Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Reportagens

"Tive o privilégio de jogar com super-estrelas do Basquetebol"

João Francisco, On-line - 22 de Junho, 2013

Seleccionador nacional continua atrabalhar os fundamentos técnicos antes para os aspectos tácticos

Fotografia: Jornal dos Desportos

O treinador da selecção sénior feminino de Basquetebol, Aníbal Moreira de Jesus, 46 anos, ou simplesmente Aníbal Moreira, como é tratado nos meios da bola ao cesto, foi o primeiro “capitão” da selecção sénior masculina de Angola a erguer o troféu de vencedor das Taças das Nações do continente, agora denominado Afrobasket e, também como técnico das nossas senhoras, campeãs africanas de 2012.

O campeão africano como jogador e treinador de Basquetebol, Aníbal de Jesus Moreira, começou a praticar desporto em 1981, altura em que ingressou no Clube Ferroviário de Luanda.

“ Fui para o Ferroviário a convite de um primo e por insistência do meu tio que praticavam a modalidade no mesmo clube e, recebido na altura pelo professor Vladimiro Romero, o homem que me ensinou os primeiros passos e muito do Basquetebol que pratiquei”, reconhece.

Para Aníbal Moreira foram os ensinamentos daquele grande senhor do Basquetebol, Romero que nos dias de hoje também ensina o “A, B e C” da modalidade no clube desportivo 1º de Agosto desde Novembro de 2001.

Como atleta de alta - competição, em representação das selecções nacionais de Basquetebol de Angola., Aníbal Moreira, conquistou não só vários Campeonatos Nacionais e africanos, como teve participações em Campeonatos do Mundo e Jogos Olímpicos, em que o nosso país se fez representar.
“Tenho o orgulho de ter capitaneado a selecção que levantou pela primeira vez a Taça de África das Nações em seniores masculinos e ter apresentado o mesmo troféu ao Presidente da Republica, José Eduardo dos Santos”, orgulha-se.

O agora campeão africano pela selecção sénior feminino sente-se privilegiado de ter jogado no seu tempo com estrelas do Basquetebol mundial como Jean Jacques, homenageado esta semana pela FIBA, - órgão reitor da modalidade nos cinco continentes e contra, super estrelas como Magic Johson e Michael Jordan nos Jogos Olímpicos de Barcelona (Espanha) em 1992.

“Além destes momentos inesquecíveis, ter sido o primeiro treinador a conquistar a Taça dos Clubes Campeões e  a única Taça das Nações em seniores feminino”, acrescentou.


PALMARÉS

De atleta a treinador
principal no 1º de Agosto


Em termos de selecções nacionais, Aníbal Moreira, representou ainda, a partir de 1983 a selecção nacional de seniores no apuramento para o africano do Egipto e em outras competições internacionais, entre campeonatos mundiais e Jogos Olímpicos, como ele próprio descreve:

“A partir daí, estive em quase todas as selecções nacionais, nomeadamente, para o africano da Côte D´Ívoirte (1985), Campeonato Mundial de Espanha (1986), Africano da Tunísia( 1987), Afrobasket que Angola organizou em 1989, Campeonato do Mundo da Argentina(1990), Africano do Egipto(1991), Jogos Olímpicos de Barcelona( 1992), Africano do Kénia ( 1993), Campeonato do Mundo do Canadá( 1994), Africano de Argel ( 1995), Jogos Olímpicos de Atlanta(EUA-1996), Africano do Senegal ( 1997), novamente no Africano de Angola(1999), e nos Jogos Olimpicos fde Sidney ( Austrália-2000), quase no final  da minha carreira”, conta.

A carreira de treinador de Aníbal Moreira, começa como adjunto da equipa seniores masculinos e simultaneamente como treinador principal de cadetes masculinos no 1º de Agosto, entre 2001 a 2004.

“Em 2010 até à presente data ascendo à categoria de treinador principal da equipa sénior feminino do 1º de Agosto. Neste lapso de tempo, fui igualmente treinador principal da selecção feminina no Campeonato Africano de Abuja (Nigéria) em 2005, nos Jogos Pan – Africanos de Argel (Argélia) em 2007 e africano de Dakar (Senegal) no mesmo ano.

