Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Fora de Campo

Carta de conduo suspensa

11 de Julho, 2015

Arturo Vidal (de p) foi um dos responsveis pela conquista do primeiro trofu para Chile

Fotografia: AFP

O craque da selecção do Chile, Arturo Vidal, não vai a julgamento por conta do acidente de trânsito, em Santiago, em que destruiu a Ferrari devido ao estado de embrieguês, durante a disputa da “Copa América”. Para tanto, o jogador chileno estabeleceu um acordo na quarta-feira e aceitou manter suspensa por dois anos a carta de condução.

Além disso, Vidal deve pagar uma indemnização à vítima do veículo que atingiu, fazer doações (uma camisola utilizada na Copa América e mais 100 kits de materiais desportivos a um colégio), conceder palestras de motivação e pedir desculpas públicas aos agentes da Polícia que insultou, o que fez na própria audiência.

“Olá, sou Arturo Vidal, gostaria de me desculpar dos Carabineros (polícia militar chilena), não estava num momento preciso. Estou a arrepender-me, agora, e oxalá nunca mais volte a passar por isso. Agradeço por me terem controlado. A todos os Carabineros do Chile, as  minhas desculpas”, expressou-se, de acordo com  o site do jornal Cooperativa.

Feito isso, o jogador da Juventus evita o julgamento, a não ser que viole algum ponto do acordo. Um dos principais destaques da campanha, da campeã do Chile, Vidal chegou a passar uma noite na esquadra da Polícia depois do acidente, que lhe causou escoriações leves, mas deslocou o cotovelo da mulher. Dois exames realizados durante a madrugada comprovaram que tinha 1,21g de álcool por litro de sangue.

Antes da audiência na quarta-feira, o jogador da Juventus já tinha pedido desculpas. “O acidente aconteceu por minha culpa. Fui ao casino e bebi. Coloquei em risco a minha vida, a da minha mulher e a vida de muitas pessoas. Estou  arrependido”, disse, citando também os companheiros de equipa e todo o povo chileno.