Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Reportagens

Um sapateiro campeão

Sardinha Teixeira - 07 de Dezembro, 2010

O campeão da 10ª edição Taça Fundação Lwini

Fotografia: MIQUEIAS MACHANGONGO

Três atletas enfrentaram o velocista e sentiram o peso do campeão paralímpico. “Foi muito importante participar nesta prova. Vencer, então, foi melhor ainda. Toda essa energia positiva só me deixa mais motivado”, comemorou Muquixe, que deixou o segundo classificado a 11s53. Foi a primeira vez que Muquixe correu numa prova de mistura de classes com atletas tão velozes.

“É uma grande ideia porque incentiva o público”, elogiou. O campeão da 10ª edição Taça Fundação Lwini, defendeu que os novos triciclos oferecidos pelo Comité Paralímpico Angolano vão trazer grandes frutos ao desporto adaptado no país. Satisfeito com a vitória, Muquixe falou das vantagens dos novos triciclos: “Encontrei mais facilidades para manusear os novos meios, em troca dos antigos. Aliás, são mais sofisticados. São feitos de alumínio, mais confortáveis e menos cansativos que os anteriores”.

Entusiasmado com o novo triciclo, Muquixe já sonha atingir novas marcas no desporto, pois, pretende fazer com que o desporto paralímpico continue a ser uma bandeira do País além fronteiras, recordando as três medalhas de ouro de José Sayovo nos Jogos de Atenas 2004, bem como, as conquistas mundiais e africanas.

Referiu que as conquistas até aqui alcançadas a nível do desporto adaptado demonstram o empenho do Estado na massificação e desenvolvimento do desporto para pessoas que necessitam de cuidados especiais. “Foi muito importante participar nesta prova. Vencer, então, foi melhor ainda. Toda essa energia positiva só me deixa mais motivado”O atleta acredita que “a aposta do governo no desporto vai continuar, não apenas na perspectiva da conquista de medalhas, mas também pela reintegração social, para que todos os cidadãos se sintam exactamente iguais perante a lei e a sociedade, independentemente da condição física de cada um”.

Muquixe deixou mesmo uma mensagem: “Nós temos valor. Muitos de nós ouviram, durante anos, que as nossas vidas tinham pouco valor. Mas a verdade é que as nossas necessidades são importantes, as nossas habilidades e experiências são de enorme valor para a comunidade, a sociedade, o mundo”.

Ofício que resiste ao tempo

O local, repleto de sapatos e ferramentas, é muito movimentado. Os clientes entram e saem. Quando está ao balcão, Muquixe cumprimenta as pessoas que passam diante da sua barraca. O seu trabalho é conhecido no bairro e os amigos são muitos. Hoje, os sapatos podem representar um estilo ou uma tendência de moda. Mas, mesmo com toda a tecnologia empregada nas grandes indústrias de calçado e uma infinidade de modelos que seguem as tendências mundiais, o hábito de levar os sapatos usados ao sapateiro resiste.

Ao invés de comprar sapatos ou sandálias novas, algumas pessoas preferem recuperar os já surrados, economizando dinheiro e, na maioria das vezes, os clientes ficam satisfeitos com o resultado. No bairro do Curtume, no município do Cazenga, um profissional com a sua arte, resistiu ao tempo. Muquixe trabalha como sapateiro há seis anos. Aqui foi acolhido por um irmão que tempos depois voltou para a terra natal e ele seguiu o seu caminho sozinho.

Mais tarde, com o conhecimento suficiente para abrir o próprio negócio, decidiu montar a sua sapataria. “Não aguentava mais ficar sem trabalho e parti para o negócio próprio”, disse.A maior demanda na sapataria são os consertos em calçado feminino, cintos, bolsas e malas, mas há procura também pelos chinelos confeccionados por ele. Os seus clientes não são apenas moradores do bairro e redondezas, há também pessoas de outras zonas da cidade.

Quem é quem …

Nome: José Sebastião Muquixe
Data de Nascimento: 23 de Junho 1983
Natural: Luanda
Nacionalidade: Angolana
Peso: 42 kg
Altura: 1,70 cm
Modalidade: Atletismo
Clube: CPA
Profissão: Sapateiro
Filhos: (1)
Prato preferido: Bife composto
Tabaco: Não
Bebida: Cerveja
Número
de calçado: 43
Hobbies: Ver filmes com a família
Filmes: Acção
Religião: Católica
Cor: Azul
Poligamia: Respeito
Perfume: Vários
Música: Tudo o que é nacional
Esplanada ou discoteca: Esplanada
Droga: Contra
País: Angola
Cidade: Luanda
Conduz: Sim
Campo ou praia: Campo
Um sonho a realizar: Ser campeão africano na categoria T 55