Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Reportagens

Selecção Escolar de Sub-17 pronta para Copa Coca-Cola

Avelino Umba - 02 de Junho, 2010

Angola estreia hoje na Copa Coca-Cola, do Campeonato do Mundo de Futebol´2010 na cidade de Joanesburgo, África do Sul

Fotografia: Nuno Flash

Em nome do país, os estudantes angolanos exibem as qualidades que os torna diferente no mundo, no torneio mais apetecível. Dezasseis jogadores com idades compreendidas entre os 13 e 17 anos de idade, provenientes das escolas dos municípios da província de Luanda, integram na Selecção Escolar de Sub-17. Para brindar a estreia, realizou-se um cocktail de despedida no restaurante Mãe Mena, localizado no Estádio da Cidadela Desportiva, no último sábado, promovido pela empresa Jodisa Lda, em nome da multinacional norte-americana Coca-Cola. Estiveram na cerimónia individualidades ligadas à política e ao desporto, das quais as personalidades mais sonantes destacam-se a Vice-Ministra da Educação Ana Paula Inês e o Director Nacional dos Desportos Raimundo Ricardo.Os jovens angolanos foram incentivados pelos dirigentes desportivos e empresariais a obter resultados positivos e dignifiquem o nome da competição e do país que representa.Zola Miranda, representante da Coca-Cola, desejou-lhes boa sorte na competição que vai reunir muitas nações africanas."Um dos grandes objectivos é incentivar o estilo de vida activa de jovens nas escolas e aproveito para anunciar que a Copa Coca-Cola 2010 já é uma realidade.Vamos realizar o compromisso no fim-de-ano, em Luanda, e, progressivamente, expandi-la-emos nas províncias", disse Zola Miranda que acrescentou:"É algo que tive de mencionar e discutir com a Vice-Ministra da Educação Ana Paula Inês no sentido de colaborar e encontrar um vencedor da Copa Coca-Cola em cada uma das províncias do país num futuro breve".Aos jogadores angolanos e representantes do país na Copa Coca-Cola, Zola Miranda disse-lhes para que acreditassem nos seus sonhos e que já são vencedores por estarem presentes num evento que muitos outros gostariam também de estar e fazer parte desta selecção e representar condignamente o país na África do Sul. Para finalizar,Zola Miranda fez lembrar que a missão da Coca-Cola é de refrescar o mundo e inspirar momentos de optimismo, felicidade e criar valores que façam a diferença. E essa missão está fortemente patente e articulada na Copa Coca-Cola que com esse programa desportivo acredita afectar positivamente os jovens no"nosso país", sobretudo,as gerações vindouras.Durante a competição, os jogadores angolanos vão participar de várias actividades desportivas e didácticas. Para incentivá-los ao gosto do futebol, os jovens estudantes vão assistir ao vivo uma das partidas do Campeonato do Mundo e interagir com várias equipas de África.Para coroar de êxito, José Kilamba e pupilos estagiaram na cidade alta da Chela, Huíla, durante 14 dias.O teste de fogo foi realizado no campo ex-RI 20, diante do Misto de Luanda, cujo resultado terminou em empate a um golo. É de recordar que a Coca-Cola e o Ministério da Educação deram início ao torneio Copa Coca-Cola a 12 de Setembro de 2009 que envolveu 16 escolas da província de Luanda, tendo resultado em 32 jogos e mais de 50 golos marcados.A realização da Copa Coca-Cola tem como objectivo a descoberta de melhores talentos do desporto escolar. Optimismo angolano O técnico principal da Selecção Nacional Escolar de Sub-17 em futebol masculino, José Kilamba, disse que se tirou algum aproveito do estágio realizado na cidade de Lubango, porquanto foram realizados cerca de trinta treinos em sessões bi-diárias, simultaneamente, que permitiu formar uma equipa mais ou menos adequada à competição. O grupo é novo e, sendo o primeiro contacto com o mesmo na cidade de Lubango, possibilitou observar e fazer com que tivessem uma preparação adequada."A preparação decorreu da melhor maneira possível, uma vez que não tivemos problemas de lesões, apenas há a lamentar alguns problemas de saúde a dois jogadores que se manifestaram no dia de regresso a Luanda", disse Kilamba. O treinador angolano está esperançado na recuperação dos atletas, pois pode estar relacionado a mudanças de climas. "Estamos todos imbuídos no sentido de ultrapassarmos esta situação e que nada de anormal lhes aconteça de maneiras que estejamos todos preparados para a actividade que nos espera", ressalvou.Na cidade de Lubango, os angolanos fizeram três jogos de preparação, dos quais venceram dois e perderam um e que serviu para rastrear o número de seleccionáveis. A título de exemplo, Kilamba disse que inicialmente tiveram nove avançados, o que constituía empecilho na formação da equipa. "Nesse momento, estamos mais ou menos equilibrados e a tentar compreender aquilo que são os fenómenos dos jogos, pois queremos encontrar uma linguagem comum para o bem do nosso desporto", disse. Kilamba alerta os jovens futebolistas “no sentido de terem todas as forças necessárias para levar o bom-nome do país ao mais alto nível em consonância do lema criado para os jogos: "Jogar para vencer". Director Nacional encoraja o grupo O Director Nacional dos Desportos, Raimundo Ricardo, pediu aos jovens, que vão evoluir nas terras de Nelson Mandela, África do Sul, no torneio promovido pela marca mais consumida do mundo, Coca-Cola, e em representação do