Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Fora de Campo

O amigo dos "parcas"

14 de Abril, 2015

Futebolista empresta carros “de luxo”a amigos apesar dos compromissos profissionais

Fotografia: AFP

Neymar está acostumado a ser presenteado com carros, pelos patrocinadores. Em Barcelona, o craque resolveu fazer o mesmo com os amigos. É comum ver os “parcas”, denominação dada aos amigos fiéis, a conduzir as máquinas do “camisola 10” do Barcelona pela cidade catalã. Só da patrocinadora do Barcelona, a empresa alemã Audi, Neymar já ganhou quatro carros diferentes. O atleta usou os modelos A7, Q7 e TT. Actualmente, conduz um Q5 de cor branca, avaliado em cerca de 140 mil dólares.

O carro é o mesmo do uruguaio Luiz Suárez.  Neymar ainda tem na garagem um Porche Panamera avaliado em quase 275 mil dólares e é mais raro de ser visto nas mãos de outra pessoa. O acordo da Audi com o Barcelona empolga Neymar. Ainda no Santos FC, o jogador brasileiro chegou a ter dois carros da empresa na garagem com os modelos R8 e R8 GT. No Barcelona, assim como todos os outros jogadores, o carro da empresa alemã serve para os compromissos profissionais de Neymar. É com ele, por exemplo, que o atacante vai aos treinos do Barcelona.

Em dias de folga, os “parças” costumam agir como motoristas dos carros de Neymar. É com os seus carros que são feitas as deslocações dos amigos mesmo que esteja presente. Já nas festas em Barcelona é o atacante que age como piloto por não ter o hábito de ingerir bebida alcoólica. Das opções disponibilizadas pela Audi para os jogadores do Barcelona, o mais popular é o Audi Q7, escolhido por Iniesta, Daniel Alves, Douglas e mais 11 jogadores. O modelo está avaliado em cerca de 170 mil dólares.

Os jogadores do Barcelona têm de devolver o carro da Audi sempre que quiserem realizar a troca do modelo. Um evento anual de entrega de carros é realizado quando a maioria dos atletas decide fazer a mudança e não podem ficar com o veículo em caso de saída do clube.

CONTRA CICLISTAS
Caminhos de ferro fazem queixa em França


A direcção dos caminhos de ferro franceses (SNCF) pediu ontem à polícia para agir contra a atitude "irresponsável" dos ciclistas da Paris-Roubaix que não respeitaram um cordão de segurança, ao cruzar uma linha segundos antes da passagem de um comboio. A SNCF fez uma queixa oficial à Procuradoria-Geral francesa, sustentando que a acção de um grupo de corredores na clássica podia ter resultado numa tragédia mortal. Na tarde de último domingo, a pouco mais de 87 quilómetros do final da Paris-Roubaix, o pelotão deparou-se com cancelas fechadas numa passagem de nível, com vários corredores a optarem por atravessar para o outro lado, em desrespeito à indicação de um agente da autoridade.

O último ciclistas atravessou a barreira policial a oito segundos antes da passagem de um TGV (comboio de alta velocidade). Os organizadores da clássica, conhecida como "Inferno do Norte", consideraram que os primeiros atletas a atravessar a passagem de nível, nos quais estava o vencedor John Degenkolb, não conseguiram parar de imediato, quando a cancela caiu.