Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Fora de Campo

Fraca adeso nos EUA

11 de Setembro, 2014

Os norte-americanos esto pouco interessados no Mundial de Espanha mesmo com a sua seleco em prova

Fotografia: AFP

O basquetebol é um dos três grandes desportos dos Estados Unidos. No entanto, o Campeonato do Mundo de Basquetebol em que a selecção norte-americana é uma das grandes favoritas, tem sido uma desilusão no que toca a audiências por parte do povo. De acordo com o jornal “O Jogo”, o Mundial de Basquetebol atraiu menos de 0,4 por cento da população total dos Estados Unidos.

Cerca de 1,3 milhões de americanos viram os jogos frente a Finlândia e a Turquia, com um aumento face ao Mundial de 1994, onde os Estados Unidos conquistaram a medalha de ouro, mas que está muito abaixo das expectativas da Federação Internacional da modalidade. Neste caso, o basquetebol – um dos desportos que tem mais adeptos nos EUA- teve menos espectadores do que a campanha portuguesa no Mundial do Brasil de Futebol.

O jogo de Portugal com os Estados Unidos colocou à frente dos televisores cerca de 3,6 milhões de pessoas. Embora as audiências norte-americanas estejam em baixo, o Mundial de basquetebol demonstra bons números tanto ao vivo como por transmissão. Ao vivo os pavilhões têm albergado uma média de oito mil pessoas por jogo e as audiências televisivas em Espanha chegaram aos quatro milhões durante o jogo entre espanhóis e franceses.

A questão das audiências não são no entanto, a única preocupação da FIBA. Em cima da mesa está o possível acordo de resultados por parte da Austrália. A equipa australiana está sob inquérito depois de terem surgido suspeitas de que pode ter perdido o jogo frente a Angola para evitar os Estados Unidos na fase seguinte.

ADVERSÁRIAS NO US OPEN
Serena e Wozniacki festejam no Big Apple

A amizade de Serena Williams e Carolina Wozniacki não dá espaço para derrotas e vitórias. E isso viu-se quando a norte-americana se sagrou como a grande vencedora do US Open ao bater a dinamarquesa. Nada que interfira na boa relação das duas tenistas, que foram celebrar a conquista do 18º Grand Slam de Williams pela noite dentro, em Nova Iorque. Momentos de boa disposição na cidade que nunca dorme, uma celebração sem espaço para derrotados.

As duas estrelas do ténis mundial festejaram ao lado da manequim Gigi Hadid e de Joe Jonas, do grupo Jonas Brothers e não perderam a oportunidade de celebrar com os fãs que as seguem nas redes sociais ao partilharem algumas das imagens da noite de festa!

CABO VERDE
Árbitros controlados
para evitar riscos do Ébola

A equipa de arbitragem senegalesa indigitada para dirigir o jogo de ontem entre Cabo Verde e Zâmbia esteve controlada pelas autoridades sanitárias cabo-verdianas como forma de evitar a entrada do vírus Ébola no país. O quarteto senegalês beneficiou de  medidas de flexibilização para a entrada de estrangeiros em solo cabo-verdiano definidas pelo Governo, com relação aos países já referenciados com casos de Ébola, mas foi seguido de perto “como forma de evitar qualquer risco”.

Em declarações à “Rádio de Cabo Verde”, o director-geral de Saúde, António Pedro Delgado disse que os integrantes da equipa de arbitragem estavam a ser monitorizados mediante o controlo de temperatura diária, de forma a registar eventuais sintomas ou sinais que pudessem exigir intervenção necessária por parte das autoridades sanitárias.

Indigitada pela Confederação Africana de Futebol, CAF, a equipa é chefiada por Malag Diedhiou e tem como árbitros auxiliares Djibril Camara e El Hadji Samba, ao passo que Maguette Ndiaye vai desempenhar o papel do quarto árbitro. Sabe-se, por outro lado, que a União Africana pede que as restrições de viagens por causa do vírus Ébola sejam suspensas, como forma de evitar escassez de alimentos nos países atingidos pela enfermidade.

VIOLÊNCIA
Rice expulso da NFL
por agredir a namorada


O jogador de futebol americano Ray Rice foi excluído da equipa da NFL dos Baltimore Ravens por ter batido na namorada. O caso aconteceu no passado mês de Fevereiro quando o “running back” da equipa norte-americana espancou brutalmente a  namorada Janay Palmer, num elevador. As acções do jogador dos Ravens foram captadas em vídeo quando o jogador arrastava o corpo inconsciente da mulher para fora do elevador.

Com base nas imagens, a NFL que é a liga de futebol americano, ditou dois jogos de suspensão para o jogador de 27 anos. Contudo, após ter revisto as imagens, o órgão que gere a liga admitiu que o castigo foi demasiado brando e estendeu a suspensão para seis partidas sem salário. Agora, depois de o jogador ter pedido desculpas em público e à namorada, foram reveladas novas imagens de dentro do elevador em que o jogador agrediu Janay Palmer.

A câmara de segurança do elevador captou o momento em que o atleta dos Baltimore Ravens dá um soco à namorada que a deixa inconsciente no momento. A NFL tem regras muito severas relativas a casos de violência doméstica. Numa primeira acusação, os jogadores ficam suspensos da equipa por seis jogos.

Em caso de reincidência, o jogador é posto de parte da equipa. Apesar de o caso de Ray Rice não ser uma reincidência, a NFL teve em conta as imagens que têm chocado a América e decidiu expulsar o “running back” dos Baltimore Ravens. Apesar da brutalidade da agressão, os dois intervenientes ainda estão juntos e acabaram por se casar.