Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Entrevistas

Day Day avalia propostas

Manuel Neto - 01 de Julho, 2016

O médio Day Day, um dos atletas cedidos pela direcção do Interclube

Fotografia: Jornal dos Desportos

O médio Day Day, um dos atletas cedidos pela direcção do Interclube, a título de empréstimo, à Académica do Lobito na primeira volta do Girabola Zap, está livre para representar outra formação na reabertura da transferência.

O jogador revelou em entrevista ao Jornal dos Desportos, que terminou o vínculo com a formação da polícia e está disponível para abraçar um novo desafio na sua carreira ainda esta época.

"Quando saí do Petro de Luanda, fui para o Interclube por quatro anos. Terminado o meu contrato e como não houve intenção de renovarmos, sou neste momento um atleta livre. Acredito que nesta segunda volta, posso encontrar uma outra equipa para representar", vaticina.

Sem avançar o nome dos pretendentes, Day Day disse estar a ser cobiçado por alguns clubes do Girabola, mas por uma questão de principio "não devo mencionar o nome, enquanto não chegarmos a acordo", declarou.

  "Acho prematuro falar da equipa que poderei representar na reabertura das transferência. Como profissional não fica bem avançar algo quando ainda estamos em fase de negociação", precisou.

Para quem nutre uma certa simpatia pelas suas qualidades, pediu calma e que continuem acreditar no seu talento. " No nosso mercado existe boas equipas e creio que no segundo turno que está preste a iniciar estarei de volta para manter a minha carreira em alta", sublinhou.

Não obstante ter saído do Interclube, afirmou reter boas recordações do clube, sobretudo pela simpatia que granjeou no seio dos colegas, direcção e massa associativa.

"O desporto é mesmo assim, hoje estamos aqui e amanhã ali. Contudo, recordo com alguma emoção a forma simpática como vivíamos, quer com a direcção, técnicos e atletas. Foi um clima que acrescentou  alguma coisa na minha maturidade e gostaria que isso voltasse a se repetir nos próximos clubes", reiterou.

Promete muito trabalho e humildade de forma a continuar a ser aquele jogador que sempre deu o seu melhor para os clubes que representa.

"Trabalho árduo, respeito e humildade têm sido as minhas armas nas equipas que represento. Prometo, que caso jogue ainda este ano continuar com mais com a mesma garra e determinação", assegurou.


CARREIRA
“Tenho ainda muito para dar”


Formado na escola do Atlético Petróleos de Luanda, Day Day disse ter ainda muito para dar ao futebol nacional e a julgar pelas suas potencialidades. Acredita que tem qualidade para jogar  ainda a alto nível, quer internamente como no exterior.

"Tive uma boa formação e só um jovem que gosta de trabalhar. Pelas minhas potencialidades,  acredito que ainda tenho muito futuro pela frente e posso dar muitas alegrias aos angolanos que gostam de bom futebol", comentou.

Insistiu que o facto de ter sido formado numa das melhores escolas de futebol no país, confere-lhe uma certa tranquilidade para e ter fé em voltar a jogar numa das melhor formações do campeonato nacional.

"Sou um profissional proveniente de uma das melhores escolas de futebol e penso que não devo jogar apenas no Petro, mas sim preparar-me para estar em altura de representar qualquer equipa que manifestar interesse nos meus préstimos", destacou.

Ainda assim, não descarta a possibilidade de um dia regressar ao Catetão ou mesmo ao 22 de Junho. " Penso não ser surpresa, se um dia regressar numa das equipas que já representei. Estou em crer que só o trabalho dita o nosso bom futuro", precisou.


PRIMEIRA VOLTA
Atleta faz
balanço positivo  


O ex-internacional dos Sub-20 faz um balanço positivo da primeira volta do Girabola Zap e acredita que nenhuma equipa  deve ser já apontada como campeã nacional.

"Penso que o Girabola está espectacular e bastante emotivo. Tudo indica que a segunda volta vai 'pegar fogo'. O 1º de Agosto ao longo da primeira volta, demonstrou que seria facilmente  campeão, mas ao longo da prova as coisas começaram a mudar", recordou.

Contudo, não obstante o equilíbrio admite que a formação militar tem um bom plantel e está em melhores condições de vencer a prova e alcançar os objectivos que pretende, mas para tal adverte que terá reforçar mais em alguns sectores.

"A maioria das equipas começaram a despertar tarde, mas aos poucos estão aparecer bem e a implementar uma dinâmica bastante competitiva para o agrado dos que gostam de bom futebol. Por isso, o melhor mesmo é esperarmos pelo desenrolar da competição", elucidou.