Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Reportagens

Sporting do Bi desenvolve projecto de revitalizao do basquetebol

Jos Chaves, no Kuito - 20 de Maio, 2010

Petizes mostram vontade de aprender o basquetebol

Fotografia: Jos Chaves

O projecto de revitalização do basquetebol desenvolvido pelo Sporting Clube Petróleos do Bié envolve 80 rapazes e raparigas, com idades entre 10 e 15 anos, de várias escolas do I e II Ciclo do Ensino Primário e Secundário, estão engajados no projecto.

O mesmo decorre há sete meses e é patrocinado pela  empresa petrolífera multinacional Total-Angola EP, principal patrocinador do clube.Nesta primeira fase, a escola de formação de basquetebolistas contempla apenas atletas da categoria de iniciados e juvenis, sendo 40 do sexo feminino e igual número de masculino. É no mítico Pavilhão Gimnodesportivo do Sporting do Bié onde os petizes realizam os treinos, de segunda à sexta-feira, em sessões bi-diárias. No período matinal, o preparo acontece entre as 7 e as 9h00, enquanto à tarde, é das 17 às 19.

Príncipe Paulo Eduardo, seleccionador adjunto masculino de sub-19 é o coordenador do projecto. Ele trabalha arduamente com o objectivo de formar novos basquetebolistas em pouco tempo. Avança que o seu trabalho visa, essencialmente, garantir o futuro da modalidade na província."Estamos a trabalhar para garantir o futuro do basquetebol, não só do Sporting, mas em toda a província", afirma o técnico, acrescentando que "a adesão de crianças é satisfatória"."Não temos capacidade para receber várias crianças.

Estamos a trabalhar apenas com o número estipulado pela direcção do clube. As condições de trabalho postas à sua disposição são aceitáveis", refere. O técnico garante que o Pavilhão do Sporting do Bié possui condições apropriadas para a prática do basquetebol, pois, a seu ver, "é uma estrutura de dar inveja a muitas equipas que competem no campeonato nacional".

"Em termos de material desportivo, estamos bem servidos, na medida em que temos bolas, camisolas, calções e  sapatilhas. Neste aspecto, nada temos a nos queixar", completa. Por outro lado, o treinador diz que a maioria dos petizes que aprendem o "ABC" do basquetebol são provenientes de escolas onde já se praticavam a modalidade o que torna o processo de aprendizagem mais facilitado.

Massificação prioriza escolas

O coordenador e treinador das escolas de formação de basquetebolistas do Sporting Clube do Bié, Príncipe Paulo, considera importante a colocação de crianças do Primeiro Ciclo do Ensino de toda a província em escolas de basquetebol para garantir o futuro da modalidade na província."A prioridade é colocar as crianças da província a aprenderem o basquetebol a partir das escolas públicas. Esta será certamente uma das soluções.Depois, as crianças serão levadas aos clubes", explica.

O técnico adianta que, para a efectivação do projecto, é necessário ter em conta alguns aspectos inerentes à prática do basquetebol, como a criação de infra-estruturas, sobretudo quadras de jogos, para se estender a prática a todas as crianças. Um segundo aspecto está relacionado à formação de treinadores, na medida em que é necessário que haja um bom número destes para que se trabalhar seriamente na massificação. Para Príncipe, se factores como infra-estruturas, formação dos técnicos e a dinâmica administrativa funcionarem, a província vai colher frutos nos próximos cinco ou dez anos.

Em busca da mística do passado

O Sporting Clube do Bié pretende resgatar a mística do passado na classe feminina, referiu Carlos Manuel, secretário-geral do clube."O Sporting era considerado o viveiro do basquetebol feminino. Vamos lutar para resgatar esse estatuto. Durante a década de 80, o nosso clube participava em todas as competições realizadas pela Federação Angolana de Basquetebol, principalmente na classe feminina, e sempre conseguimos subir ao pódio".Carlos Manuel disse acreditar que, em pouco tempo, o clube vai poder ombrear com as equipas mais cotadas da "bola ao cesto" nacional, sobretudo na classe feminina.

"Este projecto visa, essencialmente, formar atletas do sexo feminino, classe que corre o risco de desaparecer no país.Queremos revitalizar a classe no Centro-Sul de Angola, onde a modalidade tinha grande aderência", explica.O secretário-geral dos "leões" do Bié estima que, em quatro anos, período da primeira fase, a agremiação forme 400 atletas, uma média de 100 por ano, para depois competir em iniciados, em juvenis, em juniores e seniores, em ambos os sexos.

