastian Vettel (ALE / Red Bull) - 1min34s558
2 - Mark Webber (AUS / Red Bull) - 1min34s806
3 - Fernando Alonso (ESP / Ferrari) - 1min34s913
4 - Nico Rosberg (ALE / Mercedes) - 1min34s923
5 - Jenson Button (ING / McLaren) - 1min34s979
6 - Lewis Hamilton (ING / McLaren) - 1min35s034
7 - Felipe Massa (BRA / Ferrari) - 1min35s180
8 - Robert Kubica (POL / Renault) - 1min35s364
9 - Michael Schumacher (ALE / Mercedes) - 1min35s646
10 - Adrian Sutil (ALE / Force India) - 1min35s963
11 - Rubens Barrichello (BRA / Williams) - 1min35s748
12 - Jaime Alguersuari (ESP / Toro Rosso) - 1min36s047
13 - Sebastien Buemi (SUI / Toro Rosso) - 1min36s149
14 - Vitaly Petrov (RUS / Renault) - 1min36s311
15 - Kamui Kobayashi (JAP / Sauber) - 1min36s422
16 - Nico Hulkenberg (ALE / Williams) - 1min36s647
17 - Pedro de la Rosa (ESP / Sauber) - 1min37s020
18 - Vitantonio Liuzzi (ITA / Force India) - 1min37s161
19 - Timo Glock (ALE / Virgin) - 1min39s278
20 - Jarno Trulli (ITA / Lotus) - 1min39s399
21 - Heikki Kovalainen (FIN / Lotus) - 1min39s520
22 - Lucas di Grassi (BRA / Virgin) - 1min39s783
23 - Bruno Senna (BRA /Hispania) - 1min40s469
24 - Karun Chandhok (IND / Hispania) - 1min40s578

Pilotos pedem punição a Hamilton

Os pilotos de Fórmula 1 pediram ao director de corridas da Federação Internacional de Automobilismo (FIA), Charlie Whiting, para punir com um "drive-through" os competidores que mudarem de trajetória mais de uma vez para defenderem as suas posições, conforme prevê o regulamento.  No encontro com o diretor de corridas, realizado tradicionalmente na tarde de sexta-feira, o britânico Lewis Hamilton serviu como exemplo. No Grande Prémio da Malásia, o piloto da McLaren balançou à frente da Renault do russo Vitaly Petrov, mas recebeu apenas uma advertência.

"A maioria dos pilotos acha que, independentemente  se é o Lewis ou qualquer outro, não deve fazer isso. Se alguém fizer, o Charlie não deve dar uma advertência, mas sim uma penalidade’ para que todos não façamos. Nós não queremos um cartão amarelo, preferimos o vermelho", disse o italiano Jarno Trulli, da Lotus, ao site Autosport.

De acordo com o experiente piloto, a reivindicação encampada pela maioria dos pilotos foi bem recebida pelo director de corridas da FIA. "Acho que Charlie entendeu a mensagem e está feliz com isso. É apenas um esclarecimento do regulamento", afirmou o italiano. A citação ao britânico da McLaren não significa que os demais competidores estão contra ele, declarou Trulli. "Ele foi um exemplo do que os pilotos não querem. No futuro, queremos que todos saibam claramente o que podem fazer".

Alonso é o melhor
na actualidade para Fittipaldi

Para Emerson Fittipaldi, nem o brasileiro Felipe Massa e o hep-tacampeão Michael Schumacher vivem um momento bom como o piloto Fernando Alonso. Em entrevista exclusiva ao TV Terra Esportes, Fittipaldi disse que o espanhol tem mostrado ser o melhor piloto da categoria actualmente, mas também aponta Massa na luta pelo título da temporada 2010.

"Sinto que o Fernando é hoje o piloto mais completo por tudo o que tem feito, pela dinâmica e consciência que apresenta nas corridas", disse Fittipaldi, que também destacou a boa fase vivida pelo brasileiro, actual líder da F1. "O Felipe Massa está na melhor fase da carreira. Tenho acompanhado a evolução, a actuação espetacular no Bahrein e tenho a certeza que ele estará ao lado do Fernando até o fim", afirmou.

Questionado sobre possíveis semelhanças entre o seu estilo de pilotagem nos anos 70, quando foi bi-campeão, e o de Alonso, o brasileiro concordou em alguns aspectos. "Cada piloto tem um estilo próprio, mesmo que exista semelhança. Ele acerta bem o carro e faz corridas inteligentes, o que também fazia, mas nós temos algumas características particulares", analisou.

