Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Reportagens

Voo de Vettel faz pole position

24 de Outubro, 2010

Sebastien Vettel busca pontuar para o título na Coreia do Sul

Fotografia: AFP

Nem o pouco familiar circuito de Yeongam, o mais novo da competição, evitou mais uma pole position de Sebastian Vettel na presente época. Após desempenhos discretos nos treinos livres, o piloto da Red Bull “voou” nos instantes finais dos treinos classificatórios, realizado ontem, sábado, e larga em primeiro lugar no GP da Coreia do Sul. Sebastien Vettel cravou o tempo de 1min35s585 para conseguir a nona pole position em 16 provas da época. Líder do Mundial de pilotos e companheiro de equipa do alemão, o australiano Mark Webber também acelerou muito nos minutos finais e completa a primeira fila.

O espanhol Fernando Alonso, que parecia com a pole certa até aos minutos finais, larga em terceiro com a Ferrari, seguido por Lewis Hamilton, da McLaren. Outro postulante ao título, Jenson Button foi apenas o sétimo mais rápido no treino classificatório. Felipe Massa, da Ferrari, larga em sexto, quatro posições à frente de Rubens Barrichello, da Williams.

Poeira na pista 
Mesmo com bons desempenhos nos primeiros treinos livres para o GP da Coreia do Sul, A dupla de pilotos da McLaren fez críticas às condições do Circuito de Yeongam. Lewis Hamilton disse que o asfalto melhorou, mas complicou o começo das actividades, de acordo com o site ESPN F1. O britânico reclamou que o asfalto estava “extremamente empoeirado”, o que fez com que os carros escorregassem muito. Mesmo assim, as condições evoluíram rapidamente.  O piloto fez questão de lembrar que ainda há terra no limite da pista. Porém, elogiou o desempenho da McLaren, especialmente, nas rectas de Yeongam. Os carros da equipa tiveram um desempenho “encorajador” no segundo e no terceiro trechos do traçado.

Jenson Button, por sua vez, concordou com os elogios do seu companheiro ao carro. O actual campeão da Fórmula 1 disse que o circuito é “divertido”, apesar dos escorregões na primeira metade dos treinso livres tenham tornado tudo imprevisível. Quem se juntou aos pilotos da McLaren, são os da Red Bull. A dupla formada por Mark Webber e Sebastian Vettel disseram que os treinos haviam corrido tranquilos, apesar da pista ser “difícil”. Ontem, “esteve especialmente suja, com bastante sujidade fora do trilho”.

Ao contrário da grande parte dos pilotos, Lucas Di Grassi elogiou a pista construída, recentemente, apesar de contar com o asfalto sujo, reflexo da finalização das obras. Os O brasileiro afirmou que é uma pista “boa, bastante técnica, com o segundo sector repleto de mudanças de direcção”. Apesar das dificuldades de um circuito novo, O GP da Coreia do Sul vai atrair os espectadores e os milhares de telespectadores em todo o mundo. A primeira edição do GP da Coreia do Sul de Fórmula 1 tem início marcado para as 8h (de Angola) do domingo.

Optimismo de Hamilton

Lewis Hamilton ficou optimista para a corrida de hoje. O inglês arranca na quarta posição e pode voltar à briga pelo título. “Sinto-me fantástico. Realmente estou optimista na Coreia do Sul; restam três corridas e muitos pontos estão disponíveis. O objectivo é vencer todas as corridas e, nas últimas três, faremos um grande esforço”, disse. Hamilton afirmou que não perde tempo a pensar nos erros dos últimos GPs e foca em fazer o melhor que puder para brigar pelo título. "Não vivo nenhum dia da minha vida na tristeza. Esse não é o modo de viver para mim. Sinto-me positivo e forte agora. Sei que tenho um carro para estar perto das Red Bulls e espero ter uma boa batalha”, frisou.

