Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Entrevistas

Caravana da Nigria no primeiro intercmbio

16 de Julho, 2015

A comitiva visitante ficou agradavelmente surpreendida com o amplo pavilho onde treinaram

Fotografia: Jornal dos Desportos

Uma delegação desportiva da República Federativa da Nigéria, constituída por 19 elementos ( basquetebol e atletismo), realizou durante o mês de Janeiro de 1976 uma visita a Angola, naquela que foi a primeira deslocação de uma delegação desportiva ao país após a Independência Nacional e trabalhou no Pavilhão da Cidadela.O contacto directo com o nosso desporto, através de um “bate - bola”, serviu de antecâmara para o intercâmbio desportivo entre os dois países, face aos desafios que o continente tinha pela frente.

No Pavilhão da Cidadela, evoluíram no rectângulo os atletas, Bala, Lemmy, Ijeoma, Emmanuel, Attah, Robert, William, Yomi, Garboa, Charles, Tony e Phillip e acompanhados pelo técnico Oliver.A comitiva visitante ficou agradavelmente surpreendida com o amplo pavilhão onde treinaram, bem como também com a arquitectura (na altura) da nossa cidade capital.

Os basquetebolistas da Nigéria, reconheceram a justiça da nossa luta e fizeram votos de completa conquista da Independência do nosso povo.A Nigéria, antes e depois da proclamação da Independência, sempre foi um dos países africanos, que mais se evidenciou no apoio a Angola e na Vanguarda Revolucionária do seu povo - o M.P.L.A!

Quando ao desporto, quis ser a primeira Nação a trazer-nos o fraterno abraço. Justo  foi e com isso, a população de Angola e todas as suas representações desportivas receberam com sincera amizade a caravana desportiva visitante, vinda da  Nigéria.Por iniciativa dos nigerianos, os angolanos aguardaram com grande expectativa a chegada de outras delegações, uma vez que todos os Países convidados, à excepção da Somália, já tinham respondido aos convites que lhes foi dirigidos.

Torneio Popular de Futebol
Equipas jogarama primeira fase


Por ocasião do Torneio Popular de Futebol da Independência Nacional, um mês depois da proclamação da independência, a primeira fase da sexta e sétima jornada disputou-se no campo da Independência do Bairro Sambizanga.A competição futebolística realizada durante o terceiro fim-de-semana (dias 17 e 18) de 1976, ditou os seguintes resultados: Santos Futebol Clube, 4 - Apollo (11), 0; Chupping, 0 - Maracanã Futebol Clube, 1, Fluminense,2 - Kurikutelas, 1: Mambrôa, 4 G.D. Valódia, 1, Havemos de Voltar, 1 - Bom Sucesso, 2 e  Andorinha, 1 - Africanos, 2.
Empolgados com as emoções assistidas durante os respectivos jogos, milhares de populares superlotaram o campo da Independência


Com a idade de dois anos antes de 1975 pouco ou nada pode falar do desporto
antes da Independência?

É verdade. Na altura eu tinha só dois anos de idade.

Com a independência sentiu-se realizado enquanto desportista?

Em 1975 tinha dois anos, mas cresci dentro do movimentos de crianças e jovens que começaram a crescer com o país. A independência realizou o sonho de muitos de nós, jovens desportistas, do hóquei em patins ao futebol, passando pelo andebol e basquetebol, enfim.

A paixão pelo desporto ainda prevalece?

Estou ligado ao desporto, sou membro de alta competição de patinagem e coordenador. Para além disso, enquanto desportista pratiquei futebol, basquetebol, ténis de mesa e hóquei em patins.

Como é visto hoje no desporto?

Nestes 40 anos de desporto em Angola, com apenas 17 anos de idade, fazia parte do núcleo de Amigos do Hóquei e ali, organizávamos  campeonatos no CDUA e também nos bairros. Lembro-me que ainda joguei nos  Caçulinhas da Bola ao lado do miúdo Neto, pela equipa da Pastelaria Primor, no basquetebol pelo Texto Clube e Chico Binda. Também representei o Ferroviário e lá joguei no Mini - Basquetebol. Deixei também a minha marca pelo Interclube ao lado do Jair Garrido, Bibi (já falecido) e Carlitos, tendo como nosso treinador, Raul Duarte. 

O que mais o marcou ao longo destes anos de independência nacional?
Ao longo destes anos de independência, só tenho a dizer que as conquistas de Angola no Africano de Basquetebol em juniores realizado no nosso país em 1980, a ida da Selecção Nacional de futebol ao Mundial de 2006 na Alemanha, bem como a conquista do sexto lugar pela Selecção Nacional de Hóquei em Patins, em 2009, no mundial de  Espanha, são as marcas que guardo na memória.

O futebol tem um momento especial na sua actividade?
Fui um dos impulsionadores da ida dos Palancas Negras ao mundial, isso, porque nessa altura era o representante da Selecção Nacional na Europa. Esta responsabilidade levou-me a pesquisar jogadores para servirem de reforço à nossa selecção na altura. Juntamente com os professores que orientaram aos Palancas Negras, Oliveira Gonçalves, Mário Calado, Ismael Kurts, apresentei atletas nacionais que já jogavam na Europa, tais como André Makanga, Kali, Figueiredo, Bruno Mauro, Garrocho, Chinguito e outros nomes.   
Hermínio Fontes