Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Reportagens

Voleibol de praia chega ao lubango

Gaudêncio Hamelay,no Lubango - 19 de Agosto, 2010

Lubango esmerou para acolher 3ª fase do circuito nacional

Fotografia: Gaudêncio Hamelay

A Huíla é a primeira província de Angola sem mar a organizar uma competição de voleibol de praia. A terceira fase do Circuito Nacional da modalidade é disputada a partir de hoje até ao dia 22 do corrente mês, na cidade do Lubango.

Para esse fim, a Associação Provincial de Voleibol da Huíla trabalhou sem medir esforços na criação de todas as condições necessárias do recinto de jogos.Deste modo, o espaço da Tourada, localizado no Complexo Turístico da Nossa Senhora do Monte, ontem um monstro adormecido, hoje, está transformado numa quadra de jogo para receber partidas de voleibol de praia.

"A cidade do Lubango tem todas as condições para acolher a 3ª fase do circuito nacional de voleibol de praia. A quadra de jogo, que constituía preocupação, é um facto.Já tem todas as condições criadas", assegurou o coordenador técnico da Associação local.

António Quilala mostrou-se regozijado com a concretização do objectivo, porquanto no momento em que a associação se comprometeu a organizar o evento, consideraram-na de uma aventureira.

 Porém, reconheceu que tudo se tornou realidade graças ao apoio prestado por algumas instituições locais. Nesse sentido, António Quilala enalteceu o apoio prestado a Associação por Fernando Baptista Moutinho, director do Complexo Turístico da Nossa Senhora do Monte.
 
"Acredito que a sua veia desportiva falou mais alto. Foi um dos indivíduos que teve a gentileza de ceder a Tourada no sentido de realizar essa actividade", disse.Na mesma senda, destacou o grande impulso da empresa Coca-Cola para a efectivação do voleibol de praia nas terras altas da Chela. O coordenador técnico adiantou que a empresa patrocinou no que tange à criação de condições do recinto de jogos.
 
"Vai o nosso muito obrigado pelo patrocínio", disse. O agradecimento estende-se a outras empresas como Andaime Carvalho, Consterra, Planasul e Andrade Gutierrez que tornaram possível a empreitada. "Estamos agradecidos com esse grupo de pessoas e empresários que não mediram esforços e puseram mãos às nossas petições. Hoje, a actividade vai ser um facto. Todavia, temos de tirar o chapéu e agradecê-los", frisou.

A ânsia confunde-se com o desejo. É o mal que pode beliscar a competição. A organização procura adoptar todas as medidas cautelares para que decorra sem sobressalto na cidade de Cristo-Rei. Por outro lado, é um desafio que coloca a associação entre as melhores na organização de evento desportivo e por se realizar numa cidade longe das águas salgadas do oceano Atlântico, o que deixa orgulhoso os membros da organização.

"Já é um êxito o facto de albergarmos a 3ª fase do Circuito Nacional de Voleibol de Praia", disse Quilala que se socorre nas experiências anteriores. A Huíla albergou em duas ocasiões os campeonatos nacionais de voleibol de sala e o traquejo acumulado vai servir para manter a boa organização que “nos é característicos".

Duas quadras com areia do Namibe

A quadra de jogo para a prática de Voleibol de Praia na província da Huíla já é um facto. A satisfação foi manifestada pelo secretário-geral da Associação provincial de Voleibol na Huíla, Henriques Gama. 

O dirigente aclarou que para tornar possível a realidade daquilo que ontem era um sonho por muitos huilanos aficionados da modalidade, foram necessárias 25 carradas de areia de praia transportadas da vizinha província do Namibe.

A caixa, onde se encontra montada a quadra de jogo, possui 27,10 metros de cumprimento e 29 m de largura.As dimensões permitiram instalar as duas quadras de jogo esboçadas de 8 por 8. 

Os pequenos percalços, que podem surgir no local, podem estar relacionados com a falta de material, pois a Huíla não tem praia. Por isso, fazer uma quadra de jogo para o voleibol de praia nas terras altas da Chela é bastante complicado."Foi muito difícil, mas felizmente tivemos os apoios das empresas locais que nos facilitaram o trabalho", destacou.

