Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Entrevistas

"Ainda sonho com ttulo de Mestre Internacional"

Joo Francisco - 01 de Junho, 2013

A antiga campe nacional interrompeu temporariamente a carreira por ter casado

Fotografia: Jornal dos Desportos

A xadrezista do Grupo Desportivo, Nelma Priscila Paulo, 22 anos, depois de ser várias vezes campeã nacional de xadrez, contraiu matrimónio e constituiu família.
A xadrezista que já representou Angola em várias Olimpíadas de Xadrez, como as da Alemanha e da Rússia, integrando a selecção olímpica feminina, entre outras competições internacionais, tem agora uma filha, fruto do seu recente casamento com Óscar Paulo, situação que não lhe impede de continuar a sonhar com o título de Mestre Internacional da modalidade. 

A nível interno, Nelma Lopes, que representou a Escola Macovi, o Progresso Associação Sambizanga (PAS) e o GD EPAL, já venceu quase tudo que tinha pela frente, tendo sido tricampeã provincial de Luanda, outros tantos títulos de campeã nacional feminina, bem como Campeonatos Nacionais por equipas.

A jogadora é um dos tabuleiros principais da equipa feminina afecta à empresa de Águas de Luanda (EPAL). Começou a jogar xadrez a convite de uma vizinha na Escola Macovi, fundada por Marceliano Correia Victor (MACOVI), no bairro Neves Bendinha e que actualmente tem filiais da massificação da modalidade um pouco por todo o País.

Nelma Lopes, apesar de ter interrompido temporariamente a prática competitiva do xadrez para concluir a sua formação académica e para se dedicar mais à família, em virtude de ter recebido o seu primeira filha, promete regressar aos tabuleiros. 

“Gostaria de agradecer a oportunidade que me concederam e dizer que continuem a contar comigo. Tão logo termine a minha formação, voltarei aos tabuleiros com muita garra e determinação, para contribuir deste modo para o desenvolvimento do xadrez angolano.”

A concluir, a xadrezista agradece à família, amigos e colegas, e especialmente ao seu esposo Óscar Paulo que lhe tem dado muito apoio. “É um privilégio e uma grande prazer trazer alguém ao mundo. Por isso, todos os dias dou o meu melhor para ser uma boa mãe e esposa perfeita. Agradeço a Deus por me dar uma família maravilhosa e que sabe entender-me”, disse ainda a jogadora que agora vive um período de graça no seio familiar.

A jogadora, que divide agora a vontade de jogar xadrez com a dedicação familiar, trabalho e estudo, é da geração das xadrezistas benguelenses Flora Afonso, Nair de Almeida, Valquíria Rocha e Fátima Reis, ambas de Luanda, entre outras.


DIFERENÇAS 
“O xadrez feminino é às vezes
 preterido a favor do masculino”


 Nelma Lopes defende igualmente que a modalidade está no bom caminho, mas carece de alguma atenção, sobretudo no xadrez feminino. “O xadrez feminino, contrariamente ao masculino, não recebe o devido apoio. Por exemplo, sempre que existem dificuldades financeiras, a selecção feminina é sempre a primeira a ser preterida, a favor dos masculinos. Vezes houve em que a selecção feminina não participou nas olimpíadas e a selecção masculina participou”, disse.

Para Nelma Lopes existe muita diferença entre o xadrez que praticava no passado e o xadrez de agora.  “Hoje, mesmo os nossos representantes nas provas internacionais têm melhorado sobremaneira as suas performances (…)”. “O xadrez praticado actualmente é muito mais evoluído, fruto da experiência e responsabilidade (concentração) com que o jogador angolano encara as competições”, frisou.


PERGUNTAS & RESPOSTAS

“O jogo ciência
dá outras aptidões”


Ainda joga xadrez?
Não.
Porquê?
Estou a estudar, a trabalhar e sou dona de casa. Depois de terminar a minha formação voltarei a jogar.

Por que aprendeu a jogar xadrez?

