Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Entrevistas

Cardeau aponta caminhos do Cala

Gaudncio Hamelay, no Lubango - 05 de Junho, 2016

Alberto Cardeau considera trabalho rduo a chave da obteno de bons resultados no Campeonato Nacional

Fotografia: Jornal dos Desportos

O CRC, às ordens de Alberto Cardeau, tem protagonizado resultados satisfatórios no campeonato. Quando assumiu o comando técnico, a equipa ocupava a última posição sem qualquer ponto à saída da quinta jornada. Actualmente está no 7º lugar com 18 pontos, fruto de 5 vitórias, 3 empates, 6 derrotas, 14 golos marcados e 14 sofridos em 14 jogos realizados.

O segredo do sucesso, segundo disse em entrevista ao Jornal dos Desportos, no Lubango, resume-se em uma só palavra: trabalho. Além disso, diz contar com um grupo muito unido e profissional. Somar o maior número de pontos para permanecer na Primeira Divisão, constitui o objectivo principal da equipa técnica e da direcção do Recreativo da Caála, segundo o treinador que quebrou a invencibilidade do 1º de Agosto no campeonato.

"O segredo do sucesso da nossa equipa, actualmente, resume-se em uma só palavra: trabalho. Felizmente, temos um grupo muito unido e profissional. E não mudámos muita coisa no Recreativo da Caála. Apenas um pouco da cultura táctica da equipa e os jogadores compreenderam a nossa mensagem. O trabalho, fundamentalmente, tem sido a chave do nosso sucesso ultimamente. Por isso, temos a equipa a jogar um futebol e a subir de degrau a degrau na tabela classificativa, que é o que queria nesta altura, para termos um pouco mais de estabilidade", disse.

Alberto Cardeau espera fechar a primeira volta do campeonato com vitória. Por isso, promete que tudo vão fazer para derrotar o histórico 1º de Maio de Benguela, no estádio Mártires da Kanhala, na Caála.
 
"Os nossos objectivos são sempre os mesmos, seja qual for o adversário, por isso ganhar ao 1º de Maio para estarmos bem posicionados na tabela classificativa vai ser a nossa meta. Reconhecemos que vai ser uma partida difícil, mas só pensamos em conquistar a vitória", sublinhou.

O treinador caalense reconhece que manter a equipa na Primeira Divisão é uma tarefa difícil, não obstante os bons resultados alcançados desde que assumiu o comando técnico do Recreativo da Caála. Ainda assim, assegura que vai procurar manter a actual dinâmica para cumprir com o objectivo traçado.

"O futebol é uma caixinha de surpresas. Vamos tentar manter esta dinâmica na equipa para que fiquemos na Primeira Divisão. Mas temos consciência que também vai ser muito difícil porque, só para realçar, nos últimos jogos as equipas que estão na parte baixa da tabela também vão pontuando. Hoje a diferença já não é abismal, é mínima. O resultado alcançado diante do Clube Desportivo da Huíla, por 3-1, pontuável para a 15ª jornada, dá-nos mais oxigénio para podermos respirar um pouco mais de alívio", referiu.


GRUPO UNIDO
Treinador elogia jogadores


O plantel à disposição da equipa técnica do Recreativo da Caála, 7º colocado do Girabola Zap 2016, garante condições para a manutenção da equipa na Primeira Divisão, bem como ficar acima do meio da tabela de classificação. A garantida é do treinador Alberto Cardeau.

De acordo com o treinador dos caalenses, embora não tenha uma "equipa de galácticos", os jogadores do clube são "autênticos operários", o que dá garantias para uma boa campanha até final do campeonato.

"Não temos uma equipa de galácticos. Temos uma equipa de operários. Uma equipa que trabalha arduamente. Uma equipa muito disciplinada e fruto disso, hoje temos um plantel muito homogéneo, porque os atletas jogam todos por um e um por todos. È isto que interessa no futebol e numa equipa.

Então, é em função disso que nós estamos a trabalhar felizes pelo grupo que temos, por ser um conjunto muito unido. E acredito que assim, vamos conseguir caminhar e atingir aquilo que são os nossos objectivos", disse.

Para Alberto Cardeau, hoje não existe grande diferença entre as equipas que competem no Girabola Zap, assim como não há vencedores antecipados. Isso, de acordo com o que disse, dá garantias para o cumprimento do objectivo traçado.