Duplas de cinco cidades
disputam troféu na Huíla

Em representação das províncias de Luanda, Namibe, Kwanza-Sul, Huíla (anfitriã) e o município do Lobito (Benguela), 26 duplas confirmaram a participação na 3ª fase do Circuito Nacional de Voleibol de Praia sénior (masculino e feminino), a decorrer de 20 a 22 do corrente, na cidade do Lubango. António Quilala confirmou que 16 são masculina e as restantes feminino.

A província da Huíla, como anfitriã, vai entrar com quatro duplas, das quais duas masculinas e igual número em feminino, cujo objectivo é lutar por uma classificação digna.Para o efeito, Quilala assegurou que todo o aparato está preparado para se realizar um circuito nacional exemplar.

A organização é patrocinada pela Coca-Cola e tem as condições técnicas e administrativas criadas com realce para a transportação, policiamento e alojamento. Deste modo, as caravanas participantes estarão acomodadas no Complexo Escolar "14 de Abril".

"Existem algumas condições que dependem da Federação Angolana de Voleibol, mas há garantias do órgão reitor da modalidade no país que estão todas criadas.

 Localmente, fizemos todas as demarches para que nada falhe na data prevista e no decorrer do evento", disse. No tocante à criação de condições de balneário para os atletas e outras pessoas que eventualmente venham a assistir às partidas, Quilala disse que estão precavidos.

"Estamos a criar essas condições. Vai ter um balneário exclusivo para os membros da organização e outros para os atletas que vão contar com duches. Vamos fazer com que o atleta banhe no final do jogo sem percalços", asseverou. O sucesso da competição depende dos esforços e abnegação dos membros das diferentes comissões de trabalho.

Estão em prontidão, as comissões de protocolo, segurança, transportação e apoios dos atletas. A partir de hoje, as caravanas participantes começam a desembarcar no aeroporto Internacional da Mukanka.

Circuito dá nova dinâmica

A realização da 3ª fase do Circuito Nacional de Voleibol de Praia, na cidade do Lubango, vai incentivar a associação nas terras altas da Chela.Prognostica-se novo dinamismo no processo de massifcação e desenvolvimento de voleibol de praia.

"A associação depois de ter conseguido a gestão da Tourada, onde está instalada a quadra, queremos dar uma nova dinâmica no que tange às actividades de voleibol na versão praia", disse o coordenador técnico da Huíla, António Quilala.

A passagem do circuito de praia será uma experiência que vai aquilatar a quantas vai a organização e competência da associação. "Acredito que a Huíla vai aparecer noutros campeonatos e circuitos com uma melhor figura no que diz respeito, em primeira instância, ao número de praticantes e duplas", disse.

Com a existência de um recinto de voleibol de praia começa-se a projectar o pódio para as duplas huilanas, pois já teve algumas participações "positivas" em vários circuitos não tendo quadra. 

Agora, "a Huíla possui uma quadra de voleibol de praia e a associação e os técnicos vão continuar a dar todo o contributo para que mude de figura. Se ontem teve uma participação positiva, queremos que tenhamos uma prestação mais positiva ou superior", argumentou.

Polícia Nacional vai manter a ordem

A Associação Provincial de Voleibol da Huíla, preocupada com a integridade física dos membros das caravanas desportivas participantes da 3ª fase do Circuito Nacional de Praia, vai contar com o apoio da Polícia Nacional na manutenção e tranquilidade da ordem pública.

Nesta perspectiva, António Quilala explicou que em termos de policiamento, a associação endereçou há três meses um documento ao Comando Provincial da Polícia Nacional da Huíla, no qual informa a realização da actividade na cidade do Lubango.

 "Não haverá constrangimentos nesse aspecto, visto que teremos os agentes da Polícia Nacional no recinto e no local de hospedagem das caravanas, para manter a ordem e tranquilidade", disse.