Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Entrevistas

De campeo nacional e continental para o dirigismo desportivo angolano

Joo Francisco - On-line - 18 de Fevereiro, 2013

Simo Muanda encerra a carreira em 25 de Outubro de 2008

Fotografia: Jornal dos Desportos

A "fome" do boxe trouxe-a de Cuba, onde muitos angolanos como ele foram fazer formação académica em Economia, entre 1987 e 1994, o que lhe valeu a alcunha de Savon, pelas características que possuía, iguais às do tricampeão mundial e olímpico dos 91 quilos, o cubano Félix Savon. Simão Muanda não fez carreira de pugilista naquela ilha caribenha, preferiu subir aos ringues em Angola, um ano depois (1995), na cidade mais ao norte do país (Cabinda) e mais tarde em Luanda. Em 1995, Simão Muanda, regressado de Cuba, com as lições teóricas bem estudadas de Félix Savon, sobe pela primeira vez aos ringues no Sporting de Cabinda, inicialmente nos meios-pesados.

Por razões profissionais, Simão Muanda transfere-se em 1996/97 para Luanda, dando continuidade à carreira desportiva no Team Elite, onde encontra o pugilista Francisco Moniz, que foi seu colega em Cuba e que na altura era uma das principais referências do boxe no país, começando aí a sua trajectória de vitórias. Dois anos depois, disputa o primeiro Campeonato Nacional, na Cidadela Desportiva, sagrando-se vice-campeão na categoria de 75 kg (meios-pesados). Nesta altura e graças ao êxito inicial é convocado para a pré-selecção nacional que disputou o Campeonato Zonal VI de 1999 na África do Sul, obtendo a primeira medalha de bronze (terceiro classificado) numa prova internacional. 

PALMARÉS INVEJÁVEL
De 2000 a 2006, Simão Muanda foi o “carrasco” incontestável de todos os seus rivais nos pesos pesados, arrebatando seis títulos consecutivos da categoria dos 91 kg. Neste período “dourado” do campeão, repete em três ocasiões (de 2002 a 2005), a proeza nos ringues da África Austral, vencendo os Campeonatos da zona VI.  O campeão participou também nos Jogos Pan-africanos de Abuja (Nigéria) em 2003 e de Argel em 2007 e fez parte da selecção de Angola na inédita participação no Campeonato do Mundo de 2005 em Mia Niang (China).


MOMENTO
Morte do pai em cima
do combate de despedida


Simão Muanda encerra a carreira em 25 de Outubro de 2008, no Campo da Administração do Kilamba Kiaxi (Golfe II), num combate de despedida com o pugilista namibiano Tobias Monihango, actual campeão da zona VI dos mais de 90 kg, com o resultado nulo decretado pelos juízes, ao aperceberem-se que naquele mesmo dia tinha falecido o pai do atleta angolano. Devido àquele acontecimento trágico, Simão Muanda viveu os dois momentos mais tristes da sua vida: a morte do pai e a despedida da carreira desportiva. Importante também na vida de Simão Muanda foi a decisão de se candidatar ao cadeirão de presidente de Direcção da Federação Angolana de Boxe (FABOXE), para o quadriénio 2012-2016, corrida que perdeu para o antigo secretário-geral da mesma instituição, Carlos Luís.

SUBSTITUTO(S)
"O meu substituto pode subir
ao ringue a qualquer momento"


O pugilista angolano continua a subir os ringues para passar a experiência às novas gerações com projectos em carteira que vai realizando. Mantém-se no “activo”, porque desde a sua retirada e a de Gregório Capita, Angola ficou fragilizada na categoria dos 90 e mais de 90 kg, pelo que se sente na obrigação de incentivar o surgimento da nova geração nos pesos pesados que, segundo ele, pode começar a surgir daqui a três anos. Simão Muanda mantém “no segredo dos deuses” o nome de um jovem que ronda os 16 anos, com 1,90 m de altura e que pesa 96 quilos, com quem está em negociações bem encaminhadas.


PING PONG
"Dou continuidade aos projectos"

O que o motivou a concorrer às eleições da FABOXE?

A letargia que a modalidade vivia obrigou-me a dar-lhe um rumo diferente. Pela carreira que tive ao longo de mais de uma década na modalidade sinto-me na obrigação de fazer alguma coisa no Boxe angolano.

Valeu a pena?
Foi mais uma experiência que pode ser melhorada numa segunda tentativa em que posso estar melhor preparado. 

Está a dizer que concorre às próximas eleições?
A vida é feita de tentativas. Umas podem dar certo, outras não. Não foi desta, vamos acompanhar o trabalho do nosso “adversário” durante estes quatro anos, de forma a encararmos estes “desafios” com mais convicção. De uma coisa podem estar certos: não vamos ficar parados. Temos vários projectos em carteira e vamos tentar pô-los em prática um de cada vez.

Pode falar desses projectos?
Tenho neste momento quatro projectos, mas apenas um tem pernas para andar, que é o relançamento do Boxe no Team Elite, onde tenho já estado a fazer um trabalho com a Direcção cessante, primeiro no sentido da regularização perante o órgão reitor, principalmente a situação administrativa. No segundo passo, é dada prioridade à formação de atletas. O Team Elite foi durante muito tempo a maior escola de Boxe que apareceu no país depois da Independência, e então temos intenção de recuperar esta mística.

Tem timing para este trabalho?
Primeiro vamos começar o trabalho da formação dos atletas nas camadas mais jovens (juvenis e juniores) e depois pensar lançar no próximo quadriénio (2016-2020), para trazer novamente o Team Elite à ribalta do Boxe angolano.


POR DENTRO
Nome completo:
Simão Anselmo Muanda
Filiação: Anselmo Mbambi e Maria Josefina Muanda
Local e data de nascimento: Cabinda, 19 de Agosto de 1974
Estado Civil: Vive em união de facto
Filhos: Quatro
Altura: 1,90 m
Peso: 105 kg
Calçado: 46
Prato preferido: Feijoada e saca folha com chicuanga
Bebida: Sumo
O que mais teme: A morte
Religião: Católica
Clube do coração: Team Elite e Sporting
Carro: Sim
Casa própria: Sim
Hobby: Desporto
Mentir: Não gosto
Cidade: Kuala Lumpur
País: Malásia
Desejo: Ver a vida realizada tanto no campo empresarial como no dirigismo desportivo