Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Entrevistas

Ekrem "ameaça" César

Avelino Umba - 10 de Março, 2016

Ekrem Asma assume novo desafio

Fotografia: Jornal dos Desportos

Esteve na Académica do Lobito como treinador principal e teve convites na final da época para orientar outros clubes, o que o motivou a orientar o Progresso do Sambizanga B, quando teve oportunidade de voltar a ser chefe de equipa?
Primeiro, o facto do meu contrato ter terminado com Académica do Lobito em 2015, seis meses antes tinha comunicado à direcção do clube o meu desejo de terminar o contrato sem renovação. Após o fim do campeonato voltei para a Alemanha, mas o meu pensamento era sempre de regressar a Angola e estou a trabalhar nesta agremiação do bairro Sambizanga, pelo seu histórico.

Da intenção à concretização, pode explicar como tudo aconteceu?

O meu agente manteve  contacto com a direcção do Progresso do Sambizanga e as duas partes mostraram-se interessadas em negociar os meus préstimos para trabalhar na equipa B.

Para quem orientou uma equipa principal e deixou bons indicadores, o que o motivou a dirigir um plantel da segunda categoria e praticamente sem competição?
Sei o que é ser um treinador do Girabola. Gosto de desafios, razão pela qual aceitei trabalhar com a equipa B. A direcção do clube precisava de um técnico para trabalhar com a equipa B e é isso que aconteceu, porquanto, também é meu interesse trabalhar com uma equipa que pretendo preparar para estar no seu melhor nos dias que ocorrem.

Pelos vistos o “amor” pelo futebol angolano falou mais alto?

 Após o fim do meu contrato com a Académica, não queria ficar em casa. Apareceu esta oportunidade e não vacilei. Devo dizer que na minha carreira como treinador, já orientei equipas juvenis e juniores durante um período de 18 anos na Bundesliga Alemã.
Não se sente rebaixado pelo facto de orientar um plantel que podemos considerar de segunda linha?
O treinador não deve ter muita opção em treinar equipa B ou principal, juvenis ou juniores. Para mim, não tem diferença em orientar uma ou outra, embora os seniores são as que têm mais protagonismo.

O contrato  satisfá-lo?

Muito. Estou bastante satisfeito o período assinado poderá traduzir uma equipa que possa dar alguns jogadores ao plantel principal num curto espaço de tempo.

Para evitar qualquer mal entendido, poderia clarificar qual é concretamente o seu trabalho para em apenas uma época estar tão confiante num sucesso?

Trabalhar com jovens dos 17 a 20 anos de idade, cujo o objectivo passa por organizar uma equipa com jogadores capazes em que a direcção possa vender a outros clubes, para além de aproveita-los para a equipa principal.

CARREIRA
"Técnico não deve ter muitas opções"

O contrato é apenas de um ano, acha o tempo suficiente para cumprir com o propósito da direcção? Ou melhor, pela sua experiência acredita que pode cumprir com o que os sambilas pretendem?

Na verdade, o meu contrato não é apenas para a equipa B. Durante a minha permanência no Progresso do Sambizanga posso treinar iniciado, juvenis, juniores e se possível até mesmo os seniores. Tudo depende das circunstâncias que ocorrerem no clube.

Está preparado para orientar a equipa principal, caso a direcção decidir?
"Se a direcção disser, hoje vai treinar os juniores ou mesmo os seniores da equipa principal eu vou. Mas de momento o meu objectivo e da direcção do clube é treinar a equipa B. Estou aqui para trabalhar com qualquer escalão, ganhar o meu dinheiro e estou feliz por assinar num clube que tem muito futuro e que um dia pode ser campeão.

Os adjuntos são os dois do clube ou pretende trazer alguns técnicos de outras paragens?
Conto trabalhar com dois adjuntos, o Matateu e Paulo que recentemente foi um dos adjuntos da equipa principal. Estou aqui a pouco tempo, onde espero organizar um treinador de guarda-redes, um massagista e outros membros que possam fazer parte da equipa técnica.
 