Barrichello e Schumacher
reacendem a rivalidade

O brasileiro Rubens Barrichello, da Williams, acusou o alemão Michael Schumacher, da Mercedes, de ter obstruído a sua passagem durante o Q2 do treino classificatório que definiu o grid de largada do GP da Coreia do Sul. Com isso, reacendeu a rivalidade com o heptacampeão mundial após breve período de “paz”. “Não quero que isso se torne algo pessoal”, disse Barrichello, em entrevista à rede BBC. “Desculpou-se e disse que a equipa não o avisou da minha presença atrás. Estava numa volta rápida e sei que temos espelhos e outras coisas. Fico triste com esta situação, pois só passei para o Q3 por sorte”, completou, deixando claro que o alemão poderia ter evitado bloqueá-lo.

Barrichello e Schumacher entraram em rota de colisão desde que o brasileiro deixou a Ferrari. A escuderia italiana nunca escondeu a preferência pelo alemão, a ponto de ordenar o brasileiro a abrir passagem para o então colega da equipa quase na linha de chegada do GP da Áustria, em 2002. Em 2010, os dois voltaram a enfrentar-se. No GP da Hungria, Barrichello ultrapassou o “desafecto” e o acusou de tentar jogá-lo contra o muro. Dias depois, o brasileiro afirmou que o rival pediu desculpas via SMS. “Tivemos problemas no passado e continuamos a tê-los como o da Hungria”, lembrou Barrichello, evitando mais um “round” na briga com o ex-colega de Ferrari. “Sou uma boa pessoa, tenho respeito por todos, seja carros lentos ou rápidos. Todos cometemos erros e temos o direito de nos desculpar”.

Técnicos em motéis

O circuito de Yeongam localiza-se numa área portuária na Coreia do Sul, onde não existe grande infraestrutura hoteleira. A solução encontrada pela Federação Internacional de Automobilismo, por equipas e pela imprensa foi usar um das centenas de motéis localizados na vizinha Mokpo, uma cidade de 700 mil habitantes. Os envolvidos sofrem bastante para se acomodar para o primeiro Grande Prémio de Fórmula 1 na região e as histórias não faltam nos paddocks, de acordo com o jornal Folha de S. Paulo. Um mecânico da Red Bull conta que teve de voltar a seu motel durante o dia e percebeu que o quarto havia sido alugado durante a sua ausência. Outras reclamações são de barulho, roupas de cama sujas e sabonetes usados, já que o único grande hotel da região foi totalmente ocupado por pilotos, que comemoram o facto de terem escapado das acomodações improvisadas. Mesmo sem o luxo que estão acostumados, os envolvidos pagam cerca de 199 dólares norte-americanos a diária num dos motéis, segundo o mesmo jornal.

Grid de largada 
Posição  Piloto                  País/Equipa

1º      Sebastian Vettel     (ALE/Red Bull)
2º      Mark Webber         (AUS/Red Bull)
3º      Fernando Alonso    (ESP/Ferrari)
4º      Lewis Hamilton       (ING/McLaren)
5º      Nico Rosberg          (ALE/Mercedes)
6º      Felipe Massa          (BRA/Ferrari)
7º      Jenson Button         (ING/McLaren)
8º      Robert Kubica          (POL/Renault)
9º      Michael Schumacher  (ALE/Mercedes)
10º    Rubens Barrichello   (BRA/Williams)
11º    Nico Hulkenberg        (ALE/Williams)
12º    Kamui Kobayashi      (JAP/Sauber)
13º    Nick Heidfeld            (ALE/Sauber)
14º    Adrian Sutil              (ALE/Force India)
15º    Jaime Alguersuari      (ESP/Toro Rosso)
16º    Sebastien Buemi       (SUI/Toro Rosso)
17º    Vitantonio Liuzzi       (ITA/Force India)
18º    Jarno Trulli              (ITA/Lotus)
19º    Timo Glock              ( ALE/Virgin)
20º    Vitaly Petrov            (RUS/Renault)
21º    Heikki Kovalainen      (FIN/Lotus)
22º    Lucas di Grassi         (BRA/Virgin)
23º    Sakon Yamamoto     (JAP/Hispania)
24º    Bruno Senna            (BRA/Hispania)