Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Entrevistas

A amazona que quer ter sucesso e ganhar medalhas em hipismo

João Francisco - On-line - 06 de Fevereiro, 2013

1º RICARDO CHIMBUNDI e 2º NERÍCIA DE FÁTIMA DALA

Fotografia: Jornal dos Desportos

Nerícia de Fátima Dala, 12 anos, apesar de não ter tido o sucesso do seu primo Alexandre Saluqueni no concurso internacional de “futuro campeões” do desporto equestre, disputado a 22 de Dezembro em Havana, por ter sido desqualificada ao cair do cavalo, continua entusiasmada em ser uma amazona de sucesso no futuro. Nerícia confessa que esta não foi a primeira vez que sofreu uma queda a andar a cavalo e que ficou muito triste. “Esta foi a minha terceira vez, mas, particularmente no concurso de Havana, fiquei muito triste porque fui desqualificada. Caí no momento do salto, quando tinha de imprimir a velocidade máxima (galope)”.

Com esta última queda, Nércia aprendeu que, “nos saltos altos de equitação devemos imprimir mais velocidade ou escolher cavalos rápidos. Deixaram-me escolher para competir, (em Angola quem escolhe o cavalo é o professor) e escolhi o “Chapareli”, que estava a coxear e o resultado foi mais uma queda”, explicou. Os outros acidentes que teve, alguns aparatosos, foram todos em Angola. “A primeira vez caí, foi com o “Lazão” e a segunda estava a montar o “Zambeze”, mas isso não me impede de continuar em busca da perfeição”, acrescentou a cavaleira, que sonha um dia representar Angola nos Jogos Olímpicos.


“Não é bom usar missangas no cabelo”

A atleta da Hípica da Funda alerta que “nunca devemos montar os cavalos com bolinhas ou missangas no cabelo, porque o barulho que podemos fazer quando a nossa cabeça bate no toque (capacete) pode descontrolar o cavalo e deixar-nos cair”. À semelhança dos demais praticantes que iniciaram a sua carreira na Fazenda Gimanalu, Nerícia começou a dar os primeiros passos em 2009, com sensivelmente oito anos. “Comecei com o professor Pedro, num dia de festa na fazenda Giamalu. No dia seguinte, levaram-me à hípica, onde começaram a ensinar-me a praticar galope, trote e passo.”Apesar de ter começado cedo, a jovem refere que há quem se inicie na equitação ainda antes. “O Márcio e a Dipanda, ou simplesmente Seara, começaram mais cedo que eu”, justificou. Fatinha tem como companheiras na classe de equitação da hípica de Luanda as suas primas Ociwana, de nove anos, que é filha do mais velho Desidério Costa, e da Tininha, dez anos, que é a irmã mais nova    do Alexandre
Saluqueni.

POR DENTRO


Nome completo: Nerícia de Fátima Dala
Filiação: Mário Africano Dias
de Carvalho e de Faustina Andrade Ebo Dala
Local e Data do Nascimento: Luanda, a 2 de Julho de 2000
Namorado: Não
Quantos filhos quer ter: Dois
Altura: 1,40 m
Peso: 52 kg
Nº de calçado: 38/39
Prato preferido: Bitoque
Bebida: Sprite
Hobby: Faço dança (todas excepto ballet) no Colégio
Cor: Azul, vermelho e amarelo
Cidade: Dubai (Emiratos Árabes Unidos)
Sonho: Ser uma amazona de sucesso



RICARDO CHIMBUNDI
“Quero representar Angola
nos Jogos Olímpicos”

Ricardo Pereira Chimbundi, 13 anos, aprendeu a montar a cavalo apenas com cinco anos, na província do Namibe, na fazenda do seu avô Manuel Pereira, já falecido.  Ele próprio nos contou que como foi parar à Hípica de Luanda. “Apercebi-me que havia um centro hípico em Luanda ao investigar na internet e inscrevi-me em Março de 2011, onde me encontro a praticar até agora”, disse.

Contrariamente aos outros praticantes, Ricardo já faz exames de sela, que são nove e uma condição obrigatória para participar em competições oficiais. “Já fiz exames até sela quatro, o que me possibilita fazer Campeonatos Nacionais. Quem chega ao sela nove pode até ser instrutor”, confirmou.

Chimbundi também participou pela primeira vez, entre Novembro e Dezembro de 2012, num evento equestre em Portugal, com sucesso, apesar de ter feito a sua estreia no seio de praticantes de 17 anos, quatro anos mais velhos. “Obtive a sétima e oitava posições, no primeiro e segundo dia de competição, respectivamente, o que foi muito bom, se tivermos em conta o facto de ter competido com atletas com mais experiência e entre 35 concorrentes”, disse.  Ricardo vive nos Coqueiros, na baixa de Luanda, e os outros petizes treinam no Centro Hípico de Luanda, na Funda, duas vezes por semana (sábado e domingo).

Bilhete de Identidade


Nome completo: Geraldo Miguel Pereira Geraldo Chimbundi
Filiação: Geraldo Chimbundi e Maria João Fernandes
Local e Data de Nascimento: Imgombotas (Luanda), a 1 Junho de 1999
Altura: 1,55 m
Peso: 42 kg
Calçado: 38
Prato: Bacalhau com Natas
Bebida: Refrigerante
Sonho: Participar nas Olimpíadas
Namorada: Ainda não
Hobby: Equitação e Play Station
Escola: Estou a estudar a 9ª classe no São José do Coluni


PING-PONG

O que é para si o Hipismo?
É a arte de andar a cavalo, que me faz muito feliz.

Além do Hipismo
o que mais faz?
Estudo a 9ª classe no Colégio Fruto do Cajueiro, no Condomínio da Sonangol Acácias – Rubras, no Bairro da Camama.

As meninas e os rapazes treinam juntos na hípica de Luanda?
Sim. Treinamos todos juntos.

O que fazem nos vossos treinos?
Ensaiamos os passos, que é a velocidade mínima, o trote (intermédia) e o galope (velocidade máxima). Na minha categoria de iniciados limitamo-nos a estes exercícios, mas os mais avançados fazem também os exames de sela para participarem nos concursos oficiais.


PERGUNTAS E RESPOSTAS


Além de montar a cavalo o que mais ensina o Hipismo?
A ser disciplinado, respeitoso e a ter sensibilidade com os animais.
 
Achas que podes chegar a ser um campeão do mundo?
Com esforço e dedicação tudo é possível

O Hipismo é só para ricos?
Não. É para todas as classes. Para ser praticante de equitação não é preciso ter o Cavalo. Basta ter-se umas calças e as botas apropriadas, que podem ser adquiridas nas próprias hípicas que também têm os seus cavalos.