O seu objectivo...

É formar um plantel de 20 atletas constituídos maioritariamente por jovens. Quero jogadores juniores das escolas do Progresso Sambizanga e depois jogadores oriundos de outras agremiações dos 17 aos 20 anos de idade e alguns com mais idade, já que os jogadores para o Girabola, devem ter mais idade.

EQUIPA B
Treinador confia no projecto da direcção


Que informações dispõe sobre o futebol "sambila"?
O Progresso do Sambizanga tem um futuro promissor e pode fazer melhor, a julgar pela organização. Tem um campo de treino com vários escalões, ou seja, com iniciados, juvenis e juniores. Tem escola, material para trabalho e uma direcção à altura para concretizar os seus objectivos que passam pela conquista de uma Taça de Angola, principal objectivo da direcção do clube.

É um grande desafio num país onde existem equipas tradicionais e com um certo histórico...

É um grande pensamento, agora o que falta é materializar o mesmo para que se alcance os objectivos a curto ou médio prazo.

Que avaliação faz do futebol angolano, depois da experiência que teve na Académica do Lobito?
É bastante complicado, porque o angolano pensa no imediatismo e não no amanhã, enquanto que na Europa a coisa é diferente. Na Europa não se pensa no futebol imediato, porque investe-se no futuro. Aqui pensa-se no ganho de hoje e não de amanhã, isto é mau.

Mas os clubes investem e traçam objectivos...

O futebol angolano tem de investir nos iniciados, juvenis e juniores de formas a que amanhã se colham os frutos, um factor bastante importante. Reconheço que tem muita capacidade humana para fazer bons jogadores, mas só com treinador, jogadores e dirigentes não basta, pois a família é outra componente para fazer bom jogador.

EQUIPA PRINCIPAL
"Tenho grande admiração pelo técnico Albano César"


Disputadas três jornadas do Girabola Zap, que impressão tem nível competitivo? Deixa bons indicadores ou ainda é cedo para tecer alguma opinião?

Ainda é cedo para tirarmos algumas ilações daquilo que vai ser a prova. Acredito que vai melhorar pelo facto de ter um sponsor a Zap, à semelhança do que acontece em todo o mundo de futebol, as provas têm um patrocinador e no caso de Angola é a Zap. Isto vai ajudar bastante a qualidade do futebol nacional.

O que é que a exigente massa associativa do Progresso pode esperar da equipa B?
Muita técnica e táctica. A componente física vem depois. Quero ajudar a formar uma equipa B competitiva para no futuro ser o suporte do plantel principal. A disciplina vai ser determinante, com destaque  para o cumprimento do horário. Quando o treino está marcado para 11h00, se o jogador chegar as 11h01', não entra no campo.

Qual é a relação com o Albano César, enquanto técnico da equipa principal?
Conheço Albano César há dois anos e tenho a minha admiração pelo seu trabalho. É um bom treinador, meu colega no clube. 

 Quando a direcção o contratou para este projecto, qual foi a principal exigência?

A direcção do Clube quer uma equipa B que se diferencia dos juniores, bastante inteligente e quase suplente da equipa principal, onde  vai buscar jogadores para qualquer sector onde houver necessidade.

Teremos um Progresso forte e preparado em qualquer altura para fortalecer o plantel principal?

Uma equipa com jogadores com ideias futuras. Uma equipa que trabalha durante um ano para atingir a maturidade, onde os que não se afirmarem possam ser vendidos ou emprestados nas outras equipas.
 
 O Progresso do Sambizanga é uma formação de "bairro" e com uma massa associativa bastante exigente, que relação gostaria de ter com os adeptos do clube?
Os adeptos são fundamentais na vida de um clube em geral e equipa em particular. Os adeptos têm de confiar na sua equipa e acreditar sempre no grupo de trabalho.