Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Reportagens

Um dos melhores jogadores de sempre da NBA

15 de Agosto, 2011

Magic consta no Hall of Fame da NBA.

Fotografia: AFP

Pode dizer-se, sem qualquer hesitação, que Earvin “Magic” Johnson Jr. foi o melhor jogador de todos os tempos depois de Michael Jordan. Após uma década de 70 em que as audiências televisivas e os espectadores desceram, a NBA, e principalmente os L.A. Lakers, tiveram em 1979 a felicidade de o recrutar como primeira escolha do Draft. Johnson ficou notabilizado no ano de 1979 porque liderou a sua equipa da Universidade de Michigan à vitória do campeonato nacional universitário NCAA contra a favorita Universidade de Indiana, liderada por Larry Bird.

Os L.A. Lakers, apesar de contarem com um dos melhores jogadores de sempre da NBA, o poste Kareem Abdul-Jabbar, detinham uma boa equipa mas só com Magic Johnson lograram o sucesso no campeonato e logo no seu ano de rookie! Os anos 80 e 90 passaram a ser conhecidos como as décadas douradas devido à grande panóplia de grandes jogadores que sobressaíam pela sua qualidade e espectacularidade nas suas acções.

Mesmo assim, Magic dava nas vistas, empolgava o público e aumentava as audiências, pois conseguia aliar a uma tremenda eficácia (em toda a carreira teve uma média de 19 pontos por jogo e eficácia de lançamentos de campo de 52 por cento) e a um espírito colectivo (11,2 assistência por jogo – a melhor média da história da NBA) uma coisa sem precedentes na NBA. Essa espectacularidade sem precedentes pode ser comprovada no vídeo onde constam apenas algumas das suas melhores jogadas.

Visto que jogava preferencialmente na posição de base (Point Gard) a sua coordenação motora e rapidez de movimentos do alto dos seus 2,06m de altura ditavam supremacia naquela posição, onde a média de alturas ronda os 1,85m. Magic Jonhson, para além dos referidos dotes físicos tinha várias características pessoais e técnicas que foram determinantes no seu sucesso e que são espelhados pela conquista de cinco anéis de campeão da NBA.

Entre elas sobressaíram a sua capacidade de liderança e carisma, a capacidade de passe e espectacularidade que impunha nas suas assistências que deixavam não só confusa a defesa adversária como também os operadores de câmara, a eficácia dos seus famosos lançamentos em gancho e, por fim, a tenacidade defensiva, pois terminou a carreira com uma média de 7,2 ressaltos por jogo.
Ao longo da sua carreira dividiu a popularidade junto dos admiradores com Larry Bird, Julius “Dr. J” Erving, e um jovem chamado Michael Jordan que só mais tarde foi considerado como o melhor jogador de basquetebol de todos os tempos.

Palmarés
Se a grandeza de um desportista é revelada pelos seus títulos, então Magic não deixa dúvidas:
- Cinco campeonatos (1980, 1982, 1985, 1987, 1988);
- três prémios MVP (Most Valuable Player) da época regular
- três prémios MVP das finais

- 12 nomeações All-Star
- dois prémios de MVP do jogos All-Star (1990, 1992)
- 138 triplos-duplos (três categorias diferentes na casa das dezenas)
- Rookie do ano em 1982

Passagem do Ceptro
Na sua última época como jogador activo, em 90-91, os L.A. Lakers perderam na final contra os Chicago Bulls liderados por Michael Jordan. O “rei” passava o testemunho, na altura ninguém duvidava das qualidades de Michael Jordan, mas havia muito cepticismo se a jovem estrela conseguiria aguentar “o peso do ceptro”. O tempo encarregou-se de dissipar as dúvidas! Uma coisa é certa, depois de Magic Johnson se ter retirado não havia rival à altura de Michael Jordan.

O dia que chocou
o mundo do desporto
No ano de 1991, mais precisamente no dia 8 de Novembro, Magic Johnson, chocou o mundo quando anunciou que era seropositivo. Devido ao desconhecimento daquela doença pelo público em geral (que ainda pensava que era uma doença “exclusiva” de homossexuais caucasianos) Magic espantou o mundo quando um ano mais tarde ajudou a selecção do seu país a conquistar a medalha de outro em basquetebol nos jogos olímpicos de Barcelona-92. Gerou-se alguma controvérsia quando alguns jogadores afirmaram que tinham medo de jogar contra Magic, pois tinham medo de contrair a doença!

Vida para além da sida
Magic ainda participa em inúmeros debates onde promoveu a discussão e esclarecimento sobre a sida, especialmente a sua transmissão e controlo da doença. Além de deter várias escolas de basquetebol por todo o país, participa em acções de caridade e de angariação de fundos para o combate à doença causada pelo retrovirus.

Para sempre na memória
Magic está no Passeio da Fama da NBA e os L.A. Lakers retiraram a sua camisola 32. As suas jogadas, especialmente as penetrações para o cesto que acabavam em lançamentos ou em assistências acrobáticas, ficarão para sempre na história da NBA como das jogadas mais bonitas de sempre.