"Devo dizer que hoje não há vencedores antecipados no Girabola Zap; não há equipas que têm uma diferença enorme a jogar dentro da quadra. Não há. Então, o Recreativo da Caála está a jogar hoje aquilo que está a trabalhar, dentro daquilo que é a realidade do próprio clube. O nosso grande objectivo neste momento é  metermos a Caála no seu devido lugar, que é no meio da tabela, isto é, estar entre o 7º ou 8º lugar. Acho que por aquilo que é a realidade do clube, para nós seria ouro  sobre azul", sublinhou.


Primeira volta

“Balanço é positivo”


Há faltar um jogo para o término da primeira volta do Girabola Zap 2016, o treinador do Recreativo da Caála, Alberto Cardeau, faz um balanço positivo da prestação da equipa na competição. A reviravolta empreendida pelo grupo, depois de ter assumido o comando técnico, é apontado como a causa do sucesso.

"O balanço é positivo em função, sobretudo, dos resultados que a equipa obteve desde que assumimos o barco, apesar de que nos últimos tempos, o nosso campeonato tem sido equilibrado. Acredito que este vai ser um dos campeonatos mais equilibrados já visto no país", disse.

Questionado por que razão este ano, o campeonato vai ser mais equilibrado em relação aos passados, Alberto Cardeau justificou dizendo que por esta altura era possível divisar-se já um potencial campeão.

"Porque numa altura em que pensávamos que já havia campeão antecipado, as coisas complicaram-se. As outras equipas organizaram-se melhor e vão se aproximando cada vez mais do líder, o 1º de Agosto neste caso. Abaixo do meio da tabela, quando pensávamos que já havia despromovidos antecipados, as coisas também, transfiguraram-se. Hoje, as equipas em baixo, ganham os que estão à frente e as equipas do topo têm muitas dificuldades em ganhar as que estão aqui em baixo. Acredito que nesta altura não há vencedores antecipados, nem campeão antecipado", referiu.


O Recreativo da Caála, segundo Alberto Cardeau, tem igualmente necessidade de reforçar a equipa para a segunda volta do campeonato. Contudo, limitações financeiras podem travar o desejo do treinador em ter no plantel alguns jogadores que pretendem.

"Já estamos a trabalhar neste sentido (reforço da equipa) mas nem sempre conseguimos aquilo que queremos em função também de algumas limitações financeiras que o clube possa ter. Mas vamos ver junto da direcção da agremiação se conseguimos reforçar alguns sectores do nosso plantel, que achamos haver algumas limitações", sustentou.


NOS TRÊS SECTORES
Cardeau pretende reforços


O treinador do Recreativo da Caála, Alberto Cardeau, pretende reforçar a equipa com mais um guarda-redes, pois, têm apenas dois atletas inscritos naquela posição, o que pode ser fatal, pois na eventualidade de uma lesão, ficariam apenas com um.

"Neste momento temos dois guarda-redes. Precisamos de mais um. Assim como precisamos de mais um central. O único médio ofensivo que temos, foi uma adaptação que fizemos. Por isso, necessitamos também de mais um ou dois. Avançados temos dois. Os outros são mais jovens. Resumindo, carecemos de um jogador para cada posição neste momento no nosso plantel", avançou.

A estratégia de jogo que a equipa está a utilizar actualmente é considerada ideal pelo treinador do Caála. Por isso, Alberto Cardeau e adjuntos pretendem mantê-la em benefício do grupo.

"Por agora (a estratégia) é a ideal, porque se você ver, quando peguei a equipa, em cinco jogos que tinha feito, tinha perdido cinco e sofrido 10 golos.

Hoje, fizemos 9 jogos desde que entrei na equipa e sofremos apenas 4 golos, o que quer dizer que naquilo que era essencial melhoramos, sobretudo no aspecto ofensivo da equipa. Os golos, sabíamos de antemão, que iriam aparecer, porque a equipa criava muitos mas pecava na finalização.

Sabíamos que com o trabalho que estávamos a implementar, a qualquer momento iríamos marcar dois ou três golos conforme aconteceu, por exemplo, no jogo frente ao Desportivo da Huíla. O que quer dizer que em função do futebol que estamos a praticar hoje, quer no aspecto ofensivo, como defensivo, é mais ou menos aquilo que queríamos ver atingido no nosso plantel", disse.