Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Reportagens

Seis vezes internacional pelos Palancas Negras

Augusto Fernandes - 06 de Outubro, 2009

Seis vezes internacional pelos Palancas Negras

Fotografia: Jornal dos Desportos

N´disso começou a jogar futebol muito cedo no seu bairro, mas foi no Grupo Desportivo da TAAG, onde já jogava o seu irmão mais velho, e na época treinado pelo inesquecível Chico Ventura, onde ele tentou a sua primeira aparição no mundo  futebolístico.  Ele conta que, "  o Mister Chico Ventura, reprovou-me porque naltura eu era muito franzino, apesar de ser habilidoso,  e acho que ele queria proteger a minha integridade física",.  Dispensado da TAAG, N´disso, foi treinar-se numa escola de futebol treinada por Joaquim Diniz, no Âmbito de um programa do Governo para a massificarão do futebol jovem.
Em 1977, N’disso, entrou para o mundo do futebol federado ao ser convidado por um amigo para jogar no Benfica de Luanda, já como júnior, onde jogou por duas épocas, em companhia de Manuel Martins, Noberto de Castro, Chiquinho,  Mendes, Nicolau entre outros, onde foi treinado por Milton Kilandomoko e Mister Gomes. Posteriormente passou para o Nelito Soares, na época orientado tecnicamente por Beto Miau e Tchito, tendo jogado por  apenas uma época.
Em 1980, já como sénior, a convite de seu amigo Dum,  passou para o Futebol Clube de  Luanda, onde  encontrou o Inácio, Zé Carlos, Vasco, Veloso, Jeremias, João Paulo,  e outros , tendo actuado por quatro épocas e disputou vários provinciais e um nacional da segunda divisão.
Em 1983, teve uma breve passagem pelo Inter de Luanda, que só não foi consumada porque o Luanda ainda era o dono da sua carta. Assim, teve de regressar ao Luanda. Em 1985, o olho clínico de Armandinho, antigo dirigente do Ferroviário da Huila, descubriu o N’disso, e em companhia de Salvador e Minguito rumaram para a cidade do Cristo Rei, Lubango e representaram a equipa dos  Caminhos  de Ferro de Moçamedes, na época treinada por Damião Pinto e encontrou jogadores como, Raimundo, Canhoto, Miguel, Manú, Jonas, os Manos Jaburú e Mavó. Com o Ferroviário da Huila, N´disso, ganhou uma Taça de Angola em 1985. Em 1987 por ter sido finalista vencido e porque o campeão nacional (o Petro de Luanda havia feito a dobradinha) participou pela segunda vez na Taça CAF tendo chegado aos quartos de finais.
A nível do Girabola a sua melhor classificação com o Ferroviário, foi o terceiro alcançado em 1987. N’disso jogou três épocas pelo Ferroviario da Huila e além de Damião Pinto, foi pupilo de Nina Serrana, Rui Rodrigues e David Sousa.
No final do ano de 1988, N’disso foi surpreendido por uma técnica que 1º de Agosto usava para " surrupiar" os jogadores militares ou em idade militar que fossem bons, para si. N’disso conta-nos: certo dia, e como eu era militar, cheguei ao quartel e disseram-me: foste transferido para Luanda. Peguei em mim e vim para Luanda e automaticamente vinculei-me ao1º de Agosto onde joguei por nove épocas e ganhei três campeonatos nacionais, 3 Taças de Angola e duas Super Taças. Fiz vários jogos a nível das Taças dos Campeões e Taça das Taças Africanas e o que mais me marcou foi o jogo contra o AS Sogara do Gabão porque marquei os dois golos da vitória e no dia do meu aniversário”.
N’disso foi Internacional pelos Palancas Negras por seis vezes, e jogou com Nelo Bumba, Amaral Aleixo, Russo, Ivo, Ntomas, Paulão, PauloTomás, Rosário, Luisinho, Kissi, Lucio entre outros e era um jogador polivalente. Era adaptado a defesa central, meio campo e a ponta de lança que era o seu forte. N’disso diz que o defesa que mais lhe marcou foi o “miudo “Chico do Petro de Luanda e os guardes foram o Kanka(do ASA) e o Lucio do Petro.
Os adversários mais fortes para ele eram o Petro de Luanda e o  do Huambo, Mambroa e o ASA. Quanto a participação de Angola no CAN em 2010, N’disso é da opinião que, atendendo ao factor casa acredita que Angola venha a fazer boa figura e ficar entre as quatro melhores selecções do CAN. Actualmente N’disso é treinador principal  dos juvenis do 1º de Agosto e vive no projecto Nova Vida, em Luanda, e deixou de jogar futebol oficialmente em 1997.

Altos & Baixos

O primeiro título
O momento mais alegre da minha vida como futebolista foi quando ganhei o primeiro campeonato nacional com o 1º de Agosto em 1991, na companhia de Manuel Martins, Ivo, Russo, Kissy, Moisés I, Neto, Hélder Vicente, Bolefo, Fuidimau, Mwanza, Chico Dinis, Hélder, Mandinho, Rabolé, Merodak, Moni, Pena, Zacarias, Arsénio, Teofilo e tantos outros.

Adeus campeonato
O momento mais triste da minha vida como futebolista foi quando perdi o campeonato em 1990 depois de estarmos a liderar o campeonato desde o início e perdemo-lo nas ultimas três jornadas.

 Por dentro

Nome completo:
João Ndisso Manuel
Filiação: Lino Manuel
e de Josefa Manuel Martins
Data de nascimento:
05 de Abril de 1960
Naturalidade: Luanda
Estado civil: Casado com Josefa Caetano Bravo da Rosa
Filhos: 05
Casa própria: Sim
Carro: Sim
Filmes: Acção
Bebida: Não faço uso de álcool
Prato: Massa com bacalhau
Altura: 1,81m
Calçado: 43
Posição em jogou: Ponta de lança
Musica: Semba
Clube do coração: 1º de Agosto
Cor : Vermelha
Religião: Tocoista
Cidade angolana: Lubango
Pais: Alemanha
Defeito: Deixo a critério
de outros
Virtude: Sinceridade
Hablitações literárias: 8ª classe
Sonho: Ser campeão nacional pelo 1º de Agosto como
treinador