Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Reportagens

Subiu várias vezes ao lugar mais alto do pódio

22 de Agosto, 2011

Para o mundo automobilístico, a saída do francês Alain Prost em 1993, depois de conquistar o seu quarto título mundial.

Fotografia: AFP

Para alguns representou a inteligência ao volante. Para outros era o candidato ideal para igualar e superar o recorde de cinco campeonatos mundiais do argentino Juan Manuel Fangio. Para o mundo automobilístico, a saída do francês Alain Prost em 1993, depois de conquistar o seu quarto título mundial, encerrou a página de um dos melhores pilotos da história da Fórmula 1.

Em 13 anos de carreira na categoria máxima, o francês Alain Prost conquistou quatro campeonatos mundiais, em 1985, 1986, 1989 e 1993 e entre os seus recordes estavam 51 vitórias em 199 Grandes Prémios, com um total de 798.5 pontos. Alain Marie Pascal Prost, conhecido como “O Professor”, nasceu em 24 de Fevereiro de 1955 em Loire, localidade perto de Saint-Chamond, França.

Em 1973 ganhou o Campeonato French Junior Karting e o European Junior Karting, além de terminar em 14º lugar no campeonato mundial de kart, especialidade onde o francês iniciou a sua carreira desportiva. Depois dos seus campeonatos na Fórmula Renault e na Fórmula 3 Europeia, Prost estreou-se na Fórmula 1 em 13 de Janeiro de 1980, com um sexto lugar no Grande Prémio da Argentina, com a escuderia da McLaren, entre figuras como Alan Jones, Gilles Villeneuve, Jacques Laffite e Elio de Angelis.

Na temporada seguinte mudou para a escuderia da Renault e conseguiu a sua primeira vitória no circuito de Dijón, no Grande Prémio da França, em 7 de Maio de 1981. Em 1983, o seu último pela Renault, Alain alcançou o sub campeonato na última campanha da era Turbo, antes de voltar para escuderia McLaren para começar a dinastia da equipa de Ron Dennis na década de 80. Prost subiu em sete ocasiões ao lugar mais alto do pódio, para dominar a temporada de 1984 com o austríaco Niki Lauda, que ganhou o título mundial.

Mas, no Grande Prémio de Mónaco, Alain conheceu debaixo da chuva de Montecarlo a qualidade de um jovem piloto brasileiro, Ayrton Senna da Silva, de quem se tornaria anos mais tarde seu companheiro de equipa; mas acima de tudo seu principal rival nas pistas. Com o seu estilo pessoal de fazer corridas inteligentes, Prost ganhou os campeonatos mundiais de 1985 e 1986 que o colocou como um dos melhores pilotos daquele momento, mas Prost teria pela frente a prova mais difícil da sua carreira: Senna

Depois de três anos com a Lotus, Senna chegou à McLaren sob a sombra do bicampeão Prost. Alain ganhou em sete ocasiões e a McLaren teve uma temporada quase perfeita impondo-se em 15 de 16 competições. Naquele ano, considerava-se apenas os 11 melhores Grandes Prémios e Senna conquistou seu primeiro campeonato, com 90 pontos, ainda que no total dos resultados, Prost tenha obtido mais pontos que o seu colega de equipa.

Em 1989, Prost ganhou o seu terceiro campeonato numa das corridas de Fórmula 1 mais polémicas da história. Prost e Senna bateram na última volta do circuito de Suzuka. Enquanto Alain desceu do seu carro, Senna foi empurrado e voltou à corrida, mas foi desclassificado por essa manobra. Em 1990 Prost vai para a Ferrari e em 1992 decide não participar no mundial.

A escuderia Williams ofereceu uma vaga e, em 94, ele volta para ganhar o seu quarto e último campeonato antes de anunciar a sua saída definitiva como piloto. Ainda assim, em 1997, Prost começou uma nova aventura na Fórmula 1 ao criar a sua própria escuderia, com o propósito de conseguir mais recordes no mundo da velocidade.