Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Reportagens

Wilt Chamberlain o fora de série

16 de Maio, 2011

Chamberlain foi um génio na disputa das tabelas.

Fotografia: AFP

A criação nunca tinha sido tão bondosa com um desportista como quando tocou a sua mão em Wilt Chamberlain. Somente de um molde divino poderia se tirar uma explosiva combinação de um jogar de basquetebol que reúne com perfeição anotações e ressaltos. A sua versatilidade na hora de atacar o aro e a personalidade que impunha na hora de defender a cesta faziam de Chamberlain um jogador fora de série. Era tanta a sua vantagem sobre os rivais que forçou a NBA a mudar em 1964 as regras da linha larga em baixo da cesta de 12 para 16 pés.

Estrela da pista e do campo da Universidade de Kansas, Chamberlain media 2,16 metros de estatura e pesava 125 quilos, mas aumentou a sua massa muscular à medida que a sua carreira progredia, chegando a pesar 136 quilos de pura fibra. Em 1955, na NBA, criou um draft territorial que permitia a uma equipa reclamar o jogador de uma universidade local. Gottileb, um dos fundadores da NBA, argumentou que Charbelain havia crescido na Filadélfia e como não havia equipas de basquetebol da NBA em Kansas, os Guerreiros exerceram o seu direito territorial, sendo a única ocasião que um jogador foi para uma selecção territorial por suas raízes pré-universitárias.

Depois de jogar um ano com os Harlem Globetrotters, Chamberlain vestiu o uniforme da Filadélfia no campeonato de 1959-60. O mundo do basquetebol esperava ansiosamente a sua estreia e ele não decepcionou, no seu primeiro combate, contra os Knicks de Nova York, Chamberlain marcou 43 pontos e recuperou 28 ressaltos. Num sensacional primeiro ano, Charberlain tinha médias de 37,6 pontos e 27 ressaltos por partida e foi nomeado o Novato do Ano da NBA, Melhor Jogador do Jogo de Estrelas, e Melhor Jogador na NBA, além de ser incluído na equipa ideal.

Ainda que a temporada inaugural de Chamberlain tenha tido um alto preço, depois de levar os Guerreiros a pós-temporada saltando do último ao segundo lugar, e logo cair na série de playoffs 4-2 frente aos Celtics de Boston, o novato assustou os aficcionados ao anunciar que pensava em se retirar devido a rudez excessiva dos seus oponentes. Chamberlain sabia como controlar o seu corpo e as suas emoções, assim prova o seu surpreendente recorde de uma única expulsão por acumulação de faltas em mais de 1.200 jogos em 14 anos de carreira.

Logo depois, Chamberlain não se retirou, aprendeu a suportar o castigo e o superou. Dominava o jogo como poucos jogadores na história de qualquer desporto e as suas cifras o avalizam. Os livros de recordes estão cheios de vitórias de Chamberlain; ele é o único jogador da NBA a marcar 4.000 pontos numa temporada. O dia 2 de Março de 1962 ficou registado como a data que marcou 100 pontos num jogo, além de conservar a marca de mais tiros de média distância encestados de forma consecutiva, com 18, e mais ressaltos, com 55. Quem sabe a sua estatística mais surpreendente seja a média de 50,4 pontos por jogo na 61-62, e se não for esse, então possivelmente será os 48,5 minutos jogados por partida na média da mesma campanha.

Ele é o segundo de todos os tempos, atrás somente de Abdul-Jabbar, em pontos consecutivos com 31.419, e o líder de ressaltos com 23.924. Encabeçou a NBA em pontos marcados em 7 anos consecutivos, foi o líder de ressaltos da liga em 11 de suas 14 temporadas, e se por acaso tivesse que provar que não foi um jogador egoísta, Chamberlain ganhou o maior número de assistência da NBA num torneio 67-68. Em 1962, Chamberlain se mudou para São Francisco, mas na metade do torneio seguinte foi enviado de volta a Filadélfia com os 76's, trocado por três jogadores, conseguindo depois com esta equipa o título da NBA.

Depois da temporada de 1967-68, Chamberlain foi transferido para os Lakers de Los Angeles em troca de três jogadores, aí passou as suas últimas cinco temporadas ajudando a equipa a chegar na Série Fina da NBA em quatro ocasiões, ganhando em 1972 e retirando-se no final da temporada 1972-73. Em 1978, no seu primeiro ano de elegibilidade, Chamberlain foi seleccionado para o Salão da Fama Naismith memorial de Basquetebol e em 1996-97 foi seleccionado para a equipa ideal (Dream team) de todos os tempos da NBA no 50º aniversário da liga.

Com todas essas vitórias ninguém pode negar que a NBA teve um ser superior que se igualou aos mortais. Se não bastasse isto, ele causou polémica depois da aposentadoria. Ao lançar a sua biografia, declarou ter-se relacionado sexualmente com mais de mil mulheres.