Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Fora de Campo

Na lupa dos EUA

09 de Março, 2015

Organizados pela Fundação Leo Messi

Fotografia: AFP

Uma investigação da polícia dos Estados Unidos da América observa os jogos amistosos promovidos por Lionel Messi, em Junho de 2014, por possível relação destes com o narcotráfico. As autoridades americanas suspeitam que os empresários, organizadores do evento, tenham contacto com um cartel mexicano, de acordo com  o jornal El Mundo. O cartel Los Valencia pode ter entrado em contacto com os empresários, todos colombianos, para realizar os jogos amistosos. O plano era lavar dinheiro da organização criminosa por meio de pagamentos fictícios.

A este contexto soma-se a investigação espanhola sobre os jogos “Amigos de Messi”. A averiguação é feita para saber se os atletas convidados cobraram pela sua participação. Se for esse o caso, pode haver um delito fiscal dos atletas, que precisam declarar os rendimentos em Espanha. Os fundos arrecadados deviam ser destinados a projectos sociais, mas em alguns casos isso não devia ter acontecido. Organizados pela Fundação Leo Messi, os amistosos são realizados em diversos países sul-americanos, incluindo a Colômbia. A polícia americana suspeita que, mesmo não sabendo da lavagem de dinheiro, os atletas tenham tido relações amigáveis com o cartel colombiano.

 ESPANHA
Ex-dirigentes do Osasuna  presos por fraude

O ex-presidente do Osasuna, Miguel Archanco e o ex-director do clube, Txuma Peralta foram presos na tarde de último sábado, na cidade de Pamplona, por ordem da Justiça de Espanha. O juiz Fermín Otamendi decretou a prisão incondicional de Peralta, e para Archanco, expediu ordem de detenção com fiança estabelecida em 500 mil euros, como resultado da investigação do suposto desvio de pelo menos 2,4 milhões de euros dos cofres do clube, além de uma suposta manipulação dos resultados de partidas na última época.Minutos após o anúncio da decisão judicial, o advogado Eduardo Ruiz de Erenchun, defensor do ex-vice-presidente do Osasuna Juan Pascual (que responde em liberdade neste mesmo caso), afirmou no twitter que o ex-gerente do clube Ángel Vizvay também tem “altíssimo risco” de ser detido “nos próximos dias”, mas não explicou o porquê.