Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Reportagens

Sorte prepara

30 de Outubro, 2009

Sorte começou a jogar futebol em 1992/93 nos Águias Brancas da Mabor, como defesa central ou a lateral direito. Jogou nessa equipa por três épocas, em companhia de Papen e Vicy. Em 1995/96, transferiu-se para o Futebol Clube de Luanda como juvenil e jogou ali duas épocas. Passando a júnior, actuou também por duas épocas, em companhia de Careca, Man-pé, Milebra e Bassi.
Com o Luanda, Sorte ganhou apenas um torneio alusivo à cidade de Luanda. As suas habilidades como futebolista foram notadas por um olheiro do Sagrada Esperança da Lunda-Norte, que contactou a direcção do Luanda, a qual inviabilizou o processo por cobrar um preço muito alto.
E como um azar nunca vem só, nesse mesmo período, Sorte contraiu uma doença que o impossibilitou de continuar a carreira como futebolista. “ Na época, tinha apenas 19 anos”, conta Sorte, com tristeza.
Mas, como o sangue de futebolista lhe corria nas veias, o homem não ficou parado. Passou a organizar alguns miúdos do seu bairro e foi realizando alguns “trumunus” para ajudar os rapazes a ocuparem os seu tempos livres, e assim foi contactado para ser treinador do Colégio Futebol Clube, que viria a vencer o torneio da COAL, disputado por oito equipas, no campo do INEF.
Após esse torneio, o número de jovens praticantes aumentou vertiginosamente. “Nós treinávamos os iniciados e os infantis. Os mais crescidinhos, juvenis e juniores, eram encaminhados para o Petro de Luanda”, refere.
Sorte acrescenta que, face ao número de praticantes, foram obrigados a criar um núcleo de formação no bairro, que colocaram à disposição do Petro de Luanda.
Em 2001, “ eu, o Adinho, Suzanito, Mauro e o Chorão, que fomos os mentores da ideia da criação do núcleo do Petro no bairro, fomos convidados a fazer um clinic no Catetão, com instrutores chilenos, durante 45 dias, a fim de aumentarmos os nossos conhecimentos de treinamento desportivo. No fim do curso, eu e o Adinho ficamos nas camadas jovens do Petro”, disse.
Depois do clinic com os chilenos, Sorte foi convidado a fazer um curso de nível I na Federação Angolana de Futebol e, a seguir, foi submetido a um novo curso no Cruzeiro do Brasil, durante 25 dias. De volta das terras do Samba, Sorte foi novamente colocado nos iniciados do Petro de Luanda, como adjunto de Hamlet Campos. Entre os jogadores que passaram pelas mãos de Sorte, destacam-se, entre outros que já estão nos seniores, o Day-Day, Dany, Miguel, Bwá (a jogar no Santos), Lau, Kembwa, Debel (ambos do Académica do Soyo) e Filipe (do Desportivo da Huíla).
Sorte diz que o seu maior sonho, como treinador de futebol, é atingir a equipa principal do Petro de Luanda e treinar os Palancas Negras. Actualmente, é treinador principal dos iniciados do clube do Eixo-Viário.
Com relação às possibilidades de Angola no CAN’2010, Sorte defender que todos devem fazer a sua parte para o êxito dos Palancas Negras, e considera que Manuel José por tudo o que tem estado a fazer pelos Palancas Negras parece ser o homem ideal para o cargo.

 Dentro

Nome completo:
João Mafuani Ndossa
Filiação: Daniel Mankueno
e Sara Teresa Daniel
Data de nascimento:
21 de Maio de 1979
Naturalidade: Luanda
Estado civil: Solteiro
Filhos: 3
Casa própria: Sim
Carro: Não
Altura: 1,77m
Calçado: 43
Perfume: Boss
Filmes: Animação
Bebida: Sumos
Prato: Fungi de calulú
Hooby: Ler e ver jogos pela TV
Cor: Branca
Politica: Não
Religião: Bom Deus
Poligamia: Contra
É ciumento: Um pouco
Defeito: Deixo a critério
de outros
Virtude: Ajudar o próximo
Pessoas de que mais gosta:
Os meus pais e a minha esposa