Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Entrevistas

Ainda acredito no ttulo

26 de Setembro, 2010

Vettel est h 24 pontos do liber Webber

Fotografia: AFP

O piloto alemão Sebastian Vettel diz que a desvantagem de 24 pontos para Webber não é significativa. A cinco provas do fim da temporada, ainda não quer desistir de vencer o Mundial de Fórmula 1deste ano. Mark Webber, seu companheiro na RBR, está 24 pontos à frente e lidera o campeonato à frente de Lewis Hamilton, Fernando Alonso e Jenson Button. O austríaco Helmut Marko, consultor da equipa, sugeriu que a mesma desse preferência ao australiano, para assegurar as chances deste, mas o germánico nega a abandonar a luta.

“Não estamos em pânico. Estamos a fazer o nosso trabalho discretamente. Acredito no título, que é o mais importante. Será difícil na recta fibal, mas estou optimista. Não importa se estou a 24, 25 ou 30 pontos atrás. O novo sistema de pontuação assusta mais do que deveria. A vitória agora vale 25 pontos. No campeonato anterior, estaria apenas 8 ou 9 atrás. É menos dramático - diz Vettel, a um jornal. O australiano Webber, entretanto, está disposto a contar com Vettel no papel secundário da equipa nesta parte final do campeonato. “Seria um bom problema para ter e depende da equipa saber a melhor maneira de ganharmos os campeonatos”, o australiano.

Webber garante evitar
pedir ajuda ao companheiro

Líder do mundial de pilotos com cinco pontos de vantagem para o inglês Lewis Hamilton, Mark Webber descarta pedir qualquer tipo de ajuda ao companheiro de Red Bull, o alemão Sebastian Vettel, para garantir o título nas cinco provas restantes da temporada da Fórmula-1. De acordo com informações do site ESPN F1, o australiano diz depender apenas do trabalho da equipa para ser campeão. Mesmo com os 24 pontos de vantagem que o separam de seu companheiro, Webber deixou claro que não pediu nada a Vettel e deu uma leve “alfinetada” na Ferrari, que ficou marcada pelo jogo de equipa entre Fernando Alonso e Felipe Massa no Grande Prémio da Alemanha, que acabou com o brasileiro a dar passagem e permitir a vitória do espanhol, um caso julgado pela FIA e absolvido.

"É o mesmo da Ferrari", disse o australiano da Red Bull. O discurso do líder é parecido ao do chefe da equipa Christian Horner, que negou dar preferência a alguns de seus pilotos na recta final do campeonato, mesmo que a atitude gere críticas de alguns, como fez Flavio Briatore recentemente, que se manifestou a favor de priorizar um competidor na luta pelo título. O dirigente da Red Bull, no entanto, diz que não irá mudar a forma de pensar. Já o assessor Helmut Marko indica uma mudança ao afirmar que a equipa iria "sentar todos juntos" e "avaliar as possibilidades" de acordo com os próximos resultados.

Piloto vê a McLaren com bons olhos

Depois de ser incluído nos planos futuros da McLaren, o alemão Sebastian Vettel respondeu que, caso saia da Red Bull no fim do seu contrato, o seu objetivo é correr numa escuderia competitiva e, desse modo, a McLaren é uma das potenciais candidatas. Nessa sexta-feira, o piloto, que tem vínculo com a Red Bull até 2012, comentou sobre o assunto ao jornal Today, de Cingapura, sede do Grande Prémio de hoje. "Estamos em 2010 e nunca se sabe o que deve acontecer em 2012. Acredito que as equipas de ponta sempre são muito interessantes, pois o meu objetivo é ganhar a corridas. E a McLaren já está lá há muito tempo. Então, quem sabe", deixou no ar o jovem.

A atravessar uma temporada com muitos problemas, sobretudo mecânicos, Vettel começou 2010 como um dos favoritos ao título de pilotos. Contudo, o arrojo do germânico acabou ofuscado pelo companheiro de equipa Mark Webber, o actual líder com 187 pontos. Por falar nos dois pilotos da Red Bull, foram eles que lideraram os treinos classificativos de sexta-feira. Na primeira sessão, o australiano foi o mais rápido e, na segunda, quem deu as cartas foi Vettel.

Por Dentro

Nome completo Sebastian Vetel
Nacionalidade Alemã
Local de nascimento Heppenheim, Hesse
Data de nascimento 3 de Julho de 1987 (23 anos)

Registros na Fórmula 1
Anos                               2007–presente
Equipa(s)                         BMW Sauber, Toro Rosso, Red Bull
GPs disputados                 56
Campeonatos                   0
Vitórias                            7 
Pódios                             15     
Pontos                             27610ª Etapa   
Pole positions                   12
Voltas mais rápidas           5 
Primeiro GP                      Grande Prémio dos Estados Unidos de 2007
Primeira vitória                  Grande Prémio da Itália de 2008
Última vitória                     Grande Prémio da Europa de 2010
Último GP                          Grande Prémio da Bélgica de 2010

A entrada para a Red Bull

A 19 de Abril de 2009, no Grande Prémio da China, conquistou a segunda vitória na categoria e a primeira da equipa Red Bull. A 1 de Novembro, Vettel terminou na segunda posição do Mundial - sendo o mais novo piloto a conseguir tal feito - logo após a sua vitória na estreia do GP de Abu Dhabi, ficando atrás apenas do britânico Jenson Button no campeonato. A 19 de Novembro de 2009 foi eleito o melhor piloto do ano pela revista inglesa "Autosport", numa votação feita com os chefes de equipa da categoria. O piloto alemão começou a temporada de 2010 conquistando a “pole position” nas duas primeiras etapas, mas, por problemas no carro, acabou perdendo a liderança, inclusive sendo obrigado a abandonar na segunda corrida.