“De resto estive também como treinador adjunto da selecção sénior masculina para os Jogos Olímpicos de Beijing (China) em 2008. Voltei a ser o treinador principal no Africano de Antananarivo (2009), nos Jogos Pan- africanos de Maputo (Moçambique) em 2011 e no Africano de Bamako no mesmo ano, bem como nos Jogos Olímpicos de Londres (Inglaterra) em 2012”, concluiu.


MOMENTOS

Jogo com o “Dream Team One” dos Estados Unidos


Dos vários momentos que viveu como jogador, nas competições internacionais, Aníbal Moreira, considera o maior àquele em que teve pela frente o “Dream Team one” dos Estados Unidos da América (EUA), nos jogos Olímpicos de Barcelona em 1992.

“O facto de poder jogar com super estrelas que até então só tivera oportunidade de ver brilhar na televisão e a conquista do segundo Campeonato de África das Nações, no Egipto, por termos disputado a final no dia 08 de Janeiro, em que se comemora o aniversário natalício da minha mãe, a quem dediquei a vitória, foram de facto momentos inesquecíveis”, adicionou.

Como treinador, Aníbal Moreira, considera sem dúvidas nenhuma as duas conquistas, primeiro na Taça dos Clubes Campeões de África, com o 1º de Agosto e, depois a maior de todas as conquistas, a vitória na Taça de África das Nações com a selecção Nacional feminina.

“São tantas as pessoas envolvidas na minha trajectória de mais de 20 anos como jogador e todos eles com a sua importância, bem como de treinador que já perdi a conta, mas não me esqueço de Vladimiro Romero, Vitorino Cunha, Mário Palma, António Henriques Tonecas, António Vilarinhos, Nelson Serra, que de facto marcaram-me muito”, disse.


HISTÓRIAS
Confusão na Côte D´Ivoire  e no Mali
obrigou intervenção da Policia


Nestas andanças nunca faltaram as histórias do “arco-da-velha”. Aníbal Moreira recordou-se que “ na final que Angola disputou na Costa do marfim em 1985, antes do jogo houve uma confusão em que teve a intervenção da polícia para dispersar o público que começou a lançar foguetes para dentro do campo, caindo muitos objectos no banco angolano. Como treinador em 2005, na final das Taças dos Clubes Campeões, em Bamako( Mali), antes de entrarmos para o campo estava um grupo de jovens  à espera da nossa equipa que não ficaram descansados , enquanto não me atiraram com  um liquido na cara que até hoje não sei bem o que era”, recorda-se.


TRAJECTÓRIA
Passagem pelo Vitória de Setúbal e Atlético de Queluz


Aníbal Moreira representou o Ferroviário de Luanda de 1981 a 1987, o Petro Atlético de Luanda (1988- 1990). Viveu depois a sua primeira experiência profissional no Vitória de Setúbal (1999-2000) e no Atlético de Queluz (1991-2000), em Portugal. De regresso à Angola ficou igualmente uma época no 1º de Agosto em 2001.

“ Representei igualmente a selecção nacional de juniores no Campeonato Africano de juniores de 1983. Abro um parêntesis para referir que entre 1999/2000, ao abrigo de um acordo que existiu entre a equipa Angolana de onde saí para o Vitoria de Setúbal vim a Angola para integrar a equipa do Petro de Luanda em duas finais”, referiu. 


POR DENTRO


Nome completo:
Aníbal de Jesus Moreira
Filiação: Aníbal Moreira e de Madalena Vieira Lopes de Aguiar
Nascimento: Aos 17 de Setembro de 1966, em Luanda
Estado Civil: Casado
Filhos: 4
Peso: 106 Kg
Altura: 1,93 cm
Prato Preferido: Feijão de olho de Palma com Peixe grelhado
Bebida: Cerveja
O que faz nos tempos livres: Convívio com amigos e ver televisão
Número de Calçado: 47
Clube Preferido: 1º de Agosto
Cidade: Luanda
País: Angola
Perfume: David Off
Religião: Católica
Ídolo: Magic Johson
Alguma vez mentiu:
Sonho/desejo: treinar a selecção masculina