Fittipaldi também comentou a disputa interna vivida na Ferrari, representada pelos fortes candidatos ao título, Felipe Massa e Fernando Alonso. "Há sempre um lado bom e um lado mau de haver dois pilotos de alto nível numa equipa. O lado bom é que os dois elevam o nível da equipa, todos se empenham de forma diferente, vão a um nível mais alto. O lado mau é que começam a dividir os pontos no campeonato e isso pode atrapalhar.

O autódromo mais caro da história

O primeiro Grande Prémio da China aconteceu a 26 de Setembro de 2004, com a vitória do brasileiro Rubens Barrichello e o segundo a 16 de Outubro de 2005, com a vitória de Fernando Alonso. Na última prova, disputada a 19 de Abril de 2009, Sebastian Vettel foi vencedor.O Circuito Internacional de Xanghai fica em Xangai, República Popular da China, e é o autódromo mais caro da história, ao custar 240 milhões de dólares para a sua construção.

O Grande Prémio da China será disputado mais uma vez no circuito de Xangai, que está localizado numa das maiores áreas metropolitanas do mundo, com mais de 20 milhões de habitantes. Além disso, o autódromo tem capacidade para 200.000 espectadores, 29.000 deles na grande tribuna. Proprietária do circuito, a prefeitura de Xangai não poupou meios ao investir 300 milhões de dólares para transformar terrenos pantanosos da periferia oeste da cidade num circuito, cujos organizadores afirmam que é o mais moderno da temporada da Fórmula 1.

O desenho do traçado de 5,45 quilómetros, criado pelo asséptico arquitecto alemão Hermann Tilke, remete a forma da palavra chinesa "shang", que significa "alto" e que forma o primeiro dos dois ideogramas do nome Xangai. Com uma mistura de curvas lentas e rápidas, entremeadas por duas longas rectas – uma delas com 1175 metros, a pista apresenta dezenas de opções de acerto para os carros, que são influenciados também pela variação climática e pela poluição do ar.

A média de velocidade gira a volta de 205km/h, e a pista é percorrida no sentido horário. Das seis provas já realizadas em Xangai, três foram disputadas com pista molhada. Mesmo a 40 km  do centro da cidade, as péssimas condições de tráfego fazem com que esta corrida seja a de translado mais demorado entre pista e hotel, para desespero de Bernie Ecclestone.

Inicialmente, o chefe da FOM encontrou no país mais povoado do mundo uma boa oportunidade para os patrocinadores, atraídos por um imenso mercado. Nas seis corridas disputadas anteriormente, tivemos seis vencedores diferentes. A Ferrari ainda é a equipa que mais venceu na China, com 3 vitórias. Renault, McLaren e Red Bull possuem uma vitória cada. Entre os motores, a Ferrari venceu 3 vezes, a Renault duas e a Mercedes uma.

Opiniões

"Será uma corrida a três", diz Mark Webber
Mark Webber, que apesar de não excluir para já, definitivamente, a Mercedes da luta pelas vitórias, é de opinião que a corrida da China será disputada a três: "Penso que a Ferrari e a McLaren estão muito fortes, e connosco são claramente as equipas do momento, embora a Mercedes não esteja mal. Temos de aproveitar o momento, pois recuperámos bem de dois fins-de-semana maus por que passamos", referiu.

Kamui Kobayashi
“Estou muito animado para correr em Xangai pela primeira vez. Em 2008 corri, mas para o GP2 Ásia. Fui o segundo na grela de partida e fiz a melhor volta. O circuito é muito bonito e as arquibancadas são realmente impressionantes. Sinto que as coisas serão difíceis para nós em Xangai. Gosto de correr na Ásia, e como o Japão não é muito longe, costumo ver mais compatriotas lá do que na Europa".

Jenson Button
"No ano passado eles mudaram a corrida do fim para o começo do ano, e o fim-de-semana foi um pouco mais frio e molhado que quando estive lá. A previsão do tempo não aponta algo diferente para esse ano. No entanto, é uma pista que gosto: é um típico circuito moderno - que tem uma verdadeira mistura de curvas, mas consegue combinar algumas secções técnicas e precisas, com algumas curvas rápidas e longas rectas. É um circuito para bons pilotos e beneficia os carros bem equilibrados".

Rubens Barrichello
"Ganhei a primeira corrida em Xangai, o que é algo muito especial. Vou sempre lembrar-me dessa vitória, pois faz-me pensar que posso sempre repetir. O circuito tem uma boa combinação de curvas e longas rectas no fim da volta que são perfeitas para ultrapassagens. O carro exige mais força aerodinâmica do que mecânica para se encaixar uma volta rápida, mas uma mistura exacta dos dois é sempre difícil de achar", revelou.

Vencedores 
do GP da China


Ano Piloto 
2009 Sebastian Vettel 
2008 Lewis Hamilton
2007 Kimi Räikkönen
2006 Michael Schumacher
2005 Fernando Alonso
2004 Rubens Barrichello