Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Entrevistas

Cabinda a terceira fora do andebol no pas

Joaquim Suami,Cabinda - 13 de Agosto, 2012

Jean Marie promete recolocar o andebol da provncia de Cabinda entre as mais fortes do pas

Fotografia: Antnio Soares

Que avaliação faz do estado actual do andebol na província de Cabinda?A modalidade decaiu, desde que deixei a Associação Provincial de Andebol e passei a fazer parte do quadro directivo da Federação Angolana de Andebol. Durante a minha ausência, houve pouco aproveitamento da massificação de atletas. Essa decadência fez com que houvesse muita pressão para voltar à Associação e dinamizar o andebol. Voltei a trabalhar, mas desta vez como presidente de direcção.

Em que linhas de força aposta para o arranque deste mandato?
O nosso objectivo é potenciar os núcleos e os clubes com meios materiais, porque não treinam por falta de condições há muito tempo. Estamos a reorganizar a Associação e a trabalhar com os clubes para realizar as competições locais. Estamos confiantes no trabalho que desenvolvemos, desde que tomámos posse. Queremos reconquistar a nossa posição na arena nacional. Aliás, Cabinda é a terceira força do andebol no país, depois de Luanda e de Benguela. Esta província já deu atletas às selecções nacionais de juniores e de sénior feminino. O Sporting de Cabinda já representou a província e o país nas provas internacionais. Por isso, temos de dinamizar rapidamente o crescimento da modalidade.

Como pensam reconquistar essa posição, quando os clubes se debatem com um processo de reorganização? Um dos principais objectivos do nosso mandato durante o quadriénio 2012-2015 é a realização de campeonatos provinciais em vários escalões, para apurar a equipa que represente a província no campeonato nacional do próximo ano. Outra estratégia reside no acolhimento de provas nacionais para potenciar a juventude, com o apoio das autoridades locais, e na assinatura de um protocolo com a Secretaria Provincial da Educação, a fim de massificarmos o andebol nas escolas nos quatro municípios. Mas a responsabilidade de massificação é dos clubes. Os clubes existentes não assumem o (seu) papel de formação de equipas por enfrentarem dificuldades financeiras. Daí que tenhamos plena confiança nos apoios financeiros do Governo Provincial, porque as escolas têm o maior número de jovens para aderir à prática de andebol e lançá-los a posteriori aos clubes.

Qual é a situação do projecto de massificação iniciado em 2004?
Quando fui secretário-geral da Associação Provincial de andebol, gerimos um projecto de massificação que teve sequência com o elenco que assumiu depois os destinos da instituição, mas que fracassou por dificuldades financeiras. Os membros da antiga direcção tinham vontade de trabalhar, mas a carência de apoios e de patrocínios inviabilizou a continuidade. Quando tomámos posse, começámos a trabalhar na reactivação do programa. Estamos convictos no sucesso deste projecto.

Os atletas formados nesse projecto estão inscritos em algum clube?
Conseguimos inserir atletas nos clubes Sporting de Cabinda, FC de Cabinda e Real do Mbuco e nos núcleos do 1º de Agosto e do Grupo Desportivo da Banca. Estamos a criar todas as condições necessárias nesses núcleos para os transformar em clubes.

Quais são as principais dificuldades que os clubes e os núcleos locais atravessam?
As dificuldades são as mesmas para todos os clubes. Os núcleos não possuem estatutos e as suas necessidades (material desportivo, meios financeiros e lanches para atletas) são suportadas pela Associação provincial. A situação dos clubes é outra, porque possuem uma direcção que assume todas as despesas.

RELAÇÃO INSTITUCIONAL
Governo Provincial assume formação


O processo de formação implica despesas. O que têm delineado para a massificação nas escolas? Quando se planifica desenvolver uma certa actividade ou trabalho, deve-se pensar na criação de condições materiais, financeiras e administrativas. Para que este plano de acção tenha êxito nos centros de massificação a partir das escolas, temos de preparar bolas, ténis, camisolas, calções, meias e outros equipamentos, para que os alunos estejam mais empenhados na formação. Sem essas condições, nada faremos em prol do desenvolvimento do andebol. A ideia é ter equipamentos suficientes para os escalões de iniciados, juvenis e juniores.

Que características vai ter o processo? O exercício de massificação junto das escolas vai estar a cargo da Associação provincial, enquanto a formação nos clubes vai estar a cargo dos seus responsáveis, porque essas agremiações desportivas possuem as suas escolas. O objectivo é formar equipas de cadetes e de juniores para que a província de Cabinda possa ter, dentro de quatro anos, atletas a representar a região nas selecções nacionais, à semelhança do que aconteceu há oito anos quando tivemos três atletas locais nas equipas nacionais: dois masculinos e uma feminina.Essa última foi considerada uma das melhores guarda-redes de África durante muitos anos.

Para quando a formação de escalões seniores? A província de Cabinda conta com equipas seniores femininos e masculinos, que ainda não possuem clubes e estão sob a nossa responsabilidade. Estamos a envidar todos os esforços para que as duas equipas participem nas próximas edições dos campeonatos nacionais com o apoio do Governo Provincial.

EXTENSÃO
Massificação vai chegar
aos quatro municípios

O vosso projecto é atingir os quatro municípios da província. Quando vão expandi-lo para os de Belize e Buco Zau? O nosso plano de acção para o quadriénio 2012-2016 é amplo. Aliás, o nosso objectivo é levar a massificação a todos os cantos da província de Cabinda. Os municípios de Belize e do Buco Zau também estão contemplados, mas depois da realização das eleições gerais marcadas para 31 de Agosto. Queremos ocupar os tempos livres dos jovens dessas localidades.

A Secretaria Provincial da Juventude e Desportos está a incrementar novos moldes no projecto Promade. Que se lhe oferece dizer?
Desde que a nova direcção da Associação provincial de andebol tomou posse ainda não teve qualquer conhecimento do programa de acção da Secretaria Provincial da Juventude e Desportos para o desenvolvimento do andebol. O importante é fazer o nosso trabalho. Quando a direcção dos Desportos se pronunciar sobre o seu projecto, também vamos apresentar o nosso programa. O objectivo é expandir o andebol para os quatro cantos da província.