Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Fora de Campo

Fim trágico de um talento

17 de Janeiro, 2016

Mundo do xadrez lamenta a morte de jovem esperança de nacionalidade russa

Fotografia: APF

O mundo do xadrez está de luto com o precoce desaparecimento de uma das grandes esperanças do xadrez mundial. O russo Ivan Bukavshin foi vítima de um derrame cerebral fulminante durante um estágio que estava a realizar na localidade de Tolyatti, em conjunto com alguns outros elementos mais cotados da nova geração.

O jovem, que aparentava boa saúde, ter-se-ia queixado na tarde anterior de dores de cabeça, mas não teria dado demasiada importância e não solicitou apoio médico, o que acabaria por se revelar fatal.

Na sua curta carreira, Bukavshin sagrou-se campeão europeu de sub-12, sub-14 e sub-16 e era o actual campeão russo sub-21. Repetiu em 2015 a vitória que já alcançara em 2014.

Ivan Aleksandrovich Bukavshin, nascido a 3 de Maio de 1995, na cidade russa de Rostov-on-Don, 950 kms a Sul de Moscovo, teve a sua iniciação na modalidade muito cedo, por iniciativa paterna, quando tinha apenas 4 anos de idade. Apesar de, inicialmente, não ter um interesse particularmente grande na modalidade, aos poucos desenvolveu-se e aos 10 anos era já um dos melhores jogadores russos da sua categoria.

Em 2011, alcançou o título de Mestre Internacional e, apenas poucos meses depois, o de Grande Mestre, lançando-se decisivamente no caminho do sucesso. O ano de 2015, fora particularmente positivo. Entrou pela primeira vez no "top-100" mundial, onde ocupava a 92.ª posição e o quinto lugar na hierarquia júnior. Pela primeira vez, classificou-se para a super-final do campeonato russo, em que alcançaria 5 pontos de 11 possíveis, no confronto directo com os “monstros” consagrados.

Sergei Karjakin, o detentor da Taça do Mundo e Peter Svidler, hepta campeão russo, foram dois dos seus compatriotas que expressaram a sua profunda consternação pelo precoce desaparecimento de um dos grandes talentos emergentes, a quem teceram rasgados elogios pela compreensão que já possuía das subtilezas estratégicas, pela criatividade e espírito combativo que manifestava.

A última participação de Bukavshin em provas internacionais ocorreu no final do ano, no encontro Nutcracker, realizado em Moscovo, onde uma selecção de jovens esperanças se confrontou com um grupo de veteranos jogadores da elite. O ex-atleta alcançou a segunda posição, que partilhou com o ex-vice-campeão mundial, Boris Gelfand. O israelita manifestou-se chocado pelo trágico acontecimento e considerou que, no seu encontro pessoal, para além de ter encontrado uma pessoa extremamente cordial, tinha também se deparado com um grande talento natural. Sem dúvida, mais tarde ou mais cedo, o russo teria catapultado para a elite e talvez mesmo para a luta pelo título máximo. Ficará para sempre sem resposta até onde poderia ter ido este promissor jovem, que nem sequer tinha ainda optado pelo profissionalismo. Até a sua morte, frequentava a Universidade Ural State Mining, em Ekaterinburg.