Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Reportagens

Sporting investe mais de 20 milhões

07 de Julho, 2011

Sporting aposta em valores como, credilibidade critério e competência

Fotografia: AFP

O valor do cheque necessário, segundo os responsáveis leoninos, para o investimento no plantel e a prometida vassourada de Luís Duque, administrador da SAD, não pára de crescer, e o presidente Godinho Lopes revelou, em entrevista à RTP N e à Antena 1, que a sociedade que lidera "já investiu mais de 20 milhões de euros" em contratações, isto sem mencionar os gastos com os jogadores que têm vindo a negociar rescisões de vínculos em vigor. Godinho Lopes explicou que, na contabilização dos milhões gastos, são vários os pressupostos que devem ser tidos em conta, desde os valores das transferências em si até às habituais comissões pagas a empresários envolvidos nas transacções.

"Quando se contrata um jogador, há vários valores que devem ser apurados: o valor do passe, das cláusulas, as comissões de agentes, o facto de não se comprar a totalidade dos passes, os prémios de produtividade. Por isso, se somar esses valores, o investimento feito até ao momento é superior a 20 milhões de euros. Há verbas parcelares que fazem parte dos contratos dos jogadores que devem ser contabilizadas para que mais à frente não seja esquecida qualquer parcela. Estes valores não são só investidos pelo Sporting", assegurou Godinho Lopes, que recusou a ideia de obrigatoriedade de investir os 30 milhões de euros já em 2011/12.

Tem valido, porém, a ajuda de "investidores estrangeiros" que permanecem "anónimos por questões de confidencialidade", reforçou Godinho Lopes, que pretende alcançar, dentro de três anos, resultados positivos na SAD. Certo de que está a preparar o clube para "chegar ao estado de graça", o líder do Sporting aposta em valores como "credibilidade, critério e competência" para "continuar a pacificar o Sporting". A subscrição de obrigações está a "correr bem". "Mais de 30% das acções já foram subscritas ao sexto dia, no valor de seis milhões de euros", revelou a dez dias do final do período de subscrição.

Paços de Ferreira
tem dois milhões para duas finais

O Paços Ferreira apresentou-se na Mata Real, aos adeptos e à Imprensa. Com um orçamento semelhante ao da época anterior (2,5 milhões de euros), os castores apoiam-se na estabilidade que ganharam na I Liga para definirem caminhos ambiciosos para a temporada que agora se inicia. "Estamos prontos para começar a nova época. O objectivo é atingir a manutenção o mais rápido possível e, depois, queremos chegar à final das outras duas provas e tentar vencê-las", revelou o presidente Carlos Barbosa, que adiantou ainda que o "plantel está quase fechado, faltando apenas um lateral-esquerdo, cujo nome será conhecido em tempo oportuno".

Por sua vez, o treinador Rui Vitória começou por mostrar a satisfação pela sala estar "mais composta do que há um ano". "É sinal que o nosso trabalho surtiu efeito", frisou, recusando prometer resultados. "A ambição é voltar a fazer coisas boas e apenas prometo trabalho", traçou, explicando que "há jogadores que estão no plantel que serão avaliados e conhecerão o seu futuro no final do estágio", que irá decorrer entre os dia 9 e 16 de Julho, primeiro em Seia e, depois, em Celorico da Beira. O grupo arrancou com 28 atletas - o último a chegar foi o guarda-redes Pedro Guedes, da equipa Sub-17 do Benfica -, mas Rui Vitória quer trabalhar só com 24/25. Fábio Pacheco, Carlitos e Alvarinho são para emprestar.

Atlético Mineiro recebe
verba milionária por Kléber

O Atlético Mineiro anunciou que recebeu 2,4 milhões de euros pela transferência de Kléber para o FC Porto, explicando ainda os motivos porque recusaram a proposta do Sporting. "Conforme oferta recebida no último final de semana, o Atlético Mineiro negociou os 50% dos direitos económicos que detinha do atacante Kléber e transferiu-o para o FC Porto por 2,4 milhões de euros, valor que receberá em sua totalidade. Anteriormente, o clube havia recebido uma proposta de 2,53 milhões de euros, do Sporting.

A proposta foi recusada, uma vez que, conforme contrato de empréstimo, o Marítimo teria, à época, direito a 20% desse valor. Receberíamos, então, 2,024 milhões de euros", podia ler-se numa nota de esclarecimento publicada no site oficial da formação brasileira. Foi ainda acrescentado que, para além de "uma condição financeira mais favorável" para o clube, o Atlético de Mineiro "respeitou a vontade do jogador", que manifestou "interesse em se transferir para o FC Porto" e que "nunca recebeu qualquer contacto do Sporting". Os restantes 50 por cento do passe de Kléber estavam divididos pela Traffic (30%) e pelo empresário do avançado (20%).

Um investimento milionário

Noventa e três milhões e novecentos mil euros pagou o Real Madrid para resgatar o português Cristiano Ronaldo ao Man. United. Número estratosférico que tão cedo não deverá ser batido no topo do ranking das maiores transferências de futebolistas. As verbas são ainda mais impressionantes se tivermos em conta a variação cambial suportada pelo banco financiador da operação – que faz subir para 102,4 milhões, incluídos os 6 milhões de comissão pagos a Jorge Mendes e os 2,4 milhões entregues ao Sporting como clube formador – e os 56 milhões de salários previstos para os seis anos de contrato (9 milhões/ano).

Ou seja, o investimento totalizou 156,4 milhões. Dois anos depois, nenhum madridista está arrependido do que se pagou e já não há quem questione o montante, como aconteceu com frequência nos primeiros tempos da estada de Cristiano Ronaldo em Madrid.