Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Entrevistas

A mascote dos encarnados de Luanda

24 de Março, 2012

O primeiro treino aconteceu a 15 de Janeiro e tudo correu na máxima perfeição

Fotografia: Jornal dos Desportos

Inácio Sandundo Manuel é roupeiro do Sport Luanda e Benfica há 13 anos. Começou a trabalhar na agremiação em Janeiro de 1999. Ele é o responsável pela organização do equipamento, bolas, água, transporte e alojamento. Quando, em Janeiro de 1999, foi indicado para seccionista do clube, Inácio Manuel aceitou o desafio. A ele juntaram-se mais tarde outros elementos, que, de uma forma ou de outra, contribuem para o que é hoje o Benfica de Luanda.

O primeiro treino realizou-se a 15 de Janeiro e tudo correu na máxima perfeição. Desde então, a equipa começou a crescer, com a inclusão de jogadores de referência. Inácio Manuel conquistou a amizade e o respeito de todos e tornou-se mesmo um símbolo para a equipa encarnada, viajando sempre com o grupo. “Quem trabalha com o futebol, abandona a casa. Passo a minha vida a viajar”, frisou.
Inácio Manuel procura desempenhar com profissionalismo as funções que lhes foram confiadas e a relação com todos os elementos da equipa é o melhor possível. “O convívio que se gera antes, durante e no final de cada jogo, é sempre salutar”, afirma. “Durante os treinos e jogos, é bonito ouvir que palavras do treinador, como a exigência, o rigor e a disciplina têm tamanha importância para os atletas, revelando todos eles um elevado grau de responsabilidade dentro do campo”, afirmou.

O seccionista dos encarnados garante que o seu clube, apesar dos tempos difíceis que correm, possui material desportivo suficiente para os atletas fazerem um campeonato tranquilo. “Avizinham-se tempos difíceis, mas temos certeza que é nestas alturas que a entreajuda e o querer se potenciam”, destacou.

O nosso entrevistado apelou ao espírito de união e de sacrifício de todos os seccionistas dos clubes do Girabola, para fazer crescer ainda mais as agremiações. “Queremos continuar a vencer e, se possível, oferecer aos nossos sócios e simpatizantes motivos de alegria. Contamos com todos e garantimos desde já que podem contar connosco”, rematou.

O seccionista do clube deixa uma mensagem à equipa: os nossos atletas foram ensinados e educados com base em valores como o rigor, persistência, respeito, humildade, garra, disciplina, ou seja, procurar ser melhor a cada dia que passa. Espero que a sua evolução na modalidade seja enorme, pois isso deixava-me muito feliz, significando que o nosso trabalho não é em vão”.

Algumas verdades...

Antigo engraxador e lavador de carros

Inácio Manuel conclui este ano o Curso Médio de Ciências Sociais, em Luanda. De 30 anos de idade, confessa que durante a adolescência foi lavador de carros e engraxador. Como engraxador, não tinha muitos problemas na via publica com as autoridades fiscais. No entanto, quando experimentou a profissão de lavador de carros, viveu situações menos boas. Os fiscais perseguiram-no e apreendiam-lhe os baldes e panos.
 
Desmotivado, Inácio Manuel jurou deixar essa actividade. Foi assim que viu brilhar uma luz ao fundo do túnel. Foi chamado para trabalhar para o clube dos encarnados de Luanda como seccionista. Hoje, Inácio Manuel tem como sustentar a sua famlia. “Agradeço ao senhor Montez, que é um pais para mim”, disse.

Inácio
Responde

Como começou a sua história no clube?
Foi muita sorte. Era engraxador e tinha 16 anos de idade quando o senhor Carlos Montez me levou para trabalhar como seccionista do clube, onde estou até hoje.

Quem lhe ofereceu o emprego?
Foi o senhor Montez que me perguntou se eu não queria trabalhar lá. Em menos de uma hora, ele conversou com a administração, e mandaram-me vir. Preenchi a ficha, assinei e comecei a trabalhar.

O que é o Benfica de Luanda para si?
Todo mundo tem um dia de sorte, em que a estrela brilha. O clube é tudo na minha vida. Através dele, conheci muitas pessoas, países como o Brasil, Portugal, Espanha, Guiné Conacry e Congo Democrático. Devo tudo ao clube, não há dinheiro que pague. Não tenho nem palavras para agradecer.

Como é a sua rotina? Qual é o trabalho exactamente?
Nunca saio no horário certo, porque tenho de deixar as coisas preparadas. Quem trabalha com o futebol, abandona a casa. Um dia está aqui, no outro em outra província. Para mim, é um motivo de muita alegria e satisfação.

Tem tido muito trabalho?
Há sempre muito trabalho, correria, dedicação e às vezes não dá certo, mas não é por culpa de ninguém.

Existem jogadores que fazem pedidos constantes ao roupeiro?
Cada jogador tem uma particularidade. Um gosta de um calção menor, outro maior... Isso a gente vai atendendo. Camisola mais justa, mais solta, essas coisas existem. É normal. O jogador tem de se sentir bem. Ele precisa de render o que todos esperam.

Quem é o melhor jogador do clube?
Difícil, são tantos os jogadores... O clube sempre teve muitos jogadores de alto nível.

Como é a relação com o Pedro?
É boa. Nós sempre conversamos muito, ele brinca, cumprimenta, é muito eficaz.

Até quando pensa ficar no clube?
Será que vou conseguir ficar em casa? O clube é diferente. A gente cria amor, torce pelo clube. É difícil tomar uma decisão.


Quem é quem...

Nome: Inácio Sandundo Manuel
Data de nascimento: 10/6/82
Natural:  Luanda
Estado civil: Solteiro
Filhos: 2
Nacionalidade: Angolana
Peso: 89 Kg
Altura: 1,64
Clube: Benfica de Luanda
Modalidade: Futebol
Signo: Touro
Ocupação actual: Roupeiro do clube
Prato preferido: Calulu
Fuma: Não
Bebida: Sumos naturais
Filmes: Acção
Música: Kizomba
País: Angola
Cidade: Luanda
Casa própria: Sim
Carro: Sim
Campo/Praia: Praia
Cor: Vermelho