Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Fora de Campo

Uma agenda cheia no Brasil

18 de Novembro, 2012

Depois de reassumir as pastas, Gonçalves Muandumba escolheu o Brasil para inaugurar a nova etapa de governação. O ministro angolano da Juventude e Desportos cumpre uma intensa jornada laboral na sua visita de trabalho ao Brasil. Depois de ter reunido com o seu homólogo do Brasil, Aldo Rabelo, no dia 14 visitou a Secretaria Nacional da Juventude, onde manteve conversações com altos responsáveis da instituição. Gonçalves Muandumba inteirou-se do programa organizativo da instituição.

Em seguida, visitou a unidade do Programa Segundo Tempo, similar ao Despontar angolano e com muita atenção acompanhou todas as actividades desenvolvidas com carácter social voltadas para as crianças carentes e desprotegidas. Na agenda de Gonçalves Muandumba consta, para os próximos dias, um encontro com o presidente da Confederação Brasileira de Futebol, visitas a centros de Alto Rendimento e um encontro de trabalho com os mentores da Secretaria Nacional do Lazer, responsáveis pelo programa de governo para a integração da sociedade pelo Desporto e pelo Lazer resgatando assim o poder da cidadania.


LILIAN THURAM
O racismo mais poderoso


Lilian Thuram, ex-jogador francês, campeão do Mundo e da Europa, é actualmente um activista social contra o racismo. Na sua passagem por Lisboa, Portugal, onde participou numa conferência promovida pela Gulbenkian, concedeu uma entrevista à TVI na qual realçou que passou a ser chamado Noiraude, personagem de uma vaca negra muito estúpida, numa série de desenhados animados, quando chegou a Paris. A vaca branca era muito inteligente. Esse nome deixou-o triste o que o levou a questionar a mãe sobre por que razão a cor negra era associada a algo negativo. Como resposta, a mãe disse-lhe que as pessoas eram racistas.

Só mais tarde se apercebeu que o racismo é uma construção cultural, porque no inconsciente colectivo da maior parte das sociedades europeias, a História das pessoas de pele negra começa na escravatura. Para Thuram é preciso questionar por que razão não há, nos manuais escolares, referência às pessoas negras que fizeram coisas extraordinárias noutras áreas. Limitar os símbolos negros a áreas como o desporto ou a música também é um comportamento influenciado pela História. Hoje em dia há um preconceito muito em voga na sociedade, segundo o qual as pessoas de pele negra têm mais vocação para o desporto.


CLAQUES ORGANIZADAS
Extinção é um processo


O futebol é a maior paixão dos povos e por esse motivo muitos adeptos uniram-se para apoiar incondicionalmente os seus clubes de coração dentro e fora de campo. Esse processo transformou as claques organizadas em quadrilhas que fazem o que bem entendem, apoiadas por um sistema de impunidade e benefícios gerados aos que lhes pertencem. Um especialista brasileiro definiu sete motivos que o levam a estar contra as claques organizadas no futebol. Envolvimento político, interferências no dia-a-dia, incentivo ao revendedor de bilhetes, diminuições na venda de produtos licenciados, afastamento do adepto “comum”, assentos numerados e violência.

Para o especialista brasileiro, é impossível generalizar e dizer que todos os que participam nas claques organizadas são marginais, muitos são pessoas de bem e que querem apenas torcer pelo seu clube do coração, mas esses vão continuar a marcar presença nos estádios, com ou sem claque, pois o motivo que os leva a estar nos estádios sempre vai existir. Muitas coisas têm de melhorar no futebol e uma delas está nas bancadas: extinguir as claques organizadas.


DESAFIO DO ATACAMA

Corrida com energia solar


Ecologia, ciência e velocidade, 15 automóveis movidos a energia solar participam na segunda edição do “Desafio Solar do Atacama”. A prova consiste em percorrer 1.300 quilómetros no deserto mais árido do mundo, no norte do Chile. A largada da primeira etapa foi dada na última quinta-feira e os veículos vão atravessar 330 quilómetros até à cidade de Calama. O trajecto não é exclusivo, com camiões, autocarros e outros carros em vários trechos. Por isso, a competição tem duas categorias. A de automóveis movidos unicamente a energia solar e a de triciclos, que combinam energia solar e tracção humana. Entre os participantes estão chilenos, argentinos, venezuelanos e indianos. A corrida dura até amanhã.


NOVAK DJOKOVIC
Court na Rocinha


O tenista sérvio Novak Djokovic inaugurou um court de ténis público na favela da Rocinha, a maior do Rio de Janeiro, Brasil, ao lado do ídolo local Gustavo Kuerten, antigo número um mundial e triplo vencedor do Roland Garros. “Esse complexo público é muito importante. Este tipo de instalações desportivas envia uma mensagem significativa e muito positiva”, disse o actual número um mundial, na sexta-feira, depois de ter sido recebido em euforia por dezenas de crianças da comunidade de cerca de cem mil habitantes. O court é o primeiro a ser construído na favela carioca, no quadro de uma iniciativa do governo estadual do Rio de Janeiro, lançada no processo de pacificação da Rocinha, conhecida pelo tráfico de droga.

As iniciativas têm como objectivo melhorar a segurança para os visitantes esperados para o Mundial’2014 e para os Jogos Olímpicos de 2016. Djokovic participou ontem um jogo de exibição com Gustavo Kurten, com quem também participa, hoje, num jogo de futebol na companhia de figuras históricas do desporto-rei, como Zico, Romário ou Bebeto. O sérvio aproveitou para desejar “uma rápida recuperação” a um dos seus grandes rivais, o espanhol Rafael Nadal, garantindo que o ténis está a sentir a falta dele.