Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Entrevistas

Egipto difcil mais no imbativel

Herminio Fontes - 17 de Setembro, 2012

Treinador da Seleco Nacional de Sub-20 projecta jogo com similar do Egipto

Fotografia: Jornal dos Desportos

Jornal dos Desportos - Depois de ultrapassar o Zimbabwe, a selecção começou logo a preparar o jogo desta última eliminatória frente ao Egipto, que acontece já no próximo fim-de-semana em casa do adversário. Que balanço faz da preparação? Nzuzi André - O balanço é negativo, pelo facto de não termos a presença de todos os jogadores convocados. Alguns apareceram apenas à última hora, e é com esses atletas que devemos contar para este jogo. Fizemos um amistoso com a equipa júnior do 1º de Agosto e considero que foi a imagem daquilo que queremos levar para o Egipto.

JD - Antes do embarque, não está previsto mais nenhum teste para avaliação final? NA - De acordo com a nossa programação, vamos realizar mais um teste na terça-feira, para vermos o nível dos nossos jogadores. Outros pormenores vão ser avaliados nos próximos dias, antes de partirmos para o local do jogo.

JD
Está assegurada a vinda dos jogadores que actuam no exterior? NA - Existem jogadores, como o Kadú, o Lionel e outros, que jogam em Portugal e em outros países, de que precisamos para reforçar a selecção, mas a descoberta desses talentos é um trabalho que leva tempo. Neste momento, não é possível confirmarmos nada, cabe às pessoas de direito responderem por essa questão, porque é do fórum administrativo. Eu trato apenas das questões técnicas.

JD
- Na qualidade de técnico, não tem pressionado as pessoas indicadas para tratarem desse assunto? NA - Temos o vice-presidente José Luís Prata e o supervisor Pedro dos Santos, assim como o senhor Paulo, que são as pessoas que dominam esse tipo de assunto e que estão em condições de falar com maior precisão sobre a possibilidade desses jogares reforçarem a selecção. É isso que lhe posso adiantar e nada mais.

JD - Nos encontros que tem mantido com essas pessoas, tem abordado a questão e que garantias recebeu? NA - Recebi promessas da parte do presidente da FAF, Pedro Neto, que manifestou essa intenção, assim como abordamos também os objectivos para o futuro. E, como o futuro depende da base, porque é dos escalões mais jovens que conseguimos ter uma selecção de honras forte e competitiva, prometi apenas trabalho para não defraudar a confiança depositada em mim.

FRENTE AO EGIPTO
“Temos de manter a mesma postura”


JD - Entramos na semana decisiva. Está previsto algum estágio ou a concentração da selecção antes do embarque? NA - Não temos programado qualquer estágio, estamos apenas a concentrar os jogadores e aproveitarmos para realizar as sessões de treinos, até ao dia de embarque para a capital egípcia.

JD - A partir de quando?
NA - Penso que hoje (ontem) ou amanhã, a equipa de supervisores da Selecção vai nos comunicar a hora e o local.

JD - Pensa manter a mesma postura e atitude para surpreender os egípcios, à semelhança do que fizeram frente aos zimbabweanos?

NA - Se conseguimos surpreender o Zimbabwe, foi porque trabalhamos muito tempo com os atletas, uma realidade diferente da que estamos a viver neste momento. Ainda assim, incutimos na mente dos rapazes que o jogo com o Egipto é uma oportunidade de mostrarmos a nossa valentia, porque acreditamos que temos capacidade de estar no CAN.

JD - Pelos vistos, a preparação está aquém do programado para este assalto final ao CAN da Argélia…
NA - O nosso plano de trabalho ainda não se cumpriu no seu todo, porque, infelizmente, aconteceram algumas falhas e isso acontece na vida. Devo reconhecer que essas mesmas falhas não são da responsabilidade da direcção da FAF, mas se devem à ausência dos jogadores, embora compreendamos que os atletas precisam de dar prioridade aos seus respectivos clubes.

JD - Diante desssa situação e quando estamos a poucos dias do jogo oficial, que o apelo o técnico deixa às equipas?
NA - Numa entrevista recente, apelei às direcções das equipas para dispensarem os seus atletas, afinal, estamos a preparar-nos para defender as cores da nossa bandeira a nível de África. Na altura, fiquei feliz porque houve realmente clubes que dispensaram os seus atletas, portanto é com estes que contamos para servir a Nação.

RECONHECIMENTO
Gustavo Ferrín tem ajudado muito


JD - Para esta empreitada decisiva, tem consultado alguns técnicos para pedir apoio e conselhos ou qualquer outro tipo de colaboração?
NA - Tenho sim. Dos muitos que tenho recebido, faço menção aos ensinamentos do professor Gustavo Ferrín, que nesta altura dirige o corpo técnico da Selecção Nacional. A sua maneira de trabalhar e a forma como transmite a sua experiência têm ajudado bastante e é algo que temos todos de aproveitar.

JD - A Selecção Sub-20 tem um percurso respeitável no panorama internacional. Como actual seleccionador nacional, o que pensa fazer para resgatar o prestígio desta selecção?

NA - Temos um adversário difícil, mas não imbatível. O Egipto tem as melhores escolas de futebol a nível do continente, mas tudo faremos para passar esta eliminatória. Apesar de não dispormos de qualquer informação sobre o adversário, continuamos convictos de que faremos um bom jogo. Isso quer dizer um resultado a nosso favor.

JD - Além das dificuldades que enumerou, em termos logísticos, a Selecção tem todo o apoio para o objectivo que persegue? NA - Não tenho razão de queixa nesse capítulo, porque, segundo me foi informado, o presidente da Federação, o general Pedro Neto, baixou orientação ao secretário para acudir às despesas inerentes à Selecção Sub-20. E tudo está a ser servido conforme as orientações do responsável do órgão máximo do futebol nacional. Vamos esperar que as coisas continuem assim, aliás, desde a eliminatória com o Zimbabwe, tudo corre da melhor maneira, apenas esperamos que não venha a faltar nada quando chegar a hora de viajarmos para o Egipto.

JD - Qual é o estado clínico da Selecção Sub-20?
NA - Apesar de algumas dificuldades nesse capítulo, o que é normal nas equipas e selecções, estamos crentes que temos de trabalhar para termos uma Selecção bem melhor. Desde o regresso do Zimbabwe, o amistoso que fizemos com o 1º de Agosto e outro que faremos, serve de ensaio para termos em conta o nível de cada jogador.

PERFIL

Nome:
Nzuzi André
Data nascimento: 19/12/1957
Equipa: 1º de Maio
Estado Civil: Solteiro
Filhos: 5
Altura: 1,67
Nº calçado: 41
Cor: Azul
Prato preferido: Funge com carne seca e fúmbua
Bebida: Paco Rabane
Tempos livres: Leitura
Perfume: Qualquer, desde que tenha um cheiro agradável
Conselho: Humildade, persistência e crença no amanhã