Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Entrevistas

Do Caminho-de-Ferro de Benguela fina-flor do dirigismo desportivo

Joo Francisco - 26 de Janeiro, 2013

Joo Madeira, 88 anos, ou simplesmente Tio Faca

Fotografia: Jornal dos Desportos

João Madeira, 88 anos, ou simplesmente “Tio Faca”, nome que os “miúdos” lhe deram por ser muito rigoroso e “cortar” todas as jogadas faltosas quando arbitrava um jogo de futebol de salão, é aquele que podemos considerar uma “biblioteca” desportiva viva, em face da sua experiência no dirigismo desportivo, onde ainda hoje continua a dar o seu contributo como chefe de secretaria da Federação Angolana de Andebol (FAAND). Este kota, em termos de longevidade só deve mesmo ficar a dever ao mais velho Alberto Silva “Pepino”, 90 anos, que por sinal é seu conterrâneo. São daqueles kotas que podem chegar aos 100 e dar bons exemplos aos jovens angolanos.

 À semelhança dos quadros mais antigos, João Madeira entrou para o desporto no tempo da antiga Secretaria de Estado de Educação Física e Desportos(SEFEED) e como nos conta, “saí do Lobito, depois de me ter reformado no Caminho-de-Ferro de Benguela, onde era chefe de Repartição da contabilidade do tráfico, para Luanda, em Maio de 1981, a convite do ex-secretário de Estado de Educação Física e Desportos, Rui Mingas,  e do falecido Fernando de Matos Fernandes, que me colocaram na Direcção de Formação de quadros”, recorda-se. Conta ainda que “na altura, o chefe de Departamento de Quadros era o professor Espírito Santo, que chegou a ser vice-ministro dos Desportos. Mais tarde colocaram-no provisoriamente na Federação Angolana de Futebol para colaborar com o sector de arbitragem, porque foi árbitro nacional no activo até 1982”, lembra-se ainda.

Experiência
na arbitragem

 Na arbitragem angolana soubemos que o kota Madeira fez em 1981 o curso de delegado e de instrutor, com prelectores portugueses renomados, como Manuel Lousada e Sebastião Pássaro. “Em Outubro  de 1984 cheguei a ser indigitado para ir a São-Tomé e Príncipe onde dirigi um curso para árbitros e delegados técnicos de futebol, tendo sido agraciado pela Direcção de Educação Física e Desportos do Ministério da Saúde e Desportos daquele país com um diploma de mérito”, revelou.

Em Novembro de 1985, João Madeira é transferido da Federação Angolana de Futebol (FAF), novamente para o departamento de Formação de Quadros da Secretaria de Estado de Educação Física e Desporto, onde mais tarde teve como responsável pelos serviços administrativos o professor José da Rocha Sardinha de Castro. Sem descurar a actividade de arbitragem, encerrou a sua carreira como Comissário de jogo da Confederação Africana de Futebol (CAF) entre 1988 e 1996.


MOMENTO
Orgulho de ter servido o COA


Com a passagem de Secretaria de Estado de Educação Física e Desporto para Ministério da Juventude e Desporto (Minjud) e consequente criação do Gabinete de Inspecção  foi aí colocado com a categoria de chefe de sector administrativo, subordinando-se ao inspector geral, que na altura era o professor Espírito Santo. “Em Maio de 1993 e a pedido de Rogério Silva e de Gustavo da Conceição na altura Presidente  e Secretário geral do Comité Olímpico Angolano (COA),respectivamente,  fui  transferido para aquela instituição, onde me mantive com muito orgulho como responsável pelo sector administrativo até 199d´31998”, acrescenta .

“Décano” na FAAND
 O Kota João Madeira “ sobrevivi”, desde 1998, até hoje na Federação Angolana de Andebol . Hilário de Sousa, que veio a sair depois de algumas “convulsões” habituais nas Federações desportivas foi quem o convidou para aquela instituição, onde é praticamente o “decano” de todos que por ai já passaram. A saida de Hilário de Sousa deu orgem a criação de uma “Comissão de Gestão”, coordenada por Victor  Giovett Barros que o nomeou Secretário Administrativo  da Federação Angolana de Andebol (FAAND), em 2000. “Depois da minha entrada na FAAND, estive inclusive como Secretário das duas Comissões Eleitorais, que estiveram na origem das eleições de Archer Mangueira , primeiro no ciclo (2001-2004) e no segundo mandato de (2004 a 2008). De igual forma, dei o meu contributo no primeiro mandato de Pedro Godinho ( 2009-2012) e se Deus quiser continuarei neste segundo mandato ( 2013- 2016) com o mesmo Presidente como Chefe de Secretaria da FAAND”, sublinhou.


Perguntas e respostas

Jornal dos Desportos: Além do dirigismo o que mais fez no desporto angolano ?
João Madeira: Na minha Juventude, com os meus 23/24 anos,  joguei Futebol no Sporting do Lobito e no Atlético do Huambo. Quando joguei Futebol, no Planalto Central o Presidente do Clube era o Pai do deputado João Machado. Se a memoria não atroiçoa  fui médio até os meus 35 anos. Também pratiquei Natação, mas não fui por ai além(...)

JD: Quem se recorda de ter jogado consigo?
JM: Recordo-me do Alberto Silva “Pepino”, Mário Amezalack, Kakuarta .

 JD: Se tem assistido o CAN, como tem visto a participação dos palancas Negras?
JM: Sim, tenho assistido. Vi o 1º jogo contra o Marrocos gostei. Mas, contra a África do Sul fomos muito perdulários e jogamos muito mal. O meio Campo esteve inoperante. Gostei de ver jogar a África do Sul e Cabo-verde que me encheram de alegrias.

 JD: Quer arriscar algum prognóstico no Grupo A

JM: Para mim a “ lanterna” que vai a frente ilumina melhor. Por isso no Grupo A a minha inclinação vai para a África do Sul. O Outro finalista passará naturalmente por Cabo- Verde ou Marrocos.


POR DENTRO

Nome Completo: João Madeira
Filiação: Judith Madeira
Data de Nascimento: 23 de Junho de 1924 no Lobito (Província de Benguela)
Estado Civil: Casado
Naturalidade: Angolana
Filhos: 05
Altura:1,62 m
Peso: 70 Kg
Prato preferido: Calulu
Bebida: Vinhos , cervejas, sumos. De tudo um pouco.
Filme: Variados
Hobbies: Ficar com a família, ler jornais e revistas
Cor: Verde
Caçado: Nº 39
Religião: Católica
Sonho: Continuar a ver  Angola a progredir e que haja melhores condições para os mais necessitados.
Já alguma recorreu a mentira:  Estou farto de mentir a minha mulher
O que mais teme: A má língua