Estado angolano, que a missão da direcção que dirige enquanto dinamizador do desporto em Angola é, acima de tudo, levá-los à conquista de grandes feitos da alta competição (também chamado de alto rendimento), para aquilo que é a maior embaixada de Angola no exterior: o desporto."Sinto-me feliz por ver a marca Coca-Cola preocupada também com a juventude angolana e acredito que é uma questão de tempo para que esta marca também se firme na área social em Angola. Assim sendo, peço aos jovens que vão para a África do Sul, para além de marca Coca-Cola, estão a levar a responsabilidade de representar a imagem de Angola e que todo o vosso gesto estará em causa o país chamado Angola", disse o dirigente.Raimundo Ricardo alertou os jovens por assumirem a responsabilidade de "nossos representantes", razão pelo qual se espera que "tragam alegria aos angolanos, pois para mantermos este patrocínio com a marca Coca-Cola, vocês devem determinar aquilo que vai ser o dia seguinte para os próximos. E isso digo que queria ficar no vosso lugar. Quando vim conhecer o mar pela primeira vez foi através do desporto escolar", encorajou-os. Regozijo entre os jovens Manveia David é jogador da Selecção Escolar de Sub-17, lateral esquerdo e tem 17 anos. Diz sentir-se feliz pelo facto de se tratar de uma oportunidade que não aparece sempre. "Temos uma missão por cumprir na África do Sul que coincidente com o Campeonato do Mundo", disse o jovem. Manveia David disse ainda que vão ter a oportunidade de ver ao vivo uma partida do Mundial que "será muito bom" para os jogadores que procuram despontar. O jovem futebolista angolano lamenta a ausência do futebolista brasileiro Ronaldinho Gaúcho, o seu ídolo incontestável, por não ter sido convocado. "Estarei conformado por saber que Ronaldinho Gaúcho não estará presente", disse Samuel Mateus é lateral direito, mora no município do Cacuaco, no bairro da Ecocampo e foi escolhido pelo Politécnico do Cacuaco. Tem 17 anos de idade e espera fazer boa competição. Vice-Ministra enalteceefeitos da Coca-Cola "A Coca-Cola está empenhada num processo muito importante não só para os praticantes de desporto em geral e futebol em particular, mas sim para toda a sociedade angolana". A afirmação é da Vice-Ministra da Educação Ana Paula Inês, quando falava na despedida da Selecção Escolar de Sub-17 em Futebol masculino que partiu no último domingo para África do Sul, palco da Copa Coca-Cola.A governante angolana reconheceu o espaço restrito a que está implementada a competição em Angola. "Infelizmente ainda não é possível chegar a todas províncias do país, mas o importante é que houve o início, o que de certa forma esperamos que o processo seja abrangente às demais províncias do país", disse.Aos jovens atletas, Ana Paula Inês incutiu a responsabilidade de levar a bandeira nacional. "Para vocês, além de representar Angola também vão representar a comunidades escolar do país, razão pela qual, pesa sobre os vossos ombros a responsabilidade de ir à África do Sul não para fazer vaidade, não apenas para conhecer a África do Sul, mas sim para trazerem a vaidade de Angola, o orgulho do país. Isso passa por ganhar e trazer a taça da Copa Coca-Cola”, rematou a governante. Breve história A Copa Coca-Cola iniciou no México em 1998 e é um torneio para jovens com idades compreendidas entre os 13 e 17 anos de idade, cujo objectivo maior é desencantar os talentos jogadores de futebol. Em África, a Copa Coca-Cola já foi realizada no Quénia, Uganda, Tanzânia, Etiópia, Moçambique, Zâmbia, Zimbábue, Malawi, Botswana, Namíbia, Ruanda, Congo Democrático, Suazilândia, Nigéria e em 2010 está reservada a África do Sul, Lesotho, Madagáscar, Ilhas Maurícias e Burundi que vai realizar pela primeira vez. Fora de continente africano, a Europa, Ásia e América Latina também realizam a Copa Coca-Cola.A Copa Coca-Cola está dedicada a trabalhar com os governos e com as Federações de Futebol para torná-la num dos eventos desportivos durante o calendário anual. Para Zola Miranda, a presença de membros do governo na despedida dos representantes angolanos mostra a boa vontade que recebe das instituições governamentais para tornar a Copa Coca-Cola numa realidade. A dinâmica entre o futebol e a Coca-Cola, a marca mais popular do mundo, já vem de algum tempo, sendo tradicionalmente ricos os apoios nos desportos como patrocinador dos Jogos Olímpicos desde 1928 e do Campeonato do Mundo desde 1930. É também um dos parceiros institucionais mais antigos da Fifa. Assim sendo, a Copa Coca-Cola demonstra um interesse de apoio contínuo da empresa no desporto e compromisso de cultivar potencial futebolístico nas escolas.Última horaA Selecção Escolar de Sub-17 pode ter a sua estreia comprometida na Copa Coca-Cola, em virtude de falta de vistos para a África do Sul, palco da competição. Até à tarde de ontem, a delegação angolana vivia dificuldades para a obtenção de vistos junto da embaixada sul-africana. A direcção da Coca-Cola pede apoio das entidades angolanas no sentido de intervirem junto da representação do governo do presidente Jacob Zuma na facilitação de vistos aos jovens futebolistas angolanos. O “Jornal dos Desportos” apurou que se até quinta-feira não houver a obtenção de vistos a viagem estará abortada, para o desagrado de todos os integrantes da caravana e do comité de organização local.