A primeira vitória na temporada veio na terceira corrida, o Grande Prémio da Malásia, quando superou o companheiro de equipa Mark Webber, que ficou em segundo. Vettel, nascido em Heppenheim, a 3 de Julho de 1987, é um automobilista alemão da Fórmula-1, tornando-se o mais novo vice-campeão da categoria, em 2009. Actualmente representa a Red Bull. Começou aos 7 anos, no kart. Em 2004, na F-BMW Alemã, venceu 18 de 20 corridas disputadas e conquistou o título da competição. Nos anos seguintes, correu na F-3 Européia e passou a despertar interesse da BMW, onde passou a realizar testes.

O piloto mais jovem
a participar num Grande Prémio


Em 2006 como terceiro piloto da BMW Sauber, participou dos treinos livres para o GP da Turquia. Aos dezanove anos tornou-se o piloto mais jovem a participar de um evento de Fórmula-1. A sua estreia aconteceu durante o Grande Prémio dos Estados Unidos de 2007, quando substituiu o titular Robert Kubica. Na ocasião, Vettel terminou a corrida na oitava posição, conquistando o primeiro ponto da carreira. Às vésperas do Grande Prémio da Hungria de 2007, foi confirmado como novo piloto da Scuderia Toro Rosso, em substituição ao estadunidense Scott Speed, que saiu após desentendimentos com a equipa.

A 14 de Setembro de 2008 venceu o Grande Prémio da Itália, conquistando a primeira vitória da carreira na categoria e também da equipa Toro Rosso. Com esse feito, tornou-se o piloto mais jovem a vencer um Grande Prémio, com vinte e um anos. Marcou outro recorde com apenas nove segundos de carreira na Fórmula-1, ao tornar-se no piloto mais jovem a ser multado pela FIA por uma infracção ao passar do limite de velocidade nos boxes enquanto acessava a pista pela primeira vez. Também foi o mais jovem piloto a pontuar na corrida de estreia no GP dos Estados Unidos.

“Será difícil vencer
a Red Bull em Cingapura”

Para muita gente, números são apenas números. Mas será apenas coincidência o facto de os cinco mais rápidos, de sexta-feira, nos primeiros treinos livres do GP de Cingapura, serem, também, os cinco pilotos que lutam, ponto a ponto, pelo título? As posições de Sebtian Vettel, da Red Bull, o mais veloz, Mark Webber (seu companheiro), segundo, Jenson Button, McLaren, terceiro, Fernando Alonso, Ferrari, quarto, e Lewis Hamilton, McLaren, quinto, mostraram que são os mais eficientes da temporada. A etapa no circuito Marina Bay é a décima quinta do calendário. Mas Button, Alonso e Hamilton compreenderam que vencer Vettel e Webber, na importante sessão que definirá a grelha de partida, ao longo das 61 voltas da corrida, seria difícil.

"Estou impressionado com a velocidade da Red Bull", disse Button, o mais veloz depois de Vettel e Webber, mas 1 segundo e 30 centésimos mais lento. "Eles (Red Bull) voltaram ao que eram", afirmou Alonso. Nas etapas da Bélgica e da Itália, as duas anteriores ao GP de Cingapura, a natureza dos circuitos de Spa-Francorchamps e Monza desfavoreceram o modelo RB6-Renault de Vettel e Webber. São pistas de pouca pressão aerodinâmica. Mas na Hungria, traçado de elevada pressão, Vettel e Webber foram igualmente mais de um segundo mais rápidos que a concorrência.

Todos os pilotos sentiram pela primeira vez, na sexta-feira, o que é estar no circuito com chuva, na primeira sessão, e depois com asfalto húmido ainda no segundo treino. "Se chover seis horas antes da largada vamos começar a corrida com o circuito ainda molhado. A pista não seca", explicou Rubens Barrichello, da Williams.

Piloto revela
que torcerá por chuva

O alemão Sebastian Vettel surpreendeu, na sexta-feira, com as declarações que fez após os treinos livres para o Grande Prémio de Cingapura de Fórmula-1. Mesmo tendo o tempo mais rápido, afirmou que torcerá por chuva na corrida de domingo. "Seria interessante se tivéssemos chuva no domingo", afirmou o piloto, quinto classificado na tabela geral do campeonato. "Não significa muito ser o primeiro hoje (sexta-feira), pois é só um treino e nenhum ponto está em jogo. As condições climáticas podem trazer-nos algumas surpresas".

Sobre o seu desempenho no treino, Vettel destacou a performance da Red Bull, que esteve segura e não apresentou nenhum problema. "A coisa mais importante é que a sexta-feira foi limpa, não tivemos nenhum problema com o carro", comemorou.