Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Entrevistas

Artur Barros considera estvel equipa de Basquetebol

Juscelino da Silva - 10 de Junho, 2019

Vice-presidente do Petro promete novos trofus

Fotografia: Jornal dos Desportos

Quem vai à chuva, molha. Quais são os objectivos do Petro de Luanda para a Basktball African League Ball?
Não temos outra saída senão conquistá-la. Independentemente das condições técnicas e desportivas que tivermos, a nossa alternativa é conquistar todas as competições. Estamos engajados e sempre apostamos forte em todas as épocas desportivas. A que vem não vai ser diferente. O prémio da Basktball African League Ball será muito grandioso, por isso, vamos reforçar-nos bem para lograr o nosso objectivo.

O novo formato da AfroLiga satisfaz o Petro de Luanda? Como decorre a preparação?

Satisfaz as nossas pretensões no que concerne à rodagem competitiva. Vamos ter mais tempo de jogos, um paradigma bem sucedido. Esse modelo vai ajudar o basquetebol a desenvolver. Já fizemos mais jogos fortes na última época. É sempre bom jogar com Smouha do Egipto e 1º de Agosto. São adversários com níveis de competitividades superiores a outras equipas. O novo formato da Afroliga é bem-vinda para o Petro de Luanda.

Que sectores a direcção do clube pretende ver reforçada para lograr os objectivos?

Não diria reforçar, mas acertar alguns sectores. Temos uma equipa estável. Esse é o nosso pensamento. Precisamos tocar em quase todos os sectores. É importante frisar que definimos a equipa a partir do treinador, contrariamente o que se tem dito. É o treinador que indica os jogadores para serem contratados. Temos de dar a total liberdade ao treinador para que possa fazer o seu trabalho e ajudar-nos no capítulo administrativo. No entanto, vamos mexer nos variados sectores da equipa que nos for solicitado.

Qual é a situação real dos jogadores em final de contrato?
Felizmente, temos noventa por cento de jogadores com contratos em vigor. Acertamos com aqueles que não tinham ainda os acordos definidos. Nos próximos dias, vamos fechar esses contratos. Tudo está bem encaminhado. Favorável ou desfavoravelmente, temos de ser coerentes e ter a noção de onde estamos e o que podemos fazer.

Quando fala em coerência, está a dizer que algumas das partes está a dificultar a assinatura de contrato?
Não diria que estamos sem problema. A verdade é que não temos grandes margens para mexer muito. Kendal Gray já saiu. O nosso compromisso era de quatro meses. Como disse, a nossa intenção era continuar com todos os campeões. Carlos Morais é filho dessa casa e está tudo conversado. Acreditamos que teremos tudo fechado nos próximos dias.

Qual é a situação de Aldemiro João "Vander" ?

Aldemiro João está em final de contrato com o Petro de Luanda. Nesse momento, estamos à espera do seu representante para falarmos. É de conhecimento geral que, nos dias correntes, os atletas têm pseudo-agentes e alguns se apresentam sem ética nas conversações. Estamos à espera para sentar e acertar alguns pontos.

Denota-se nas vossas palavras alguma apreensão. O que se passa de contrato?
É um processo melindroso e as pessoas tem de estar preparadas para suportar aquilo que são as nossas capacidades. Não vamos fazer contrato, porque queremos fazê-lo. Estamos a lidar com seres humanos e chefe de famílias. É bom que não sejamos enganados no final. Por isso, não vamos prometer aquilo que não podemos dar. Não é a nossa forma de estar no desporto.

Qual é a situação actual do base Domingos Bonifácio? Pensam em mantê-lo como atleta?

Não vou citar nomes de jogadores dispensados. Não é tarefa nossa. Estamos à espera que o treinador nos apresente a lista de necessidades. É bom dizer que existem alguns compromissos com determinados jogadores. É importante que tenhamos a consciência de que já não somos o que fomos ontem. E com base nisso, existem no clube boas propostas para alguns jogadores com idades um pouco avançadas. Vamos ver o que vai dar as negociações.

RENOVAÇÃO
Petro dispensa meia dúzia de atletas


Com olhos no futuro, a direcção do Petro de Luanda preserva os potenciais candidatos que brilham na equipa principal. Sem manobras para "smaches", os jovens atletas constam da lista de dispensados para ganharem rodagem competitiva noutros clubes.

Existe possibilidade de emprestar alguns jogadores?

É verdade. Vamos emprestar alguns jogadores. Posso já adiantar o número: são quatro ou cinco. Temos jovens que não são visíveis no nosso plantel, mas são jogadores para o futuro na nossa estrutura de equipa. O treinador não conta com eles na próxima época desportiva e não queremos de nos desfazer deles de forma alguma. É preciso que vão jogar noutros sítios para que voltem ao nosso clube mais experientes.

Sabemos que o Petro de Luanda está a negociar com Jonny Pedro. Até quando é verdade?

(Risos). Prefiro não comentar esse assunto. Até aonde sei, o atleta em causa é jogador de uma equipa qualquer em Portugal. Portanto, não é justo do nosso lado estar a falar de atletas que não pertencem ao nosso clube.

Quais são os possíveis "reforços estrangeiros"?

Honestamente, ainda não temos a lista do treinador com os possíveis reforços. A verdade é que vamos reforçar-nos bem com jogadores de qualidade e de elevada experiência de forma a conquistar todas as competições. Kendall Gray já não é nosso jogador. Por essa razão, vamos enquadrar outro atleta no seu lugar. Estamos a depender da indicação do treinador.

A história do clube regista a presença de um "turista" que acabou dispensado...
Atenção. Também não aceitamos qualquer tipo de jogador. Temos a noção daquilo que é o basquetebol. Vamos deixar que o treinador trabalhe, pense e nos indique os reforços.