Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Reportagens

Uruguaio Rodrigo Mora é seguido pelo Benfica

24 de Novembro, 2010

Rodrigo Mora, avançado do Defensor Sporting

Fotografia: AFP

Rodrigo Mora, avançado do Defensor Sporting, 23 anos, está a ser observado com grande atenção pelos responsáveis encarnados. O prospector Jorge Gomes tem elaborado relatórios muito favoráveis sobre o jogador, mas, ao que foi possível apurar, não houve ainda qualquer avanço concreto.

Ao jornal português “O Jogo”, o presidente do Defensor Sporting, Dante Prato, sublinhou que as Águias estão no encalço do dianteiro, mas até reza para que alguém avance com os... euros. “Sei que há uma pessoa de Portugal aqui a segui-lo com um empresário local, mas até agora ninguém falou comigo ou com qualquer pessoa do clube. Ele fica livre em Junho e não acredito que qualquer clube nos venha apresentar propostas sabendo que o pode contratar com o passe na mão. Já me falaram em cinco milhões de euros, mas seria uma loucura pagar isso por um jogador que fica livre. Se nos dessem dois ou três milhões, já seria brutal!”, disse o responsável.

Os dois elementos a que Dante Prato se refere são Jorge Gomes e o empresário uruguaio Flavio Perchman. Ao jornal “O Jogo”, Perchman esclareceu que “a única coisa a acontecer é a observação do jogador”. “Tenho acompanhado o Rodrigo com o Jorge Gomes.Ele tem tirado as suas notas, assim como de outros jogadores, e por agora nada mais”, afirmou.

Detentor de metade do passe de Rodrigo Mora, o agente Pablo Betancourt (o mesmo de Urreta) também faz questão de aprofundar o assunto: “Tenho uma boa relação com o presidente do Benfica e, se houvesse alguma coisa, trataria directamente com ele, e nunca seria o Alejandro Savic ou outro qualquer a fazê-lo. Não tenho qualquer proposta concreta para o Rodrigo, e o Vélez Sarsfield tem prioridade na compra”, concretizou.

Passe tripartido
com comissões pelo meio

Rodrigo Mora é considerado um dos melhores jogadores uruguaios da actualidade, mas contratá-lo implica conversar com muita gente. O passe do jogador está dividido em três: 50 por cento nas mãos do empresário Pablo Betancourt, 25 por cento à guarda do Defensor Sporting e outros tantos em benefício do Danúbio FC, clube onde o avançado nunca jogou. Para além destes, há ainda uma comissão de dez por cento, em caso de venda, para um outro empresário.

Cardozo abre a porta a novo desafio

O Benfica está disposto a libertar Óscar Cardozo já durante a próxima reabertura do mercado, em Janeiro, e o avançado mostra-se também disponível para aceitar um novo desafio. Fora das opções de Jorge Jesus desde há praticamente dois meses, devido a uma lesão, e apesar da época abaixo das expectativas que o clube da Luz está a realizar, o internacional paraguaio continua com a reputação intacta e a ser seguido por vários clubes, sobretudo em Inglaterra.

A Imprensa britânica noticiou que o Tacuara foi recentemente oferecido ao Liverpool, Tottenham e Blackburn, e Pedro Aldave, empresário do jogador, não fecha a porta a uma saída. No entanto, coloca o sucesso de um eventual negócio nas mãos de Luís Filipe Vieira, presidente das águias.

“Todos os anos tem existido interesse de vários clubes, mas as situações nunca chegam a bom porto. Os clubes querem contratá-lo, mas é complicado negociar com o presidente do Benfica”, revelou ao jornal “O Jogo”, sublinhando por isso que “tudo depende das ofertas agradarem” a Vieira.

O camisola 7 já tinha expressado o seu desejo de sair após o final da última época, manifestando publicamente a ambição de experimentar novos desafios. “Quero jogar num clube grande de outro campeonato”, sublinhou o Tacuara, que não ficou sem resposta por parte de Jesus.

“O Cardozo é importante. Se estiver interessado em ficar, tudo bem, porque o Benfica só quer no plantel os que querem fazer parte dele. Os que não quiserem cá ficar, podem ir-se embora, que não precisamos deles para nada”, começou por dizer, disparando finalmente: “Se não quer cá ficar, pode-se ir embora”.

A intransigência de Vieira nas negociações com os diversos interessados - o Shakhtar Donetsk chegou a oferecer 25 milhões, mas o líder das águias pediu... 30 - impediu a saída do Tacuara, mas agora o cenário mudou, face à desvantagem para o FC Porto e ao desejo de ter Funes Mori no plantel.

“São dois jogadores diferentes e que não colidem, mas por mais que o Benfica compre, tudo dependerá da proposta que possa surgir.A cláusula é alta e pode condicionar”, revelou o representante do internacional paraguaio. A finalizar, Aldave, que preferiu não comentar a possível titularidade do jogador em Israel, realçou que, para já, o futuro “passa pelo Benfica”, sublinhando que a Cardozo “resta trabalhar para voltar a jogar e aos golos, para mostrar o seu valor”.

Funes Mori na mira dos encarnados

Pode ser o salvador da depauperada economia do River Plate. A sua transferência conta-se em milhões e esse dinheiro daria ao clube de Buenos Aires a possibilidade de pagar muitas das dívidas que acumula. Tem apenas 19 anos, nem sequer cumpriu um ano a jogar na Primeira Divisão e apenas apontou nove golos. Contudo, a Gabriel Funes Mori todo o mundo futebolístico augura um futuro extraordinário.

Por isso, o empresário Kia Joorabchian quer ganhar a corrida para assegurar a contratação do avançado e vestir-lhe a camisola do Benfica a partir de 2011. Talvez pareça algo estranho para um jogador que nos últimos jogos nem sequer foi titular, mas a projecção que se vislumbra nele transforma-o numa grande promessa.

Coentrão promove guerra

Está aberta a guerra em Manchester, e tudo por causa de Fábio Coentrão. O jornal “News of the World” justifica a cobiça de Sir Alex Ferguson com o facto de este já querer precaver uma eventual saída de Evra - e, neste capítulo, surge José Mourinho como potencial comprador - no próximo mês de Janeiro, enquanto o “Daily Mirror” explica o interesse do Manchester City pelo simples facto de os responsáveis pretenderem mais um valor seguro para juntar às restantes estrelas.

Os jornais britânicos avançam que os citizens estão dispostos a desembolsar qualquer coisa como 20 milhões de euros pelo lateral-esquerdo, valor este considerado baixo pela SAD encarnada. O internacional português tem uma cláusula de rescisão de 30 milhões de euros e, na Luz, todos acreditam que o jogador pode render esse montante.