Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Reportagens

Tecnologias de informao dependem dos recursos

11 de Setembro, 2009

A s propostas apresentadas por empresas no concurso público sobre as tecnologias de informação e comunicação para o CAN’2010 devem merecer alterações, em função da disponibilidade financeira inerente ao processo, segundo o responsável para Administração e Finanças do Comité Organizador do Campeonato Africano de futebol, Fernando Cruz.
O responsável do COCAN, que falava no programa radiofónico (Encontro às quarta-feira), apontou a próxima quinta-feira como data limite para a conclusão da primeira fase do concurso público.
(Até segunda-feira, as empresas seleccionadas devem apresentar as suas propostas com os respectivos ajustes, para que, na próxima quinta-feira, possamos ter o processo já completo), disse, sem avançar o valor do dinheiro disponível pela organização.
Para Fernando Cruz, as alterações exigidas devem-se principalmente à necessidade de adaptar as propostas aos valores financeiros disponíveis pela organização do CAN, uma vez que as quantidades apresentadas pelos concorrentes ultrapassam o orçamento existente.
Lamentando os constrangimentos do factor tempo, Fernando Cruz adiantou que a situação não vai impedir a concretização do projecto das tecnologias de informação e comunicação no que concerne à prova futebolística.
As propostas foram abertas na semana passada, na sede do COCAN, tendo regressado aos seus proponentes para novas dotações orçamentais.
Na ocasião, foram abertos, também, os projectos de bilhética (equipamento para controlo e emissão de bilhetes), de apetrechamento dos centros de imprensa para o CAN2010 (equipamento informático, redes estruturadas, sistemas de televisão e sonorização) e de apetrechamento e suporte do centro nacional de controlo informático.
A implementação dos serviços de telecomunicações para o CAN2010 compreende a instalação e oferta de serviços para apoio aos organizadores do evento e outras áreas envolvidas na sua realização, como aeroportos, hotéis, hospitais e organismos de segurança.

Embaixador brasileiro
enaltece vantagens do CAN

O embaixador do Brasil em Angola, Afonso Cardoso, considerou ontem, em Luanda, a realização do CAN’2010, em Janeiro próximo, no país, uma etapa no processo de desenvolvimento do desporto angolano.
Em declarações à Angop, o diplomata disse que a importância deste evento não se deve apenas ao facto de poder reunir o mundo futebolístico, mas também porque irá trazer benefícios para Angola noutros sectores.
Na sua óptica, o país tem muitos êxitos no basquetebol, andebol e seguramente terá também no futebol e nos campos político, económico e social.
Referiu, por outro, que do mesmo jeito que Angola está a fazer esforços para organizar o CAN, o Brasil está a esforçar-se para realizar a Copa do Mundo de 2014, um evento em que augura a presença dos angolanos.
(Por isso, compreendemos perfeitamente o empenho de Angola em organizar o Campeonato Africano das Nações. Estamos a acompanhar com muito interesse e entusiasmo a entrega do país na preparação do evento), disse.
Para a realização do CAN, estão a ser construídos quatro estádios e unidades hoteleiras em Luanda, Cabinda, Benguela e Huíla, províncias que vão acolher, de 10 a 31 de Janeiro, a competição.