Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Fora de Campo

Dipanda para Luz

12 de Novembro, 2010

A Taa do jogo amistoso entre Palancas Negras e Sport Lisboa e Benfica vai repousar na galeria da equipa encarnada de Portugal.

Fotografia: Kindala Manuel

A Taça do jogo amistoso entre Palancas Negras e Sport Lisboa e Benfica vai repousar na galeria da equipa encarnada de Portugal. O ministro angolano da Juventude e Desportos, Gonçalves Muandumba, entregou a Taça ao capitão da equipa de Lisboa. Mantorras também beneficiou de uma condecoração. O presidente da Federação Angolana de Futebol, Justino Fernandes, entregou a lembrança a menino bonito da equipa de Lisboa e o "embaixador" de Angola no estádio da Luz. O angolano encerrou a sua prestação aos Palancas Negras depois de muitos anos de glória, com destaque para o título de campeã africano de sub-21, às ordens de Oliveira Gonçalves. Com a derrota de quarta-feira, Angola aumentou as “desforras” com Benfica de Lisboa.

David e Vitoria
As confissões dos Beckham

O casal Beckham parece mais unido do que nunca. Numa entrevista À revista "Hello!", Vitoria Beckham reafirmou que ela e o marido, David Beckham, são “almas gémeas” e que o casamento de 11 anos está para durar, apesar dos altos e baixos. A ex-Spice Girl garante que o segredo é manter a chama acesa e por isso mesmo os dois continuam a fazer saídas românticas, todas as quartas-feiras. E a sintonia parece completa. David quer seguir os passos da esposa e lançar a sua própria linha de roupa interior. Estará o jogador dos LA Galaxy já a pensar na reforma?

Do Real Madrid
As novas
"bombas"


A Audi, patrocinadora do Real Madrid desde 2003, fez a já habitual distribuição de "bombas" pela equipa blanca. E foi no Estádio Santiago bernabéu que cada um dos jogadores e elementos da equipa técnica receberam a chave para os faustosos carros da marca alemã, que não tarda estará a rolar nas ruas da capital espanhola. As escolhas foram variadas: José Mourinho optou pelo A7 Sportback, cifrado em 85 mil euros. Cristiano Ronaldo preferiu um bólide mais adequado à sua rapidez no campo. São 450 cavalos (cv) que vão fazer CR7 "voar" no novo RS5. Pepe e Ricardo Carvalho foram mais comedidos nas escolhas e levaram para casa o familiar Q7 com apenas 350 cv. É caso para dizer: carros de luxo para jogadores e treinadores de luxo.

Após penduradas as chuteiras 
Ronaldo cuida Kaká e Pato

Ronaldo estampa a capa da revista Alfa do mês de Novembro. Com 34 anos de idade e 354 milhões de dólares norte-americanos na conta, o atacante do Corinhthians falou sobre o amor e a dívida com a claque, as baladas, os filhos, as ex-mulheres, a empresa de marketing e os planos de pendurar as chuteiras. O craque diz que ainda vai jogar até ao final do próximo ano, mas segundo a publicação, suas  ausências dos relvados e as frequentes queixas sobre cansaço e dores no corpo deixam no ar a sensação de que pode, a qualquer momento, antecipar a aposentação. “É uma decisão natural, um dia tenho de dar um basta, até mesmo em respeito aos meus admirador. Mas só de pensar nisso já dá uma tremenda nostalgia. O futebol tomou todo o tempo da minha vida", disse. No momento, Ronaldo está a montar uma empresa, a 9nine, que vai promover eventos desportivos e vai cuidar da carreira de atletas, entre os cotados estão Kaká e Alexandre Pato. "Quero ser na empresa tão bom quanto fui nos campos", afirmou.

Arantes de Nascimento
Histórias do Exército


Arantes de nascimento "Pele" relembra a sua passagem pelo Exército Brasileiro e histórias da época em que contribuiu para acabar com conflitos pelo mundo através do futebol, em entrevista exclusiva ao programa Esporte Espectacular, que vai ao ar no próximo domingo (14), na TV Globo. Na conversa, que foi realizada no Exército, onde foi inaugurado um busto em homenagem ao ex-jogador e um espaço cultural, na Fortaleza de São João, na Urca, Rio de Janeiro, Pelé também falou sobre o momento mais feliz e mais triste da sua vida. "A maior alegria da minha vida foi ter parado uma guerra com o desporto, com o futebol!", disse referindo-se ao conflito no Congo, em 1969. "E a minha maior tristeza foi, sem dúvida, ter visto o recomeço da guerra, quando nos despedíamos daquela população", afirmou.