Associação provincial apoia iniciativa

A Associação de Basquetebol do Bié contribui para a massificação e expansão da modalidade na província, através da implementação de um projecto de formação e acompanhamento de novos praticantes, que beneficia mais de 70 petizes nos escalões de iniciados, em ambos os sexos. Enquadrado no pacote de actividades para o quadriénio 2009/2012 da referida Associação, o mesmo visa transformar a província num pólo de desenvolvimento e prática do basquetebol, apurou a nossa reportagem junto de uma fonte ligada àquele órgão.Para atingir os resultados pretendidos, a fonte assegurou que a Associação conta com a pareceria dos principais clubes da província, principalmente do Sporting, já engajado na massificação.

A Associação conta, também, com a ajuda do governo provincial, no âmbito do movimento da massificação desportiva.
Com esta aposta, Associação do Bié pretende, igualmente, garantir uma base de sustentabilidade para o futuro da modalidade na província. A decorrer há seis meses, o mesmo visa levar o basquetebol aos nove municípios do Bié. Actualmente, o órgão que rege o basquetebol na província tem a sua atenção virada para os municípios do Kuito, Kamacupa e Andulo. Ainda no âmbito na revitalização da modalidade, a Associação local pretende realizar o Campeonato Provincial de Basquetebol em Agosto próximo, no qual pensa incluir equipas do interior da província.

Número de técnicos
é muito reduzido


Apenas dois técnicos trabalham no processo de revitalização e massificação do basquetebol no Sporting Clube do Bié, a tarefa atendendo ao número de alunos."É notório o fluxo de crianças que querem aderir à prática do basquetebol.Com o evoluir das coisas, torna-se necessário mobilizar mais pessoas para darem formação a novos técnicos", prognostica, lamentando a falta de um preparador físico."Vamos sugerir à direcção a apostar no reforço dos planos de formação dos treinadores do clube".

Regresso aos "nacionais"
pode estar para breve


O Sporting Clube do Bié pretende voltar aos campeonatos nacionais de basquetebol ainda este ano. Para já, a meta é participar nos "nacionais" de juvenis, em ambas as classes, depois de muitos anos longe da competição.Para o efeito, a equipa realiza uma preparação afincada, com maior incidência em aspectos como a velocidade, a capacidade de reacção ao ritmo de jogo e, sobretudo, ao sistema de defesa e/ou ataque.

Príncipe Paulo intensifica os treinos, mas diminui as cargas físicas, no que toca ao volume e força, privilegiando a capacidade de resposta, com variações de ritmo e de espaço, ora reduzindo ora aumentando a pressão, sempre na tentativa de estimular a velocidade e o chamado vai-vem feito pelos jogadores. A par dos treinos, o conjunto bieno realiza, de quando em vez, jogos amistosos com equipas da vizinha província do Huambo, o que contribui para o melhoramento do ritmo competitivo da mesma.

Projecto visa ocupar
tempos livres dos jovens


O projecto de formação do Sporting do Bié visa, também, ocupar os tempos livres dos jovens da cidade do Kuito, já que no seu cronograma, a direcção do clube obriga e ajuda as crianças a serem inseridas no sistema normal de educação, numa parceria estabelecida com os pais das mesmas. O coordenador e treinador das escolas de formação de basquetebolistas do Sporting do Bié, Príncipe Paulo afirmou que todos os atletas inscritos nas escolas de formação do clube frequentam as escolas públicas e estão proibidos de reprovar, pois caso isso aconteça, são excluídos do projecto. A direcção do Sporting pretende igualmente maior rentabilidade nas acções de formação do basquetebol de alta competição, num espaço de curto a médio prazo, redinamizar as intervenções nas camadas de formação e conferir maior dinamismo ao escalão de seniores, em ambas as classes.

Adeptos satisfeitos

Os adeptos da "bola ao cesto" da cidade do Kuito estão contentes com a massificação implementada na província. Teresa Suzana, adepta ferrenha do basquetebol, diz estar contente com a iniciativa do Sporting em revitalizar e massificar o basquetebol na província, onde por sinal a modalidade é tradicional. "Apelo a outros clubes locais a seguirem este exemplo para o Bié resgatar a mística que tinha", apela.Ana Domingos, residente na cidade do Kuito, mostra-se feliz pelo projecto de formação de novos basquetebolistas.

"É com bastante satisfação que assistimos à massificação do basquetebol aqui. Penso que com este projecto a modalidade vai reaparecer, nos próximos anos, na fina-flor nacional", acredita.Já Artur Queiroz é de opinião que o projecto o Sporting Clube está a criar os alicerces para a província voltar a competir em provas nacionais."O Bié sempre esteve presente nos ‘nacionais’ de basquetebol. Estou satisfeito com o cronograma apresentado pelo Sporting, pois visa assegurar o futuro da modalidade", alegra-se.