Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Fora de Campo

Brasileiro Marcos está internado

12 de Fevereiro, 2015

o ex-atleta “passa bem e está internado para realização de exames clínicos

Fotografia: AFP

O ex-guarda-redes Marcos foi internado  em São Paulo por causa de “dores articulares”. O ex-jogador passa por tratamento no Hospital São Luiz, que confirmou o internamento do ídolo do Palmeiras e disse que o ex-atleta “passa bem e está internado para realização de exames clínicos necessários para a  avaliação”. Aos 41 anos, Marcos esteve no Allianz Parque no último domingo e acompanhou a derrota da equipa da casa para o rival Corinthians, por 1-0. Ele  aposentou-se  no início de 2012 e entre outros títulos, conquistou a Copa Libertadores de 1999 e a Copa do Mundo de 2002. Instantes depois de ser divulgada a notícia do internamento de Marcos, os adeptos do clube alviverde foram às redes sociais para mandar mensagens de apoio ao ex-guarda-redes.

Raymond ilibado
Justiça do Rio arquiva processo


A Justiça do Rio de Janeiro decidiu arquivar o processo contra o executivo da Match, agência parceira da FIFA na venda de ingressos e pacotes de hospedagem, Raymond Whelan, suspeito de actuar para um grupo de cambistas no Campeonato do Mundo de 2014, no Brasil. De acordo com a Justiça, não havia provas suficientes nas investigações feitas pela polícia e pelo Ministério Público que comprovassem o envolvimento do executivo com a quadrilha.

Os cambistas teriam actuado também em outros Mundiais. “Decreto a inépcia material da denúncia trancando-se a acção penal apenas quanto a este paciente”, disse na sua decisão o desembargador Luiz Noronha Dantas. O processo contra os demais suspeitos, entre eles o franco- argelino Lamine Fofona, que pode ser o articulador do esquema ilegal de venda de ingressos, foi mantido pela Justiça do Rio. Cerca de uma dezena de integrantes da quadrilha foi presa durante o mundial.

O executivo da Match chegou a ser considerado foragido da Justiça, mas depois  entregou-se  às autoridades locais. Whelan, Fofana e outros supostos cambistas passaram alguns dias no complexo prisional do Rio, mas foram soltos por decisão do Supremo Tribunal Federal (STF).