Porque gosto de praticar desporto e o xadrez, sendo uma modalidade ciência, é boa como ferramenta para as outras actividades do nosso quotidiano.

Como, quando e onde aprendeu a jogar xadrez?

Aprendi a jogar com o Mister Mbeco (Marceliano Correia Victor) na escola Macovi. Uma vizinha convidou-me e a partir daí nunca mais deixei de mover as peças no tabuleiro, como se de um “vício” se tratasse.

O que fazia além de jogar xadrez no seu tempo?
Estudava.
Como fazia para conciliar a prática do xadrez com os outros afazeres?
Não foi difícil, quando estivesse em competição ficava sem ir à escola, depois era só estudar todas as aulas perdidas e fazia a prova. Parece que o xadrez dá-nos outras aptidões para encarar as coisas mais fáceis. 

Tem acompanhado o desenvolvimento do xadrez angolano nos últimos tempos?
Sim.

O que mais a marcou como jogadora de xadrez?

A primeira vez que venci o campeonato provincial.

O que acha dos novos tempos do xadrez angolano?

Como jogadora estou interessada no desenvolvimento do xadrez angolano, bem como no surgimento de novos talentos.

Se a convidassem a jogar xadrez agora, fazia-o como antes?
Com certeza que sim.

Tem algum sonho em relação ao xadrez angolano?
Sim, ver o xadrez angolano atingir os primeiros lugares a nível mundial.

E noutra área do seu dia-a-dia?
Gosto de estar na companhia da família e dos amigos.

Quer deixar algum conselho aos xadrezistas angolanos?
Sim. Que continuem a representar o xadrez angolano com muita garra e determinação.


MOMENTO

Vitória no campeonato nacional de 2010

A atleta Nelma Lopes conquistou o seu último campeonato nacional de xadrez em feminino, na província do Namibe, em Junho de 2010, com sete pontos, tendo derrotado na última jornada, Irine Gabriel, do INE Marista de Luanda. Nelma bateu na concorrência a sua colega de equipa Sónia Rosalina, que totalizou seis pontos e garantiu a segunda posição da prova, realizada de 07 a 14 de Junho, na província do Namibe.

 Na altura a campeã, recebeu de prémio, além do troféu, 100 mil kwanzas. Sónia, segunda classificada, recebeu 80 mil kwanzas, enquanto Valquíria Rocha, terceira classificada com 5,5 pontos, angariou 70 mil kwanzas. Aquele campeonato foi disputado por nove atletas no sistema de todos contra todos a uma volta. No final a classificação final ficou assim ordenada: 1ª Nelma Lopes (7 pontos), 2ª. Sónia Rosalino (6), 3ª.Valquíria Rocha (5,5), 4ª. Engrácia de Oliveira 4,5, 5ª Luzia Guimarães (4), 6ª Edna Gomes (4), 7ª. Irineia Augusto (2,5), 8ª Priscília Augusto (1,5) e 9ª  Emília Augusto (1).


POR DENTRO

Nome Completo: Nelma Priscila Vieira Lopes Paulo
Local e Data de nascimento: Luanda aos 13 de Janeiro de 1991
Estado civil: Casada
Filhos: Uma filha ( Margarida Cheldy Lopes ), que nasceu aos 23 de Setembro de 2012.
Altura:1,56 m
Peso: 50 kg
Calçado: 35/36
Cor preferida: Vermelho
Prato preferido: Funge de carne seca
Bebida: Sumo de manga
Tempos livres: Leio alguns livros de xadrez e pratico-os
Cidade: Luanda
 País: Angola
Ídolo:  Grande Mestre russo Garry Kasparov
Abertura preferida: Partida Espanhola
O que mais teme: Cobra
Religião: Católica
Clube do coração: Epal
Carro próprio: Sim
Casa própria: Sim
Já alguma vez mentiu: Algumas vezes, quando é necessário.
Desejo/sonho:  Ser mestre internacional