Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Entrevistas

A "gazela" do Kwanza-Sul no atletismo paralmpico

Joo Francisco On-line - 07 de Fevereiro, 2013

Edna Alberto da classe T46( portadores de deficiencia

Fotografia: Jornal dos Desportos

Angola tem obtido êxitos retumbantes no desporto paralímpico, sendo o nome mais sonante o de José Sayovo. Mas, no escalão feminino, o país também conta com novos valores. Uma destas referências é Edna Guilherme Alberto, ou simplesmente Mimosa, de 23 anos. Edna Alberto perdeu a mão esquerda, por altura do punho, aos 9 anos, com o rebentamento de uma granada colocado numa lata de refrigerante, na comuna Oté, município do Sumbe, Kwanza-Sul.

O acusado de ter colocado o engenho era seu “pretendente”. Sete anos depois do acidente, em 2006, Edna Alberto começa a recuperar a auto-estima graça ao desporto, quando o treinador Quintino Caprego a vai buscar à casa onde vivia com a irmã, no Bairro do Estaleiro, no Sumbe. “A partir do momento em que o Mister Quintino Caprego me veio procurar, comecei a ver que o desporto podia mudar a minha vida. Naquele mesmo ano, fui escolhida para representar a província do Kuanza-Sul naquele que considero o meu primeiro campeonato nacional de pista, disputado no Estádio dos Coqueiros, em que obtive três medalhas de ouro nos 100, 200 e 800 metros na classe T 46”, recorda. Esta classe do desporto paralímpico é reservada aos portadores de deficiência num dos membros superiores.


QUALIDADES
DE FUNDISTA


Seguiram-se os Jogos Escolares de 2007, disputados na cidade do Lubango (Huíla), em que se sagrou campeã de corta-mato (2,5 km) em T 46, tendo obtido medalhas de ouro também nas disciplinas nos 100, 200 e 1500 metros. Em face das prestações em competições oficiais organizadas pelo Comité Paralímpico Angola (CPA), Edna Alberto é convocada para a pré-selecção com vista aos Jogos Olímpicos de Beijing (China) em 2008, mas não integra a selecção nacional por estar grávida. Seguiu-se uma paragem temporária na carreira desportiva, retomando a competição em 2010, participando em todas as provas organizadas pelo CPA, incluindo o Campeonato Nacional de Pista desse ano, obtendo cinco medalhas de ouro que deram o segundo lugar à província do Kuanza-Sul na classificação final inter-provincial da prova, ganha pela representação do Namibe.

MOMENTOS
Ausência por falta de recursos


Edna regressa às vitórias nas provas de estrada em 2011, desta feita na Taça Lwyni (10 km), conquistando mais uma medalha de ouro pelo Kwanza-Sul, no ano em que também se impõe nos 100, 200 e 800 metros nos Nacionais de Pista, apesar de, em termos colectivos, o Kwanza-Sul ter ocupado apenas a terceira posição da classificação geral. Em 2012, quando tudo apontava para novas conquistas da “gazela” das terras do Amboim, a depois de ter vencido em Luanda, a edição anual da Taça José Sayovo, eis que falha os campeonatos de corta-mato, disputados neste mesmo ano em Saurino (Lunda-Sul), pelo facto da província não ter disponibilizado os recursos financeiros para o efeito. Ainda em 2012, arrebata o ouro nos 100 e 200 metros e a prata nos 800, nos Campeonatos Nacionais de Pista, disputados no Estádio dos Coqueiros. Venceu também a 12ª edição da Taça Lwyni, disputada entre as instalações da Escola Nacional da Administração (ENAD) até aos Coqueiros na Baixa de Luanda.

perguntas ao treinador
“É a minha melhor pupila”

JD – Que apelo faz o treinador Quintino Caprego à autoridades desportivas e não só do Kwanza-Sul?
QC
Apelo em particular ao Governo do Kwanza-Sul, no sentido de estimular a prática do desporto adaptado, pois a nossa província já demonstrou que tem muitos talentos, sobretudo na classe feminina.

JD – Fale um pouco das qualidades da Edna
QC–É uma atleta que me impressionou desde os primeiros dias que comecei a trabalhar com ela. Tem grandes qualidades para provas de velocidade, mas notabiliza-se nas provas de resistência.

JD – Como tem sido o seu comportamento em prova?
QC–Considero-a a minha melhor pupila. Desde que acompanho a sua preparação e participação nas competições, nunca tive momentos de decepção. Deu-me muitas alegrias. Sempre que participou em competições, arrecadou muitas medalhas e quando assim acontece todo o treinador fica satisfeito.

JD – Qual tem sido o segredo da vossa preparação?
QC–Ponho em prática tudo o que aprendi quando estou com os meus atletas na pista de cinzas do Bairro da Cerâmica, no Chingo (Kwanza-Sul)

JD – Tem alguma formação específica em desporto?
QC–Formei-me no Instituto Nacional de Educação Física, com especialização nas modalidades de atletismo e futebol

JD – E no desporto adaptado?
QC–Fiz cursos específicos para o desporto adaptado em Luanda e Benguela. Em 2010, participei num seminário internacional em Maputo (Moçambique), à margem dos Jogos da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa.

Por dentro
Nome: Edna Guilherme Alberto
Filiação : Sabalo Miguel e Judith João Guilherme
Local e Data de Nascimento: Sumbe (Kuanza-Sul) a 1 de Agosto de 1989
Estado Civil: Solteira, mas vive maritalmente
Filhos: Um
Altura: 1,68 m
Calçado: Nº40
Prato Preferido: Arroz com frango frito e salada
Bebida: Coca-Cola
Hobby: Atletismo, estudar e estar com a família
Escola: 6ª classe na Escola 15 de Setembro para estudantes com cuidados especiais
Cor: Rosa
Sonho:Formar-se em Educação física
Quem mais admira:Narciso Matias, campeão masculino dos 100, 200 e 400 metros nos Nacionais de 2012 na classe T35 (paralisia cerebral e dos membros)
Cidade:Luanda e todas as cidades e municípios do Kwanza-Sul